A Inserção da Odontologia em Unidades de Terapia Intensiva

Autores

  • Thainah Bruna dos Santos Universidade Estadual de Londrina, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Odontologia. PR. Brasil.
  • Marcos Antônio do Amaral Unopar, Curso de Odontologia.PR, Brasil.
  • Nora Gavilanes Peralta Universidade Técnica de Manabí, Departamenteo de Ciências da Saúde, Portoviejo/ Manabí. Equador.
  • Ricardo Sergio Almeida Universidade Estadual de Londrina, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Odontologia. PR. Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.17921/2447-8938.2017v19n2p83-88

Resumo

A Odontologia hospitalar vem adquirindo importância no cenário da equipe multidisciplinar de saúde para manter a qualidade de vida dos pacientes. Contudo, a atuação do cirurgião-dentista nos hospitais possui certa deficiência, mesmo sabendo que é imprescindível a higiene bucal para excluir doenças e manter a normalidade na cavidade bucal. Os pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva - UTI, frequentemente, apresentam baixa imunidade, apresentando como fatores contribuintes a hipossalivação, a utilização de antibióticos e a ausência de higiene bucal. É importante ressaltar que a cavidade bucal abriga quase a metade da microbiota do corpo humano e é considerada uma incubadora microbiana ideal devido a suas características de temperatura, de umidade, de pH, de tensão de oxigênio e presença de nutrientes. Para o presente artigo de revisão foi usado o método de buscas, em revisão integrativa, utilizando-se as bases de dados Pubmed, Scopus, Web of Science, e SciELO. Os artigos usados foram selecionados por critérios segundo o tema odontologia aplicada à Unidade de Terapia Intensiva. O objetivo desse estudo é analisar a importância de uma equipe odontológica para o atendimento integral de pacientes internados em UTI na redução da disseminação de infecções a partir da cavidade bucal. Conclui-se que é necessário maior reconhecimento da participação Odontológica na equipe multidisciplinar de saúde, sendo de fundamental importância para a prevenção das infecções nas UTI, especialmente, de pneumonias, colaborando para reduzir quadros de septicemia grave. Nas buscas realizadas destaca-se a Pubmed por ser mais abrangente que as outras bases de dados, obtendo um total de 800 publicações.

Palavras-chave: Infecção. Saúde Bucal. Equipe Hospitalar de Odontologia.

Abstract

Hospital Dentistry has been gaining importance in the scenery of multidisciplinary health team to maintain the patients’ life quality patients. However, the dentist’s role in hospitals presentssome deficiency, knowing that oral hygiene is essential to exclude diseases and maintain normalcy in the oral cavity. Patients in intensive care unit (ICU) often have low immunity, presenting as contributing factors hyposalivation, the use of antibiotics and the lack of oral hygiene. It important to highlight that the oral cavity is home to almost half of the microbiota of the human body and is considered an ideal microbial incubator due to its characteristics of temperature, moisture, pH, oxygen tension and presence of nutrients. For the present review, it was used the method searches in integrative review using databases Pubmed, Scopus, Web of Science, e SciELO. Used articles were selected according to the subject and criteria of dentistry applied to the Intensive Care Unit. The aim of this study is to analyze the importance of a dentistry team for the comprehensive care of ICU patients in reducing the spread of infection from the oral cavity. It was concluded that it is necessary a better recognition of Dentistry participation in multidisciplinary health team, being of fundamental importance for the prevention of infections in ICUs, especially pneumonia, helping reduce severe sepsis clinical signs. In the searches carried out PUBMED stands out because it is more comprehensive than the other databases, obtaining a total of 800 publications.

Keywords: Infection. Oral Health. Dental Staff, Hospital.

Biografia do Autor

Thainah Bruna dos Santos, Universidade Estadual de Londrina, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Odontologia. PR. Brasil.

Mestranda em Odontologia da Universidade Estadual de Londrina. Departamento de Ciências da Saúde, UEL. Rua Pernambuco 540, Centro, Cep: 86020-120. Fone: (43) 99619-4573, RG: 12727736-2, CPF: 077392279-27 Londrina/PR, Brasil. 

Marcos Antônio do Amaral, Unopar, Curso de Odontologia.PR, Brasil.

Professor e coordenador da graduação de odontologia da Universidade Norte do Paraná (UNOPAR). Departamento de Ciências Biológicas da Saúde, UNOPAR. Rua Marselha 145, Jardim Piza, Cep: 86041-140. Fone: (43) 3371 – 7767, RG: 3845785-5, CPF: 556.006.039.91. Londrina/PR, Brasil. 

Nora Gavilanes Peralta, Universidade Técnica de Manabí, Departamenteo de Ciências da Saúde, Portoviejo/ Manabí. Equador.

Professora da Universidade Técnica de Manabí. Departamento de Ciências da Saúde, UTM. Av. Urbina e Che Guevara. Fone: (593) 98965-3190, RG: 1302558943. Portoviejo/Manabí, Equador.

Ricardo Sergio Almeida, Universidade Estadual de Londrina, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Odontologia. PR. Brasil.

Professor do Mestrado em Odontologia da Universidade Estadual de Londrina. Departamento de Ciências da Saúde, UEL. Rua Pernambuco 540, Centro, Cep: 86020-120. Fone: (43) 99697-4888, RG: 255405558, CPF: 254.420.818-09 Londrina/PR, Brasil.

Downloads

Publicado

2017-07-21

Edição

Seção

Artigos