Profile of Public Dentistry Contests in the Southeast Region of Brazil

Elizandra Silva da Penha, Thyalle Laís Góis de Rezende, Thyalle Laís Góis de Rezende, Gymenna Maria Tenorio Guênes, Gymenna Maria Tenorio Guênes, Luanna Abílio Diniz Melquíades de Medeiros, Luanna Abílio Diniz Melquíades de Medeiros, Camila Helena Machado da Costa Figueiredo, Camila Helena Machado da Costa Figueiredo

Resumo


Abstract

Public contest is one of the best ways for health professionals to enter the Family Health Strategy (FHS) and other public health services. The objective of this study was to verify the profile of Dentistry public examinations in the southeast region, as well as to analyze the coherence between the proposal of   FHS and the content on the professionals selection   for this position. The examinations  were retrieved by means of research of the sites: PCI Concursos and  Folha Dirigida and sites of companies of greater representativeness in the competitive bidding in the states of the southeast region. From the entire southeastern region, 266 competitive examinations were obtained for the position of dental surgeon, from 2001 to 2017. For the data analysis,, three categories were created: QG, for the questions that included the general questions present in the tests; QT, individual technical questions that balance the requirements related to specific knowledge; and QC, corresponding to the questions related to collective character. In all the tests analyzed, the specific knowledge (QC and QT) had a higher prevalence among the contents charged. Among the areas that involved the individual technical questions, the subjects of Surgery, Dentistry, Stomatology and Pathology were the ones with the highest prevalence. Through the results, it can be seen that the public examinations for dental surgeons who want to work in the FHS in the states of the southeast region, most of them deal with knowledge of clinical dentistry specialties.

 

Keywords: Dentists. Health Personnel. Examination Question.

 

Resumo

O concurso público é uma das melhores formas de inserção dos profissionais de saúde na Estratégia Saúde da Família (ESF) e em outros serviços de saúde pública. O objetivo deste estudo foi verificar o perfil de provas de concursos públicos de Odontologia da região sudeste, bem como analisar a coerência entre a proposta da ESF e o conteúdo da seleção de profissionais para este cargo. Os exames foram recuperados por meio de pesquisa em dois sites bastante acessados que disponibilizam provas de concurso público no Brasil: PCI Concursos e Folha Dirigida e em sites de empresas de maior representatividade nas licitações de concurso nos estados da região sudeste. De toda a região foram obtidas 266 provas de concursos para o cargo de cirurgião dentista, no período de 2001 a 2017. Para análise dos dados foram criadas três categorias: QG, para os quesitos que englobaram as questões gerais presentes nas provas; QT, questões técnicas individuais que equivalem aos quesitos relacionados aos conhecimentos específicos; e QC, correpondendo aos quesitos relacionados ao caráter coletivo. Em todas as provas analisadas, os conhecimentos específicos (QC e QT) tiveram maior prevalência entre os conteúdos cobrados. Dentre as áreas que envolveram os quesitos técnicos individuais, as disciplinas de Cirurgia, Dentística, Estomatologia e Patologia foram as de maior prevalência. Através dos resultados, percebe-se que os concursos públicos para os cirurgiões dentistas que querem atuar na ESF nos estados da região sudeste, abordam em sua maioria conhecimentos de especialidades clínicas da Odontologia.

 

Palavras-chave: Odontólogos. Pessoal da Saúde. Questão de Prova.

 


Referências


Tetemann EC, Trugilho SM, Sogame SCM. Universalidade e Territorialização no SUS: contradições e tensões inerentes. Textos Contextos 2016;15(2):356-69. doi: 10.15448/1677-9509.2016.2.25456

Linard AG, Castro MM, Cruz AKL. A integralidade da assistência na compreensão dos profissionais da estratégia saúde da família. Rev Gaucha Enferm 2011;32(3):546-53.

Martins AN, Lanna TV, Santos PCF, Magalhães SR. A inserção do cirurgião-dentista no PSF: Revisão sobre as ações e os métodos de avaliação das equipes de saúde bucal. Rev Iniciação Cient 2014;4(1):24-33.

Figueiredo EN. A Estratégia Saúde da Família na Atenção Básica do SUS. 2013. [acesso em 10 abr 2019]. Disponível em http://www.unasus.unifesp.br/biblioteca_virtual/esf/2/unidades_conteudos/unidade05/unidade05.pdf .

Baldani MH, Fadel CB, Possami T, Queiroz MGS. A inclusão da odontologia no Programa Saúde da Família no Estado do Paraná, Brasil. Cad Saúde Pública 2005;21(4):1026-35. doi: 10.1590/S0102-311X2005000400005

Moço LRS, Flório FM, Zanin L. Características dos concursos para contratação de cirurgiões-dentistas na Estratégia Saúde da Família. Rev Abeno 2017;17(2):22-31.

Barata AM. Questões relevantes sobre concurso público. 2009. [acesso em 12 jun 2019]. Disponível em www.mpto.mp.br/cint/cesaf/arqs/040610091213.pdf.

Vilela EN, Mafra LAS. Estratégia Saúde da Família: contratação temporária e precarização nas relações de trabalho. Cad Estudos Interdisc 2015:38-52.

Costa RM, Medeiros Junior A Costa ICC, Pinheiro IVA. O trabalho em equipe desenvolvido pelo cirurgião-dentista na Estratégia Saúde da Família: expectativas, desafios e precariedades. Rev Bras Med Fam Comunidade 2012;7(24):147-63. doi: https://doi.org/10.5712/rbmfc7(24)434

Espindola PS, Lemos CLS, Reis LBM. Perfil do profissional de nível superior na estratégia saúde da família. Rev Bras Prom Saúde 2011;24(4):367-75.

Lenzi TL, Rocha RO, Dotto PP. Perfil dos cirurgiões-dentistas integrantes do Programa Saúde da Família em um município do sul do Brasil. Rev Odonto 2010;16(30):58-64.

Costa SM, Prado MCM, Andrade TN, Araújo EPP, Silva Junior WS, Gomes Filho ZC, et al. Perfil do profissional de nível superior nas equipes da Estratégia Saúde da Família em Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. Rev Bras Med Fam Comunidade 2013;8(27):90-6. doi: https://doi.org/10.5712/rbmfc8(27)530

SB Brasil 2010. Pesquisa nacional de saúde bucal. Brasília: MS; 2012.

Saliba NA, Moimaz SAS, Fadel CB, Bino LS. Saúde bucal no Brasil: uma nova política de enfrentamento para a realidade nacional. Rev Odontol Bras Central 2010;18(48):62-6.

Lucena EHG, Pucca Júnior GA, Sousa MF. A Política Nacional de Saúde Bucal no Brasil no contexto do Sistema Único de Saúde. Rev Tempus Actas Saúde Coletiva 2011;5(3):53-63. doi: 10.18569/tempus.v5i3.1042

Palacio DC. Evolução de indicadores pós-implantação de equipes de saúde bucal na estratégia de saúde da família na região de campo limpo, zona sul de São Paulo, no período de 2009 a 2011. Piracicaba: Universidade Estadual de Campinas; 2013.

Lourenço EC, Silva ACB, Meneghin MC, Pereira AC. A inserção de equipes de saúde bucal no Programa Saúde da Família no Estado de Minas Gerais. Ciênc Saúde Colet 2009;14:1367-77. doi: 10.1590/S1413-81232009000800009

Albrecht PAT, Krawulski E. Concurseiros e a busca por um emprego estável: reflexões sobre os motivos de ingresso no serviço público. Cad Psicol Soc Trabalho 2011;14(2):211-26. doi: 10.11606/issn.1981-0490.v14i2p211-226

Miotto MHMB, Barcellos LA, Velten DB. Avaliação do impacto na qualidade de vida causado por problemas bucais na população adulta e idosa em município da Região Sudeste. Ciênc Saúde Colet 2012;17(2):397-405.

Celeste RK, Vital JF, Junger WL, Reichenheim ME. Séries de procedimentos odontológicos realizadas nos serviços públicos brasileiros, 1994-2007. Cienc Saúde Colet 2011;16(11):4523-32. doi: 10.1590/S1413-81232011001200025

Correa GT, Celeste RK. Associação entre a cobertura de equipes de saúde bucal na saúde da família e o aumento na produção ambulatorial dos municípios brasileiros, 1999 e 2011. Cad Saúde Pública 2015;31(12):2588-98. doi: 10.1590/0102-311X00000915

Souza GLS, Mendes SR, Lino PA, Vasconcelos M, Abreu MHNG. Exodontias no Sistema Único de Saúde em Minas Gerais: uma série temporal de 15 anos. Arq Odontol 2016;52(3):160-4.

Oliveira JC, Veríssimo TCA, Gardenghi, G. Perfil dos concursos públicos na área de fisioterapia geral. Rev Bras Saúde Funcional 2015;2(2):23-33.

Raitz PGC. Utilização de serviços odontológicos por idosos: uma análise dos procedimentos realizados na atenção básica e secundária. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina; 2014.

Simões ACA, Carvalho DM. A realidade da saúde bucal do idoso no Sudeste brasileiro. Cienc Saúde Colet.2011;16(6):2975-82.




DOI: http://dx.doi.org/10.17921/2447-8938.2019v21n5p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Journal of Health Sciences