Tobacco Associated Factors of Adolescents

  • Maristela Prado e Silva Nazario Instituto Cuiabá de Ensino e Cutura - ICEC
  • Mariana Marra Sepulveda Acadêmica da Pós-Graduação Saúde da Família - Escola de Saúde Pública do Estado; Cuiabá – MT, Brasil.
  • Olga Dillenburg Rezer Acadêmica da Pós-Graduação Saúde da Família - Escola de Saúde Pública do Estado; Cuiabá – MT, Brasil.
  • Juliana Santi Sagin Pinto Bergamim Fisioterapeuta; Professora do Instituto Cuiabá de Ensino e Cultura; Mestra em Fisioterapia pela UNICID; Cuiabá – MT, Brasil.
  • Marcly Schelles Lima Nutricionista; Juara, Brasil.
  • Ariane Hidalgo Mansano Pletsch Fisioterapeuta; Professora da Universidade de Cuiabá; Doutora em Ciências pela FMRP-USP; Cuiabá/MT, Brasil.

Resumo

Currently, smoking is considered a serious public health problem and is considered the greatest avoidable cause of illness, disability and death. Several studies, over time, have concluded the relationship of smoking to serious diseases that are responsible for anti-smoking government policies worldwide. There are many advances in tobacco prevention and smoking cessation, but data on smoking deaths are still alarming. Brazil is considered a great inspiration for other countries when it comes to these policies, just as other countries served as inspiration for Brazil, such as Canada. Children and adolescents are a group that is very vulnerable to smoking and therefore are considered a priority when it comes to prevention. In light of the above, a bibliographical review was carried out with the objectives of contextualizing the problem of smoking and of identifying the factors that lead adolescents to use tobacco. The study shows that smoking is considered one of several risk situations that the adolescent is exposed in this phase of so many transformations. Most authors point to curiosity as the major factor that leads the adolescent to smoking and the parents and friends smokers as main influences for the initiation of this habit.

 

Keywords: Tobacco. Tobacco Use Disorder. Young.

 

Resumo

Atualmente o tabagismo é considerado um sério problema de saúde pública, sendo considerada a maior causa evitável de doenças, invalidez e morte. Diversos estudos, ao longo do tempo, foram concluindo a relação do hábito tabágico às doenças graves que são responsáveis por políticas governamentais antitabagismo em todo mundo. Muitos são os avanços para a prevenção do tabagismo, bem como para o auxílio na cessação deste hábito, porém ainda são alarmantes os dados relacionados ao óbito de fumantes. O Brasil é considerado uma grande inspiração para outros países quando se trata dessas políticas, assim como outros países serviram de inspiração para o Brasil, como o Canadá. As crianças e os adolescentes formam um grupo muito vulnerável ao tabagismo e por este motivo são considerados prioridade quando se trata de prevenção. Frente ao exposto, realizou-se uma revisão bibliográfica com os objetivos de contextualizar a problemática do tabagismo e de identificar os fatores que levam os adolescentes a fazerem uso do tabaco. O estudo mostra que o tabagismo é considerado uma das várias situações de risco que o adolescente é exposto nessa fase de tantas transformações. A maioria dos autores apontam a curiosidade como o maior fator que leva o adolescente ao tabagismo e os pais e amigos fumantes como principais influências para a iniciação deste hábito.

 

Palavras-chave: Tabaco. Tabagimo. Saúde do Adolescente.

Referências

Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Doenças respiratórias crônicas. Brasília: Ministério da Saúde, 2010.

Duncan BB, Schmidt MI, Giugliani ERJ. Medicina ambulatorial: condutas de atenção primária baseadas em evidências. 3 ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.

Noronha GP. Sexualidade e fontes de informações entre adolescentes estudantes do ensino médio. São Paulo. Dissertação [Mestrado Saúde Materno Infantil] – Universidade de São Paulo; 2009.

Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Área Técnica de Saúde do Adolescente e do Jovem. Marco legal: Saúde, um direito dos adolescentes. Brasília: Ministério da Saúde; 2005.

Ministério da Educação. Secretaria Especial dos Direitos Humanos. Estatuto da Criança e do Adolescente. Brasília: MEC, ACS, 2005.

Malta DC, Sardinha LMV, Mendes I, Barreto SM, Giatti L, Castro IRR, Moura L, Dias AJR, Crespo C. Prevalência de fatores de risco e proteção de doenças crônicas não transmissíveis em adolescentes: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE), Brasil, 2009. Ciênc. Saúde Coletiva. 2010; 15 (supl.2):3009-3019.

http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232010000800002

Marques ACPR, Campana A, Gigliotti AP, Lourenço MTC, Ferreira MP, Laranjeira R. Consenso sobre o tratamento da dependência de nicotina. Rev Bras Psiquiatr 2001;23(4):200-14

Secretaria de Estado da Educação. Tá na roda: uma conversa sobre drogas. São Paulo: J. Shoslna Reproduções Gráficas Ltda SA. 2003.

Ministério da Saúde. Instituto Nacional do Câncer. Falando sobre Tabagismo. 2 th ed. Rio de Janeiro: INCA, 1996.

Claret M. O que você deve saber sobre tabagismo. São Paulo: Martin Claret, 2001.

Nogueira KT, Silva CMFM. Tabagismo em adolescentes numa escola da rede pública do estado do Rio de Janeiro. Adolesc Saude. 2004;1(4):6-10.

Moraes CA. Responsabilidade Civil das Empresas Tabagistas. Curitiba: Juruá, 2009.

Carvalho MC. O cigarro. São Paulo: Publifolha, 2001.

Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Ações de enfermagem para o controle do câncer: uma proposta de interação ensino-serviço. 3 th ed. atual. ampl. Rio de Janeiro: INCA, 2008.

Ministério da Saúde. Instituto Nacional do Câncer. Revista Brasileira de Cancerologia. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Câncer, 2011.

Santos SR. Apague o cigarro da sua vida: com métodos científicos para auxiliar o fumante a parar de fumar. São Paulo: Alaúde Editorial, 2006.

Lara PRC. Fumo sim, e daí? aos militantes antitabagistas e outros chatos-de-galocha que estiverem de plantão. Campo Grande: Letra Livre, 2000.

Bouer J. Álcool, Cigarro e Drogas. 1th ed. São Paulo: Panda Books, 2004.

Ministério da Saúde. Instituto Nacional do Câncer. Coordenação nacional de Controle do Tabagismo e Prevenção Primária do Câncer. Crescendo livre de tabaco. Rio de Janeiro: INCA, 1998.

Pinto DS. Variáveis relacionadas à iniciação do tabagismo entre estudantes do ensino médio de escola pública e particular na cidade de Belém – PA. Belém, PA, Brasil, 2007.

Abramovay M, Castro MG. Drogas nas escolas. Brasília: UNESCO, Rede Pitágoras, 2005.

Silva MP, Silva RMVG, Botelho C. Fatores associados à experimentação do cigarro em adolescentes. J Bras Pneumol 2008; 34:927-35

Almeida AF, Mussi FC. Tabagismo: conhecimentos, atitudes, hábitos e grau de dependência de jovens fumantes em Salvador. Rev. esc. enferm. 2006; 40(4): 456-463. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342006000400002.

Fraga S, Ramos E, Barros H. Uso de tabaco por estudantes adolescentes portugueses e fatores associados. Rev. Saúde Pública 2006; 40(4): 620-626. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102006000500010.

Barreto SM, Giatti L, Casado L, Moura L, Crespo C, Malta DC. Exposição ao tabagismo entre escolares no Brasil. Ciênc. saúde coletiva. 2010; 15 (suppl.2): 3027-3034. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232010000800007.

Silva GA, Valente JG, Almeida LM, Moura EC, Malta DC. Tabagismo e escolaridade no Brasil. Rev Saúde Pública 2009;43(Supl 2):48-56.

Horta BL, Calheiros P, Pinheiro RT, Tomasi E, Amaral KC. Tabagismo em adolescentes de área urbana na região sul do Brasil. Rev Saúde Pública 2001;35(2):159-164.

Silva MAM, Rivera IR, Carvalho ACC, Guerra Junior AH, Moreira TCA. Prevalência e variáveis associadas ao hábito de fumar em crianças e adolescentes. J. Pediatr. 2006; 82(5): 365-370. http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572006000600010.

Malcon MC, Menezes AMB, Maia MFS, Chatkin M, Victora CG. Prevalência e fatores de risco para tabagismo em adolescentes na América do Sul: uma revisão sistemática da literatura. Rev Panam Salud Publica/Pan Am J Public Health 2003; 13(4): 222-228.

Moreno RS, Ventura RN, Bretas JRS. Ambiente familiar e consumo de álcool e tabaco entre adolescentes. Rev Paul Pediatr 2009;27(4):354-60. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-05822009000400002

Abreu MNS, Souza CF, Caiaffa WT. Tabagismo entre adolescentes e adultos jovens de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil: influência do entorno familiar e grupo social. Cad. Saúde Pública. 2011; 27(5):935-943.

bortoluzzi MC, kehrig RT, Loguercio AD, Traebert JL. Prevalência e perfil dos usuários de tabaco de população adulta em cidade do Sul do Brasil (Joaçaba, SC). Ciênc. Saúde Coletiva. 2011; 16(3): 1953-1959. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000300029.

Wunsch Filho V, Mirra AP, Lopez RVM, Antunes LF. Tabagismo e câncer no Brasil: evidências e perspectivas. Rev. Bras. Epidemiol. 2010; 13(2): 175-187. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2010000200001.

Viana TBP, Camargo CL, Gomes NP, Felzemburgh RDM, Mota RS, Lima CCOJ. Factors associated with cigarette smoking among public school adolescents. Rev Esc Enferm USP. 2018;52:e03320. http://dx.doi.org/10.1590/s1980-220x2017019403320

Menezes AHR, Dalmas JC, Scarinci IC, Maciel SM, Cardelli AAM. Fatores associados ao uso regular de cigarros por adolescentes estudantes de escolas públicas de Londrina, Paraná, Brasil. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(4):774-784.

Machado Neto AS, Andrade TM, Napoli C, Abdon LCSL, Garcia MR, Bastos FI. Determinantes da experimentação do cigarro e do início precoce do tabagismo entre adolescentes escolares em Salvador (BA). J. Bras. Pneumol. 2010; 36(6): 674-682. http://dx.doi.org/10.1590/S1806-37132010000600003.

HORTA RL, Horta BL, Pinheiro RT. Drogas: famílias que protegem e que expõe adolescentes ao risco. J Bras Psiquiatr. 2006; 55(4): 268-272.

Publicado
2020-06-30
Seção
Artigos