Antimicrobial Activity of Barbatimão Glycol Extract on Streptococcus mutans

  • Carlos Eduardo Silva da Costa UNOPAR, Stricto Sensu Post-Graduate Program in Dentistry. PR, Brazil.
  • Rayana Soares de Andrade UNOPAR, Stricto Sensu Post-Graduate Program in Dentistry. PR. Brazil. http://orcid.org/0000-0003-1343-0264
  • Ricardo Sérgio Couto de Almeida UNOPAR, Stricto Sensu Post-Graduate Program in Dentistry. PR. Brazil.
  • Sandra Kiss Moura Nove de Julho University,Post-Graduate Program in Biophotonics Applied to Health Science. SP, Brazil.
  • Sandra Mara Maciel UNOPAR, Stricto Sensu Post-Graduate Program in Dentistry. PR. Brazil.
  • Regina Célia Poli-Frederico Unopar, Stricto Sensu Post-Graduate Program in Dentistry. PR, Brazil

Resumo

The study of medicinal plants with antimicrobial action is a current issue, mainly due to the increase of bacterial resistance and the need for new antimicrobials with equal or greater efficacy, low cost and low side effects. The constant search for new products with bactericidal potential on oral microorganisms, mainly of natural origin, has grown considerably in recent years.The objective of this research was to evaluate the efficiency of concentrations of Barbatimão glycolic extract solution (Stryphnodendronadstringens) in inhibiting the bacteria growth associated with  in vitro dental caries. Sixteen different concentrations of Barbatimão glycolic extract were prepared  (0%, 1.56%, 3.12%, 4.68%, 6.25%, 7.81%, 9.37%, 10.93, 12, 5%, 25%, 37.5%, 50%, 62.5%, 75%, 87.5%, 100%) and the 2% chlorhexidine solution were  used as the control group. The prepared solutions were tested on the bacterial strain of Streptococcus mutans. Bacterial growth was observed on plates containing BHI culture medium. Barbatimão concentrates were placed in wells made in the culture medium and each plate was incubated in a CO2 oven (37 ° C / 24 hours). The test was performed in triplicate, resulting in the absence of bacterial inhibition at the tested barbatimão concentrations, with bacterial inhibition of 2% chlorhexidine being positive. It is concluded that the barbatimão glycolic extract in the  analyzed concentrations does not present bactericidal action on Streptococcus mutans.

Keywords: Dental Caries. Microbiota. Stryphnodendronbarbatimam

Resumo

O estudo de plantas medicinais com ação antimicrobiana é um assunto atual, principalmente devido ao aumento da resistência bacteriana e a necessidade de novos antimicrobianos com igual ou maior eficácia, baixo custo e baixos efeitos colaterais. A busca constante de novos produtos com potencial bactericida sobre os micro-organismos orais, principalmente de origem natural tem crescido bastante nos últimos anos. O objetivo desta pesquisa foi avaliar a eficiência de diferentes concentrações de solução de extrato glicólico de Barbatimão (Stryphnodendron adstringens) na inibição do crescimento de bactérias associadas a cárie dental in vitro.Foram preparadas dezesseis concentrações do extrato glicólico do Barbatimão (0%, 1,56%, 3,12%, 4,68%, 6,25%, 7,81%, 9,37%, 10,93, 12,5%, 25%, 37,5%, 50%, 62,5%, 75%, 87,5%, 100%) e como grupo controle foi utilizada a solução de clorexidina 2%. As soluções preparadas foram testadas sobre a cepa bacteriana de Streptococcus mutans. O crescimento bacteriano foi observado em placas contendo meio de cultura BHI. As concentracões do barbatimão foram colocadas em poços realizados no meio de cultura e cada placa foi incubada em estufa de CO2 (37°C / 24 horas). O teste foi realizado em triplicata, tendo como resultado a ausência de inibição bacteriana para as concentrações do barbatimão testadas, sendo positiva a inibição bacteriana para clorexidina a 2%. Conclui-se que o extrato glicólico de barbatimão nas concentrações analisadas, não apresenta ação bactericida sobre o Streptococcus mutans.

Palavras-chave: Cárie Dentária. Microbiota. Barbatimão

Referências

Fejerskov O, Kidd RcDadestc. Cárie Dentária - a Doença e Seu Tratamento Clínico. 2ª Ed. São Paulo: Santos, 2005.

Leites ACBR, Pinto MB, Sousa ERS. Aspectos microbiológicos da cárie dental. Salusvita. 2006;25(2):239- 52.

Tenuta LMA, Lima JEO, Cardoso CL, Tabchoury CPM, Cury JA. Effect of period of plaque accumulation and salivary factors on enamel demineralization and plaque composition in situ. Pesqui Odontol Brás. 2003;17(4):326-31. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-74912003000400006

Hernandes L, Pereira LMS, Palazzo F, Mello JCPM. Wound-healing evaluation of ointment from Stryphnodendron adstringens (barbatimão) in rat. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences. 2010;46(3). DOI: https://doi.org/10.1590/S1984-82502010000300005

Eller SC, Feitosa VA, Antunes RM. Avaliação antimicrobiana de extratos vegetais e possível interação farmacológica in vitro. Rev de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada. 2015;36(1):131-6.

Machado KC, Machado KC, Junior ALG, Freitas RM. Uso de Produtos Naturais para o Tratamento de Doenças Infecciosas: Prospecção Tecnológica. Revista GEINTEC. 2014;4(1):665-72. DOI: https://doi.org/10.7198/geintec.v4i1.216

Niero R. Aspectos químicos e biológicos de plantas medicinais e considerações sobre fitoterápicos. In: Chechinel Filho V, Bresolin TMB, editors. Ciências químico-farmacêuticas: Contribuição ao desenvolvimento de novos fármacos e medicamentos. Itajaí SC: Unival; 2003. p. 150-215

Vasconcelos MCA, Rodovalho NCM, Pott VJ, Ferreira AMT, Arruda ALA, Marques MCS, et al. Avaliação de atividade biológicas das sementes de Stryphnodendron obovatum Benth (Leguminosae). Rev Bras Farmacogn. 2004;14:121-7. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-695X2004000200005

Orlando SC. Avaliação da atividade antimicrobiana do extrato hidroalcoólico bruto da casca de Stryphnodendron adstringens (Martius) Coville (Barbatimão). Franca SP: Universidade de Franca; 2005.

Soares SP, Vinholis AHC, Casemiro LA, Silva MLA, Cunha WR, Martins CHG. Atividade antibacteriana do extrato hidroalcoólico bruto de Stryphnodendron adstringens sobre microorganismos da cárie dental. Rev odonto ciênc. 2008;23(2):141-4.

Pereira C, Moreno CS, Carvalho C. Usos farmacológicos do Stryphnodendron adstringens (MAR.) - Barbatimão. Revista panorâmica On-Line. 2013(15):127-37.

Miranda MA. Atividade Antimicrobiana das Soluções de Barbatimão, Mamona e Clorexidina utilizadas na Endodontia. Avaliação comparativa "in vitro". Dissertação [Mestrado em Odontologia]. Ribeirão Preto, SP: Universidade de São Paulo; 2010. DOI: 10.11606/D.58.2010.tde-18102010-164835

Guimarães NSS, Rodrigues T. Efeito protetor de Extratos Glicólicos de Baccharis Dracunculifolia e Rosmarinus Officinalis contra Danos Oxidativos Induzidos por T-Buooh. XI Congresso de Iniciação Científica; Mogi das Cruzes SP: Universidade de Mogi das Cruzes; 2008.

Cowar MM. Plants products as antimicrobial agents. Clin Microb Rew 1999(12):564-82. PMID: 10515903

Ardisson L, Godoy JS, Ferreira LAM, Stehmann JR, Brandão MGL. Preparação e caracterização de extratos glicólicos enriquecidos em taninos a partir das cascas de Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville (Barbatimão). Revista Brasileira de Farmacognosia. 2002;12(1):27-34. DOI:https://doi.org/10.1590/S0102-695X2002000100004.

Gomes BPFA, Vianna MEV, Zaia AA, Almeida JFA, Souza-Filho FJ, Ferraz CCR. Chlorhexidine in Endodontics. Brazilian Dental Journal. 2013;24(2):89-102. DOI:https://doi.org/10.1590/0103-6440201302188

Fiorentino FAM. Desenvolvimento e controle de qualidade de formulação cosmética contendo digluconato de clorexidina. Dissertação [Mestrado em Ciências Farmacêuticas] - Araraquara SP: UNESP - Universidade Estadual Julio de Mesquita Filho; 2009.

Hortense SR, Carvalho ES, Carvalho FS, Silva RPR, Bastos JRM, Bastos RS. Uso da clorexidina como agente preventivo e terapêutico na odontologia. Revista de odontologia da Universidade Cidade de São Paulo. 2010;22(2):178-84. DOI: 10.26843/ro_unicid.v22i2.414

Festuccia JMZ, Andrade Dd, Beraldo CC, Shimura CMN, Watanabe E. Staphylococcus aureus e a atividade in vitro da clorexidina. Rev Ciênc Farm Básica Apl. 2013;34(3):411-5.

Moreira ACA, Pereira MHQ, Porto MR, Rocha LAP, Nascimento BC, Andrade PM. Avaliação in vitro da atividade antimicrobiana de atissépticos bucais. R Ci med biol. 2009;8(2):153-61. DOI: 10.9771/cmbio.v8i2.4065

Costa EMMB, Barbosa AS, Arruda TA, Oliveira PT, Dametto FR, Carvalho RA, et al. Estudo in vitro da ação antimicrobiana de extratos de plantas contra Enterococcus faecalis. J Bras Patol Med Lab. 2010;46(3):175-80. DOI:https://doi.org/10.1590/S1676-24442010000300004

Publicado
2020-06-30
Seção
Artigos