Initial Growth of Seedlings of Diferent Pineapple Cultivars in Boa Vista, RR

  • Deyse Cristina Oliveira da Silva Universidade Federal de Roraima. RR, Brasil.
  • Sandra Catia Pereira Uchôa Universidade Federal de Roraima. RR, Brasil.
  • José Maria Arcanjo Alves Universidade Federal de Roraima. RR, Brasil.
  • Valdinar Ferreira Melo Universidade Federal de Roraima. RR, Brasil.
  • Cineone Nascimento da Silva Universidade Federal de Roraima, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Agronomia. RR, Brasil.
  • Glauber Ferreira Barreto Universidade Federal de Roraima, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Agronomia. RR, Brasil.

Resumo

Atualmente, no Brasil, o cultivo do abacaxizeiro, em escala comercial, é quase que exclusivamente com as cultivares Smooth Cayenne e Pérola, no entanto, ambas são suscetíveis a fusariose. A inserção de novas cultivares, com aceitação no mercado de exportação e resistente à fusariose é imprescindível para o sucesso da cultura. O objetivo deste estudo foi avaliar o desenvolvimento vegetativo precoce de cinco cultivares de abacaxi derivadas de micropropagação (BRS Ajubá, BRS Imperial, IAC Fantástico, Pérola e BRS Vitória). As mudas foram produzidas e aclimatizadas no Laboratório de Biotecnologia Biomudas, localizado em Venda Nova do Imigrante – ES, sendo posteriormente transportadas para Boa Vista, RR para implantação do experimento, onde foram conduzidas à casa de vegetação, sob condições climáticas controladas. Utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado, em esquema de parcelas subdivididas, sendo cinco cultivares de abacaxizeiro (BRS Ajubá, IAC Fantástico, BRS Imperial, Pérola e BRS Vitória), oriundas de micropropagação, aleatorizadas nas parcelas e cinco épocas de avaliação (30, 60, 90, 120 e 150 dias após o transplantio - DAT) nas subparcelas, com quinze repetições. As variáveis de desenvolvimento vegetativo avaliadas foram: altura da planta, diâmetro da roseta, número de folhas, comprimento e largura de folha ”D”, além da percentagem de sobrevivência, ao final do experimento. As cultivares IAC Fantástico e Pérola apresentaram maior desenvolvimento vegetativo em relação à BRS Ajubá, BRS Imperial e BRS Vitória. As cultivares IAC Fantástico e Pérola, em razão da maior precocidade, podem ser transplantadas para local definitivo a partir de 30 DAT das mudas em casa de vegetação, as demais cultivares requerem 150 DAT.

Palavras-chave: Aclimatação de Plantas. Crescimento de Mudas. Cultivo in vitro. Fruticultura. Micropropagação de Plantas.

 

Abstract

Currently, the commercial pineapple cultivation in Brazil relies almost exclusively on the cultivars Smooth Cayenne and Pérola. However, both are susceptible to fusariosis. Develment of new cultivars, that are both acceptable to the export market and resistant to fusariosis, is essential for the continued crop success. The objective of this study was to evaluate early vegetative development of five micropropagation-derived pineapple cultivars (BRS Ajubá, BRS Imperial, IAC Fantástico, Pérola and BRS Vitória). Seedlings were produced and acclimatized at the Biomudas Biotechnology Laboratory, Venda Nova do Imigrante, Espírito Santo, Brazil, and were then transported to Boa Vista, Roraima, for the experiments. Here they were placed in a greenhouse under controlled climatic conditions and a completely randomized design implemented, using a subdivided plots scheme, with the micro-porpergation generated seedlings. Location randomized within plots, and evaluation running for five different periods (30, 60, 90, 120 and 150 days after transplant - DAT) in the subplots, with fifteen replicates. Evaluated vegetative development variables weere: plant height, rosette diameter, number of leaves, "D" leaf length and width, as well as percentage survival at experiment end. Cultivars IAC Fantástico and Pérola showed greater vegetative development than BRS Ajubá, BRS Imperial and BRS Vitória. The cultivars IAC Fantástico and Pérola, due to their greater precocity, can be transplanted to a final growth location 30 days after seedling transplantion into a greenhouse, while other cultivars require 150 DAT occur.

Keywords: Plants Acclimation . Seedlings Growth. In vitro Cultivation. Fruit Growing. Pineapple Micropropagation .

 

 

Biografia do Autor

Sandra Catia Pereira Uchôa, Universidade Federal de Roraima. RR, Brasil.

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Ceará (1987), mestrado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal do Ceará (1991), doutorado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal de Viçosa (1998) e Pós-doutorado em Qualidade de Solo pela Universidade de Santiago de Compostela, Espanha. Professora Titular, lotada no Departamento de Solos e Engenharia Agrícola da Universidade Federal de Roraima. Vinculada ao programa de Pós-graduação em Agronomia (POSAGRO), sendo orientadora de mestrado e doutorado. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas. Editora da Revista Agro@mbiente On-line e Editora de Seção da Revista Ciência Agronômica.

José Maria Arcanjo Alves, Universidade Federal de Roraima. RR, Brasil.

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Ceará (1987), mestrado em Agronomia (Fitotecnia) pela Universidade Federal do Ceará (1991) e doutorado em Fitotecnia (Produção Vegetal) pela Universidade Federal de Viçosa (1998). Atualmente é professor Titular da Universidade Federal de Roraima. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Manejo e Tratos Culturais, atuando principalmente com as seguintes culturas: mandioca, feijão-caupi, milho e abacaxi. É professor orientador do Programa de Pós-graduação em Agronomia (POSAGRO- UFRR) mestrado e doutorado. Tutor do Programa de Educação Tutorial do curso de Agronomia (PET-Agro) da UFRR. Editor Adjunto da Revista Agro@mbiente On-line e Editor de Seção da Revista Ciência Agronômica.

Valdinar Ferreira Melo, Universidade Federal de Roraima. RR, Brasil.

Possui Graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Piauí (1988), Mestrado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal do Ceará (1993) e Doutorado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal de Viçosa (2003). Atualmente é Professor Titular da Universidade Federal de Roraima. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Manejo e Conservação do Solo, atuando principalmente nos seguintes temas: Manejo de Solos, Matéria Orgânica do Solo, Solos de Roraima, Propriedades do solo, Indicadores de Qualidade do Solo e Uso do solo. É professor fundador do Programa de Mestrado em Agronomia da UFRR. Pós doutorado na Kansas State University, Kansas, USA, período abril 2011 a fevereiro de 2012, onde desenvolveu trabalho com ênfase nos indicadores de qualidade do solo em sistemas agrícolas, em ambiente de savana e floresta do estado de Roraima. Faz parte como autor de capítulo do Livro: Agricultura Conservacionista no Brasil, agraciado como o premiado Jabuti 2015 na na categoria meio ambiente.

Cineone Nascimento da Silva, Universidade Federal de Roraima, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Agronomia. RR, Brasil.

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Roraima (2017). Atualmente, Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Universidade Federal de Roraima (POSAGRO/UFRR) - Aréa de Concentração Produção Vegetal. Durante a graduação foi bolsista do Programa de Iniciação Científica (PIC) por 3 anos. Tem experiência na área de Manejo de grandes culturas, atuando principalmente nos seguintes temas: Fertilidade do solo e nutrição de plantas, com ênfase nas culturas: abacaxi, arroz irrigado e mandioca.

Glauber Ferreira Barreto, Universidade Federal de Roraima, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Agronomia. RR, Brasil.

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Roraima (2017). Atualmente, é Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Universidade Federal de Roraima (POSAGRO/UFRR) - Aréa de Concentração Produção Vegetal. Tem experiência na área de Manejo de grandes culturas, atuando principalmente nos seguintes temas: Grandes culturas e fruticultura, com ênfase nas culturas: abacaxi, milho, feijão, soja e mandioca.

Referências

ANUÁRIO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA 2018. Santa Cruz do Sul: Editora Gazeta, 88 p, 2018.

http://www.editoragazeta.com.br/anuario-brasileiro-da-fruticultura-2018/

AZEVEDO, P. V. et al. Walter requirements of pineapple crop grown in a tropical environment, Brazil. Agric Water Manag, v. 88, n. 1-3, p. 201-208, 2007.

https://doi.org/10.1016/j.agwat.2006.10.021

CARDOSO, M. M. et al. Crescimento do abacaxizeiro ‘vitória’ irrigado sob diferentes densidades populacionais, fontes e doses de nitrogênio. Rev. Bras. Frutic., v. 35, n. 3, p. 769-781, 2013.

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452013000300014

COELHO, R. I. et al. Resposta à adubação com ureia, cloreto de potássio e ácido bórico em mudas do abacaxizeiro ‘Smooth Cayenne’. Rev. Bras. Frutic., v. 29, n. 1, p. 161-165, 2007.

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452007000100033

CRESTANI, M. et al. Das Américas para o Mundo - origem, domesticação e dispersão do abacaxizeiro. Cienc. Rural, v. 40, n. 6, p. 1473-1483, 2010.

http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782010000600040

FAO – Food and Agriculture Organization of the United Nations. FAOSTAT - Production. (2016).

http://faostat3.fao.org/faostat-gateway/go/to/download/Q/*/E

GUARÇONI M., A.; VENTURA, J. A. Adubação N-P-K e o desenvolvimento, produtividade e qualidade dos frutos do abacaxi 'Gold' (MD-2). Rev. Bras. Cienc. Solo, v.35, p.1367-1376, 2011.

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832011000400031

FERREIRA, D. F. Sisvar: a guide for its bootstrap procedures in multiple comparisons. Cienc Agrotec, v. 38, n. 2, p. 109-112, 2014.

http://dx.doi.org/10.1590/S1413-70542014000200001

HOPKINS, W. Plant biotechnology: The Green World Series. In: Chelsa House (Eds), New York: Infobase Publishing, p. 36-39, 2007.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Levantamento sistemático da produção agrícola. (2018).

https://sidra.ibge.gov.br/home/lspa/brasil

MATOS, A. P. et al. Integrated Management of Fusariosis in Pineapple Fields under Integrated Production System. Acta Hortic., v. 822, p. 199-204, 2009.

http://dx.doi.org/ 10.17660/ActaHortic.2009.822.24

MELÃO, A. V. et al. Caracterização agronômica e divergência genética entre acesso de abacaxizeiro nas condições do estado do Mato Grosso. Rev. Bras. Frutic., v. 37, p. 952-960, 2015.

http://dx.doi.org/10.1590/0100-2945-218/14

OLIVEIRA, A. M. G. et al. Adubação N-K no abacaxizeiro ‘BRS-Imperial’: Efeito no desenvolvimento e na floração da planta. Rev. Bras. Frutic., v. 37, n. 3, p. 755-763, 2015.

http://dx.doi.org/10.1590/0100-2945-023/14

POMMER, C.V.; BARBOSA, W. The impacto f breeding on fruit production in warm climates of Brazil. Rev. Bras. Frutic., v. 31, n. 2, p. 612-634, 2009.

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452009000200043

RODRIGUES, A. A. et al. Desenvolvimento vegetativo de abacaxizeiros ‘Pérola’ e ‘Smooth Cayenne’ no estado da Paraíba. Rev. Bras. Frutic., v. 32, n. 1, p. 126-134, 2010.

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452010005000031

SAMPAIO, A. C.; FUMES, T. F.; LEONEL, L. Crescimento vegetativo e características dos frutos de cinco cultivares de abacaxi na região de Bauru- SP. Rev. Bras. Frutic., v. 33, n. 3, p. 816-822, 2011.

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452011005000101

SIEBENEICHLER, S. C.; MONNERAT, P. H.; SILVA, J. A. Deficiência de boro na cultura do abacaxi 'Pérola'. Acta Amazon., v. 38, n. 4, p. 651-656, 2008.

http://www.scielo.br/pdf/aa/v38n4/v38n4a07.pdf

SPIRONELLO, A. Abacaxi. In: DONADIO. L.C. (Org.). História da fruticultura paulista. Jaboticabal: Sociedade Brasileira de Fruticultura, 400p. 2010.

SILVA, A. L. P. et al. Resposta do abacaxizeiro ‘Vitória’ a doses de nitrogênio em solos de tabuleiros costeiros da Paraíba. Rev. Bras. Frutic., v. 36, n. 2, p. 447-456, 2012.

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832012000200014

VENTURA, J. A.; COSTA, H.; CAETANO, L. C. S. Abacaxi 'vitória': uma cultivar resistente à fusariose. Rev. Bras. Frutic., v. 31, n. 4, p. 931-1233, 2009.

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452009000400001

Publicado
2020-05-27
Seção
Artigos