Ação dos Neurotransmissores Envolvidos na Depressão

  • Julia Pickina Diniz Centro Universitário Filadélfia. PR, Brasil.
  • Solange Aparecida de Oliveira neves Unopar, PR, Brasil. Centro Universitário Filadélfia. PR, Brasil.
  • Milene Leivas Vieira Centro Universitário Filadélfia. PR, Brasil.

Resumo

Presente em cerca de 300 milhões de pessoas, a depressão é um transtorno do humor (TH) que afeta cada vez mais a população, sendo causa de diversas mortes, como as decorrentes de suicídio. Existem algumas hipóteses para a origem desse TH, como aquelas que envolvem as aminas biológicas, ou seja, os neurotransmissores norepinefrina e 5-hidroxitriptamina (serotonina). Sendo assim, o objetivo desta revisão bibliográfica foi descrever as características desses neurotransmissores, que estão envolvidos na depressão. Para a realização deste estudo, foi realizada uma busca de artigos dos últimos cinco anos nas bases de dados: PubMed, SciELO e Lilacs, possibilitando uma pesquisa bibliográfica narrativa. A norepinefrina (NE) é obtida a partir da descarboxilação de L-tirosina, possuindo como funções o estado de alerta, memória, ansiedade e humor. A 5-hidroxitriptamina (5-HT) é obtida a partir da descarboxilação de L-triptofano e tem como funções a vasoconstrição, regulação hormonal e ação contra a depressão. Desse modo, a NE e 5-HT em níveis reduzidos no sistema nervoso podem levar a distúrbios do humor, incluindo os quadros depressivos, além de outras alterações fisiológicas. Considera-se, assim, a importância de um melhor estudo sobre a fisiopatologia da depressão, para que seja possível o aprimoramento do conhecimento dessa, para se buscar tratamentos que sejam mais efetivos.

 

Palavras-chave: Transtorno Depressivo. Norepinefrina. Serotonina

 

Abstract

Present in about 300 million people, depression is a mood disorder (HT) that increasingly affects the population, causing several deaths, resulting from suicide. There are some hypotheses for HTorigin, such as those involving the biological amines, i.e. neurotransmitters norepinephrine and 5-hydroxytryptamine (serotonin). Thus, the aim of this literature review was to describe the characteristics of these neurotransmitters that are involved in depression. For this study, a search of articles from the last five years was performed in PubMed, SciELO and Lilacs databases, enabling a narrative bibliographic search. Norepinephrine (NE) is obtained by decarboxylation of L-tyrosine, having as functions alertness, memory, anxiety and mood. 5-Hydroxytryptamine (5-HT) is obtained from decarboxylation of L-tryptophan and its functions are vasoconstriction, hormonal regulation and action against depression. Thus, reduced levels of NE and 5-HT in the nervous system can lead to mood disorders, including depressive conditions, and other physiological changes. Thus, the importance of a better study on the  depression  pathophysiology is considered, so that it is possible to improve its knowledge, to seek more effective treatments.

 

Keywords: Depressive Disorder. Norepinephrine. Serotonin.

Referências

ALMADA, L. F; BORGES, M. F, MACHADO, S. E. C. Considerações Neurobiológicas sobre a Depressão Maior. Rev. Psicologia, v. 17, n. 26, p. 111-124, 2014.

ANIBAL, C.; ROMANO, L.H. Relações entre a atividade física e depressão: estudo de revisão. Rev. Saúde em Foco, n. 9, p.190-199, 2017.

BARROSO, S.; MELO, A.P.; GUIMARÃES, M.D.C. Factors associated with depression: sex differences between residents of Quilombo communities. Rev. Bras. Epidemiol., [s.l.], v. 18, n. 2, p.503-514, jun. 2015. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1980-5497201500020017.

CAMPOS, J. R.; DEL PRETTE, A.; DEL PRETTE, Z. A. P. Depressão na adolescência: habilidades sociais e variáveis sociodemográficas como fatores de risco/proteção. Estud. Pesqui. Psicol. Rio de Janeiro, v.14, n.2, p. 408-428, ago. 2014.

CHESLACK-POSTAVA, K. et al. Oral contraceptive use and psychiatric disorders in a nationally representative sample of women. Archives of Women’s Mental Health, v.18, n.1, p.103–111. 2015. doi: 10.1007/s00737-014-0453-4

COUTINHO, M.E.M. et al. Aspectos biológicos e psicossociais da depressão relacionado ao gênero feminine. Rev. Bras. Neurol. e Psiquiatr. v.19, n. 1, p.49-57, 2015.

COWEN, P.J.; BROWNING, M.. What has serotonin to do with depression? World Psychiatry, [s.l.], v. 14, n. 2, p.158-160, jun. 2015. Wiley. http://dx.doi.org/10.1002/wps.20229.

DALE, E; BANG-ANDERSEN, B.; SÁNCHEZ, C. Emerging mechanisms and treatments for depression beyond SSRIs and SNRIs. Biochemical phasmacology, v. 95, n. 2, p. 81-97, 2015. http://dx.doi.org/10.1016/j.bcp.2015.03.011

Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM-V). American Psychiatric Association. 5ed. 2014. Disponível em: <https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/254610/WHO-MSD-MER-2017.2-eng.pdf?sequence=1>. Acessado em: 18/02/2019 as 23h:10min.

EHRENWORTH, A.M.; CLAIBORNE, T.; PERALTA-YAHYA, P. Medium-Throughput Screen of Microbially Produced Serotonin via a G-Protein-Coupled Receptor-Based Sensor. Biochemistry, v. 56, n. 41, p.5471-5475, 28 ago. 2017. American Chemical Society (ACS). http://dx.doi.org/10.1021/acs.biochem.7b00605.

EPPERSON, C. N.; KIM, D. R.; BALE, T.L. Estradiol Modulation of Monoamine Metabolism. Jama Psychiatry, [s.l.], v. 71, n. 8, p.869-870, 1 ago. 2014. American Medical Association (AMA). http://dx.doi.org/10.1001/jamapsychiatry.2014.729

FEINSTEIN, D.L.; KALININ, S.; BRAUN, D. Causes, consequences, and cures for neuroinflammation mediated via the locus coeruleus: noradrenergic signaling system. Journal Of Neurochemistry, [s.l.], v. 139, p.154-178, 10 mar. 2016. Wiley. http://dx.doi.org/10.1111/jnc.13447.

FERREIRA, A. S. et al. Prevalência de Ansiedade e Depressão em Pacientes Oncológicos e Identificação de Variáveis Predisponentes. Rev. Bras. Cancerol., v.62, n. 4, p. 321-328, 2016. http://dx.doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2016v62n4.159

FERREIRA, R.C.; GONÇALVES, C.M.; MENDES, P.G. Depressão: do Transtorno ao Sintoma. Psicologia.PT o portal dos psicólogos, Minas Gerais, 2014. Disponível em: <https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0828.pdf>. Acessado em: 01/10/2019 as 21h:45min.

GONÇALVES, A.M.C. et al. Prevalência de depressão e fatores associados em mulheres atendidas pela Estratégia de Saúde da Família. J. Bras. Psiquiatr., v. 67, n. 2, p. 101-109, 2018. http://dx.doi.org/10.1590/0047-2085000000192.

GROLLI, V.; WAGNER, M. F.; DALBOSCO, S. N. P.. Sintomas Depressivos e de Ansiedade em Adolescentes do Ensino Médio. Rev. Psicol. Imed, [s.l.], v. 9, n. 1, p.87-103, 14 nov. 2017. http://dx.doi.org/10.18256/2175-5027.2017.v9i1.2123.

GUYTON, A. C.; HALL, J. E Guyton & Hall Fundamentos de Fisiologia Médica. 13ed. Rio de Janeiro, Elsevier, p. 1176, 2016.

HAASE, J.; BROWN, E. Integrating the monoamine, neurotrophin and cytokine hypotheses of depression — A central role for the serotonin transporter? Pharmacology & Therapeutics, [s.l.], v. 147, p.1-11, mar. 2015. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.pharmthera.2014.10.002.

KAMAL, S.; LAPPIN, S.L. Biochemistry, Catecholamine Degradation. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2019 Jan. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK545235/>. Acessado em: 25/08/2019 as 13h:56min.

LIMA, A. M. P. et al. Depressão em idosos: uma revisão sistemática da literatura. Rev. Epidemiol. Controle Infecç., Santa Cruz do Sul, v.6, n.2, p.97-103, 2016. http://dx.doi.org/10.17058/reci.v6i2.6427.

LUCCHESE, R. et al. Common mental disorder among alcohol and drug abusers: a cross-sectional study. Texto & Contexto - Enfermagem, v. 26, n. 1, p.1-7, 2017. http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072017004480015.

MEDEIROS, M. F. A perda de memória na menopausa devido à supressão do efeito neuroprotetores dos estrogênio: uma revisão bibliográfica. Rev. Estácio Saúde, vol. 8, n.2, p. 57-64, 2019.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Depressão: causas, sintomas, tratamentos, diagnóstico e prevenção. Disponível em: < http://saude.gov.br/saude-de-a-z/depressao>. Acesso em: 09/10/2019.

National Institute of Mental Health. 2016. Disponível em: <https://www.nimh.nih.gov/health/publications/depression/index.shtml>. Acessado em: 16/02/2019 as 12h:58min.

NETO, M. G. F; ANDRADE. R. D.; FELDEN, É. P. G. Trabalho na agricultura: possível associação entre intoxicação por agrotóxicos e depressão. Rev. Perspect. Ci. e Saúde, v.3,n.1, p.69-82, 2018.

NÓBREGA, I. R. A. P da et al. Fatores Associados à depressão em idosos institucionalizados: revisão integrativa. Revista Saúde Debate, v. 39, n. 105, p. 536-550, 2015. http://dx.doi.org/10.1590/0103-110420151050002020.

O’MAHONY, S.M. et al. Serotonin, tryptophan metabolism and the brain-gut-microbiome axis. Behavioural Brain Research, v. 277, p.32-48, jan. 2015. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.bbr.2014.07.027.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DE SAÚDE (OPAS). Aumenta o número de pessoas com depressão no mundo. 2017. Disponível em: <https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5354:aumenta-o-numero-de-pessoas-com-depressao-no-mundo&Itemid=839 >. Acessado em: 16/02/2019 as 18h:45min.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DE SAÚDE (OPAS). Depressão: o que você precisa saber. 2016-2017. Disponível em: <https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5372:depressao-o-que-voce-precisa-saber&Itemid=822>. Acessado em: 09/02/2019 as 11h:53min.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DE SAÚDE (OPAS). Folha Informativa – Depressão. 2018. Disponível em: <https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5635:folha-informativa-depressao&Itemid=1095>. Acessado em: 20/07/2019 as 15h:21min.

PAJĄK, M. et al. The chemo- enzymatic synthesis of labeled l-amino acids and some of their derivatives. Journal Of Radioanalytical And Nuclear Chemistry, v. 317, n. 2, p.643-666, 30 maio 2018. Springer Science and Business Media LLC. http://dx.doi.org/10.1007/s10967-018-5932-z

PARAVATI, S.; WARRINGTON, S.J. Physiology, Catecholamines. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2019 Jan. Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK507716/>. Acessado em: 05/07/2019 as 14h:12min.

PAULA, J. A. de et al . Prevalência e fatores associados à depressão em estudantes de medicina. Rev. bras. crescimento desenvolv. hum., São Paulo , v. 24, n. 3, p. 274-281, 2014.

RAMOS, F. P. et al. Fatores associados à depressão em idoso. Rev. Eletrônica Acervo Saúde, [s.l.], v. 9, n. 19, jan. 2019. http://dx.doi.org/10.25248/reas.e239.2019.

RANG, H. P. et al. Rang & Dale. Farmacologia. 8ª edição. Rio de Janeiro, Elsevier, p. 784, 2016.

ROSA, I.S.S.; CAVALCANTE, M.S.; TERRA JUNIOR, A.T. Breve relato dos antidepressivos tricíclicos, incluindo o efeito terapêutico do cloridrato de bupropiona. Rev. Científica Faema, [s.l.], v. 9, n. , p.551-558, 15 jun. 2018. Revista FAEMA. http://dx.doi.org/10.31072/rcf.v9iedesp.633

RUFINO, S. et al. Aspectos Gerais, Sintomas e Diagnóstico da Depressão. Rev. Saúde em Foco, n. 10, 2018.

SARRIS, J. et al. Lifestyle medicine for depression. Bmc Psychiatry, v. 14, n. 1, p.1-13, 10 abr. 2014. Springer Nature. http://dx.doi.org/10.1186/1471-244x-14-107.

SILVERTHORN, Dee U. Fisiologia humana: uma abordagem integrada. 7ed. Porto Alegre: Artmed, p. 960, 2017.

SEMEDO, D. C. et al. Fatores Associados a Depressão e os Cuidados de Enfermagem no Idoso. Rev. de Enfermagem, vol. 12, n. 12, p. 101-113, 2016.

SOARES, M. L. B.; BATISTA, M. S. N.; SOUSA, M. N. A. de. Benefícios da Terapia de Reposição Hormonal Oral na Qualidade de Vida de Mulheres Climatéricas. Rev. Ciência e Desenvolvimento, [s.l.], v. 12, n. 2, p.285-299, 2019. http://dx.doi.org/10.11602/1984-4271.2019.12.2.4.

SOUSA, M.B.C. de; SILVA, H.P.A.; GALVÃO-COELHO, N.L.. Resposta ao estresse: I. Homeostase e teoria da alostase. Estudos de Psicologia, [s.l.], v. 20, n. 1, p.1-10, 2015. GN1 Genesis Network. http://dx.doi.org/10.5935/1678-4669.20150002

STOPA, S. R. et al. Prevalência do autorrelato de depressão no Brasil: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Rev. Bra. Epidemiol., v. 18, n. 2, p.170-180, dez. 2015.http://dx.doi.org/10.1590/1980-5497201500060015.

TAO, S. et al. TPH-2 Gene Polymorphism in Major Depressive Disorder Patients With Early-Wakening Symptom. Front Neurosci., v. 12, n. 827, 2018. doi:10.3389/fnins.2018.00827

VEDOVATO, K. et al. O eixo intestinocérebro e o papel da serotonina. Arq. Ciênc. Saúde Unipar, Umuarama, v. 18 n. 1, p. 33-42, jan./abr. 2014. https://doi.org/10.25110/arqsaude.v18i1.2014.5156.

WRAY, N. R. et al. Genome-wide association analyses identify 44 risk variants and refine the genetic architecture of major depression. Nature Genetics, v. 50, n. 5, p.668-681, 26 abril. 2018. Springer Nature. http://dx.doi.org/10.1038/s41588-018-0090-3.

World Health Organization (WHO). CID-10 Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde. 10a rev. São Paulo: Universidade de São Paulo, vol.1 e 2, 1998.

World Health Organization (WHO). Depression and Other Common Mental Disorders – Global Health Estimates. 2017. Disponível em: <https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/254610/WHO-MSD-MER-2017.2-eng.pdf?sequence=1>. Acesso em: 18/02/2019 as 08h:36min.

Publicado
2020-12-02
Seção
Artigos