Agroecologia: Perspectivas e Desafios para a Agricultura Familiar

  • Larisse Medeiros Gonçalves Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Agronomia. PR, Brasil.
  • Caroline Viganó Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Desenvolvimento Regional. PR, Brasil.
  • Chaiane Renata Grigolo Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Agronomia. PR, Brasil.
  • Pedro Henrique da Silva Monteiro Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Agronomia. PR, Brasil.
  • Thiago de Oliveira Vargas Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Doutor e docente efetivo em Agronomia. PR, Brasil.
  • Wilson Itamar Godoy Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Doutor e docente efetivo em Agronomia. PR, Brasil.

Resumo

Embora a produção sustentável e a agroecologia tenham relevância e vasta quantidade de artigos, há insuficiência de materiais sistemáticos que auxiliem no emprego operativo das características sustentáveis na produção. Esse trabalho traz uma base conceitual que direciona para a sistematização pragmática, no que diz respeito à produção orgânica, por meio de uma revisão bibliográfica. A produção de alimentos em sistemas agroecológicos tem por princípios a adoção de práticas de uso saudável e consciente dos recursos naturais. A produção de orgânicos no Brasil vem apresentando crescimento significativo. Esse avanço está sendo possível devido ao modelo diversificado dos mecanismos de controle de qualidade para produtos de origem ecológica, uma vez que há maior acesso para o registro dos mesmos. Porém, o setor enfrenta várias dificuldades, como problemas de logística, processos burocráticos na certificação e déficit de insumos, além de carência de informações técnicas. Para que tais barreiras sejam superadas, investimentos em pesquisas científicas para aprimorar as técnicas de produção e estratégias de marketing para promoção dos alimentos orgânicos são recursos indispensáveis para o avanço do sistema. Além disso, o governo deve desenvolver políticas para ampliação da produção, oferta e consumo de produtos orgânicos para fortalecer e incentivar tal modelo produtivo.

 

Palavras-chaves: Alimentos Orgânicos. Certificação. Sistemas Agroecológicos, Desenvolvimento Rural Sustentável.

 Abstract

Although sustainable production and agroecology have relevance and a vast number of articles, there is a lack of systematic materials that assist in the operational use of sustainable characteristics in production. This work provides a conceptual basis that leads to pragmatic systematization, regarding organic production, through a bibliographic review. The food production in agroecological systems is based on the adoption of healthy and conscious use of natural resources practices. Organic production in Brazil has been showing significant growth. This progress is being made possible due to the diversified model of quality control mechanisms for ecological origin products, since there is greater access to their registration. However, the sector faces several difficulties, such as logistical problems, bureaucratic processes in certification and deficit of inputs, in addition to a lack of technical information. For these barriers to be overcome, investments in scientific research to improve production techniques and marketing strategies for promoting organic food are indispensable resources for the system advancement. In addition, the government must develop policies to expand the production, supply and consumption of organic products to strengthen and encourage such a productive model. 

 

Keywords: Organic Food. Certification. Agroecological Systems. Sustainable Rural Development.

 

Referências

ABRAMOVAY, R.; MAGALHÃES, R.; SCHRODER, M. Representatividade e inovação na governança dos processos participativos: o caso das organizações brasileiras de agricultores familiares. Sociologias, Porto Alegre, v. 12, n. 24, p. 268-306, maio/ago. 2010.

ANDRADE, I. C. de; SILVA, D. B. da; QUEIROZ CALEMAN, S. M. de. Análise da eficácia social de um programa de produção agroecológica destinado a pequenos produtores rurais. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, v. 12, n. 2, 2016.

AUBIN, L. O paradigma agroecológico e as crises da sociedade contemporânea: contribuições socioantropológicas na perspectiva da teoria mimética. Desenvolvimento e Meio ambiente, v. 41, 2017.

BERCHIN, I. I. et al. The contributions of public policies for strengthening family farming and increasing food security: The case of Brazil. Land Use Policy, v. 82, p. 573-584, 2019.

BRASIL. Lei nº 11.326, de 24 de julho de 2006. Estabelece as diretrizes para a formulação da Política Nacional da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais. Diário Oficial {da República Federativa do Brasil}, 2006.

BOMMARCO, R.; KLEIJN, D.; POTTS, S. G. Ecological intensification: harnessing ecosystem services for food security. Trends in ecology & evolution, v. 28, n. 4, p. 230-238. 2013.

BOMMARCO, R.; VICO, G.; HALLIN, S. Explorar os serviços ecossistêmicos na agricultura para aumentar a segurança alimentar. Global Food Security , v. 17, p. 57-63. 2018.

BAIARDI, A.; ALENCAR, C. M. M. de. Agricultura Familiar, seu Interesse Acadêmico, sua Lógica Constitutiva e sua Resiliência no Brasil. Piracicaba: SP, Vol. 52. Supl: 1, p. S045- S062. 2014.

BRASIL. Decreto Federal 6. 323, de 27 de dezembro de 2007: Regulamenta a Lei no 10.831, de 23 de dezembro de 2003, que dispõe sobre a agricultura orgânica, e dá outras providências.

COOLSAET, B. Towards an agroecology of knowledges: Recognition, cognitive justice and farmers’ autonomy in France. Journal of Rural Studies, v. 47, p. 165-171, 2016.

CUNHA, C. R. da et al. Agrobiodiversidade dos sistemas agroflorestais na Comunidade São Francisco na costa da terra nova em careiro da Várzea-Am. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-graduação em Agronomia Tropical da Universidade Federal do Amazonas. 2017.

D'AGOSTINI, L. R.; FANTINI, Alfredo Celso. Produção orgânica: também socialmente excludente. Agroecologia e desenvolvimento rural sustentável. 2002.

DALCIN, D. et al. Organic products in Brazil: from an ideological orientation to a market choice. British Food Journal, v. 116, n. 12, p. 1998-2015. 2014.

DINIZ, J.; ÁVILA, M.; NOGUEIRA, M. DOSSIE: Inovações para a valorização de produtos da agricultura familiar e do agroextrativismo no contexto do Cerrado. Sustentabilidade em Debate, v. 5, n. 3, p. 16-18. 2014.

DIRETO DA SERRA -ORGÂNICOS (São Paulo). Secretaria especial de agricultura familiar e do desenvolvimento agrário (comp.). Alimentos orgânicos: Brasil deverá ter recorde de produção em 2017. 2017. Fonte: secretaria especial de agricultura familiar e do desenvolvimento agrário. Disponível em: < http://www.diretodaserra.com.br/noticias/alimentos-organicos-brasil-devera-te-recorde-de-producao-em-2017.html >.Acessado em: 10/01/2019.

ECOVIDA. Histórico de participação da rede no marco regulatório da Lei Federal. 2018. Disponível em <http://ecovida.org.br/certificacao/>. Acesso em 20 de janeiro 2019.

FAO, Ifad. The state of food insecurity in the world, p. 80. 2014.

GLASBERGEN, P. Smallholders do not Eat Certificates on Global Sustainability Standards and Local Practices in Indonesia. Ecological Economics, v. 147, p. 243-252, 2018.

HALLMANN, C. A. et al. More than 75 percent decline over 27 years in total flying insect biomass in protected areas. PloS one, v. 12, n. 10, p. 809. 2017.

IFOAM. International Federation of Organic Agriculture Movements. Principles of Organic Agriculture. Preamble, In: Movement, I.F.O.O.A. (Ed.). 2016.

IFOAM. International Federation of Organic Agriculture Movements. Growth continues: 43.7 million hectares of organic agricultural land worldwide. 2018. Disponível em: < http://www.ifoam.bio/sites/default/files/press-releaseworld-2016-english.pdf >. Acesso em: 18 jun. 2018.

JAUNG, W.; PUTZEL, L.; NAITO, D. Can ecosystem services certification enhance brand competitiveness of certified products? Sustainable Production and Consumption, v. 18, p. 53-62, 2019.

KUDLAVICZ, M. Articulação Nacional de Agroecologia. Agroecologia: uma cunha cravada nas contradições do sistema capitalista, 2012. Disponível em: < http://www.agroecologia.org.br/2012/10/27/agroecologia-uma-cunha-cravada-nas-contradicoes-do-sistema-capitalista/ >. Acesso em: 15 janeiro 2019.

LACOMBE, C.; COUIX, N.; HAZARD, L. Designing agroecological farming systems with farmers: A review. Agricultural Systems, v. 165, p. 208-220, 2018.

LAMB, T. L. et al. Migrações de jovens rurais e formação superior: o caso da Universidade Federal da Fronteira Sul Campus Realeza–PR. Dissertação de Mestrado. UNIOESTE. 2017.

LESSA, A. Agroecologia, participação social e desenvolvimento sustentável. Revista de Políticas Públicas, v. 4, n. 1.2, p. 51-70, 2015.

LEFF, E. Ecologia, Capital e Cultural: a territorização da racionalidade ambiental. Petrópolis/Rio de Janeiro: Vozes, 2009.

LOURENÇO, A. V.; SCHNEIDER, S.; GAZOLLA, M. A agricultura orgânica no Brasil: um perfil a partir do censo agropecuário 2006. Extensão Rural, v. 24, n. 1, p. 42-61. 2017.

MARCON, T. Progresso, modernização e sustentabilidade: desafios para as políticas agrícolas. Olhar de Professor, v. 15, n. 1, p. 131-142, 2012.

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO. Plano safra da agricultura familiar 2017-2020: Fortalecer o campo para desenvolver o Brasil. Secretaria Especial de agricultura familiar e do desenvolvimento agrário. Casa Civil. Governo Federal. Disponível em: < http://www.mda.gov.br/sitemda/sites/sitemda/files/user_img_1684/3Baixa_Cartilha_Plano_Safra_2017.pdf. > Acesso em: 10/01/2019.

MAPA - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. 2009. Produtos orgânicos: o olho do consumidor. Brasília.

MENDES, D; ALVES, G. Produção orgânica: os caminhos e as dificuldades de uma alimentação mais saudável. 2017. Disponível em: < https://acifaacunesp.com/2017/09/15/producao-organica-os-caminhos-e-as-dificuldades-de-uma-alimentacao-mais-saudavel/. > Acesso em 25 de janeiro de 2019.

MORAES, M. D. de; OLIVEIRA, N. A. M.de. Desenvolvimento Socioeconômico em Debate, v. 3, n. 1, p. 19-37. 2017.

NEVES, D. P. A agricultura familiar e o claudicante quadro institucional. In: LOPES, E.S.A.; MOTA, D.M.; SILVA, T.E.M. (Org.). Ensaios: desenvolvimento rural e transformações na agricultura. Aracaju: Embrapa Tabuleiros Costeiros, Universidade Federal de Sergipe, 2002.

NYANTAKYI-FRIMPONG, H.; KANGMENNAANG, J.; KERR, R. B.; LUGINAAH, I.; DAKISHONI, L. et al. Agroecology and healthy food systems in semi-humid tropical Africa: Participatory research with vulnerable farming households in Malawi. Acta tropica, v. 175, p. 42-49, 2017.

OLIVEIRA, R. A. et al. Produção Orgânica de Citros no Rio Grande do Sul. EMBRAPA. Comunicado técnico. Brasil. 2011.

ORGANIS - Conselho Nacional da Produção Orgânica e Sustentável. Consumo de produtos orgânicos no Brasil. Relatório. 2017.

ORMOND, JGP; PAULA, SRL; FILHO, PF; ROCHA, LTM. Agricultura Orgânica: quando o passado é futuro. BNDS Setorial. Rio de Janeiro. 2002.

PINHEIRO, K. H. Produtos orgânicos e certificação: o estudo desse processo em uma associação de produtores do município de Palmeira-PR. Dissertação de Mestrado. Universidade Tecnológica Federal do Paraná. 2012.

SANTOS, B. S. Produzir para viver: os caminhos da produção não capitalista. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

SOUSA, R.; COELHO, R.; SILVA, F.; AZEVEDO, H. Núcleo de Estudos em Agroecologia: a construção de uma (re) ação na Amazônia paraense. Cadernos de Agroecologia, v. 11, n. 1, 2016.

TRICHES, R. M.; SCHABARUM, J. C.; GIOMBELLI, G. P. Demanda de produtos da agricultura familiar e condicionantes para a aquisição de produtos orgânicos e agroecológicos pela alimentação escolar no sudoeste do estado do paraná/Demand for products from family farms and conditions for the acquisition.. REVISTA NERA, n. 31, p. 91-110. 2016.

TUOMISTO, H. L. et al. Does organic farming reduce environmental impacts? A meta-analysis of European research. Journal of environmental management, v. 112, p. 309-320. 2012.

VIGANO, C. et al. Diagnóstico Acerca da Juventude Rural na Agricultura Familiar: Um Estudo no Município de Vitorino-PR. Cadernos Agroecológicos, v. 14, p. 56, 2019

WANDERLEY, M. de N. B. O Campesinato Brasileiro:uma história de resistência. Piracicaba- SP. Vol. 52, Supl: 1, p. S025-S044. 2014.

WACHTER, J. M.; REGANOLD, J. P. Organic agricultural production: plants. 2014. Encyclopedia of Agriculture and Food Systems. Pages 265–286. 2014.

WEZEL, A. et al. Agroecology as a science, a movement and a practice. In: Sustainable Agriculture Volume 2. Springer, Dordrecht. p. 27-43. 2011.

YU, X. et al. Advances of organic products over conventional productions with respect to nutritional quality and food security. Acta Ecologica Sinica, v. 38, n. 1, p. 53-60. 2018.

ZAMBERLAN, L. et al. O marketing de produtos orgânicos: um estudo exploratório a partir da opinião do consumidor. XXVIII Encontro Nacional De Engenharia De Produção. Rio de Janeiro, Brasil. 2008.

Publicado
2021-02-18
Seção
Artigos