Potencial de Bactérias para Biocontrole do Mofo Branco e Produção de Compostos Relacionados ao Sistema de Defesa em Plantas de Soja

  • Denise Pauletto Spanhol Universidade Federal de Viçosa, Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Defesa Sanitária Vegetal. MG, Brasil.
  • José Rogerio de Oliveira Universidade Federal de Viçosa, Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Fitopatologia. MG, Brasil.
  • Bianca Obes Corrêa Universidade Anhanguera UNIDERP, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional. MS, Brasil.
  • Ismail Teodoro de Souza Junior Universidade Federal de Pelotas, Programa de Pós-graduação em Fitossanidade, RS, Brasil.
  • Marcelo Vedovatto Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Curso de Graduação em Zootecnia. MS, Brasil.
  • Hélvio Gledson Maciel Ferraz Universidade Federal de Viçosa, Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Fitopatologia. MG, Brasil.
  • Marlos Dornas Universidade Anhanguera UNIDERP, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Produção e Gestão Agroindustrial. MS, Brasil.
  • Rosemary Matias Universidade Anhanguera Uniderp, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional. MS, Brasil.

Resumo

O presente estudo teve como objetivo avaliar o potencial de bactérias, na promoção de crescimento, produção de compostos de defesa e no biocontrole do mofo branco em folhas destacadas de duas cultivares de soja. Os ensaios foram realizados com as bactérias antagonistas FIT09 (Bacillus cereus) e FIT62 (B. thuringensis), do fungo Sclerotinia sclerotiorum e com as cultivares de soja M6210 IPRO e Brasmax Garra IPRO. Nos ensaios in vivo foram avaliados a capacidade das bactérias na promoção do crescimento de plantas de soja e na constituição dos compostos secundários produzidos pelas plantas oriundas de sementes microbiolizadas com suspensões bacterianas. Além disso, os ensaios de biocontrole do mofo branco, foram realizados com folhas destacadas em estádio V3, as quais foram pulverizadas com as suspensões das bactérias FIT09 e FIT62. As bactérias FIT09 e FIT62 apresentaram compatibilidade com B. japonicum e no ensaio de biocontrole com folhas destacadas, verificou-se que a FIT 09 reduziu o diâmetro das lesões necróticas causadas por S. sclerotiorum em ambas cultivares de soja avaliadas em teste de folhas destacadas. No ensaio de promoção de crescimento, as bactérias aumentaram o poder germinativo na cultivar M6210 IPRO. Para a avaliação da análise fitoquímica, as bactérias auxiliaram positivamente na produção dos compostos relacionados ao sistema de defesa.

Palavras-chave: Metabólitos Secundários. Fitoquímica. Sclerotinia sclerotiorum. Bacillus, Glycine max

 

Abstract

The present study aimed to evaluate the potential of bacteria, in the promotion of growth, production of compounds of defens, and in the biocontrol of white mold in detached leaves of two soybean cultivars. The tests were performed with the antagonist bacteria FIT09 (Bacillus cereus) and FIT62 (B. thuringensis), with the fungus Sclerotinia sclerotiorum and with the soybean cultivars M6210 IPRO and Brasmax Garra IPRO. In vivo tests evaluated the capacity of bacteria to promote the growth of soybean plants and the constitution of secondary compounds produced by plants from microbiolized seeds with bacterial suspensions. In addition,  white mold biocontrol bioassays were carried out with detached leaves in stage V3 and they were sprayed with suspensions of the bacteria FIT09 and FIT62.The bacteria FIT09 and FIT62 were compatible with B. japonicum and in the biocontrol assay with detached leaves, it was found that FIT09 promoted superior control of 70% against the disease in both cultivars, however the disease did not manifest in the assay in plants. In the growth promotion test, the bacteria increased the germinative power in cultivar M6210 IPRO, for the assessment of fresh and dry mass there were no differences and for phytochemical analysis, the bacteria positively helped in the production of compounds related to the defense system.

 

Keywords: Secondary Metabolites. Phytochemistry, Sclerotinia sclerotiorum. Bacillus, Glycine max

Publicado
2020-12-02
Seção
Artigos