Genetic Pattern of Dental Caries in Families from a City in Southern Brazil

  • Mayara Delfino Sentone Rossato Unopar, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Odontologia. PR, Brasil.
  • Adriana Proença Unopar, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Odontologia. PR, Brasil.
  • Sandra Maciel Universidade Estadual de Maringá, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Odontologia. PR, Brasil.
  • Regina Poli-Frederico Unopar, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Odontologia. PR, Brasil.

Resumo

Fatores genéticos desempenham um importante papel na susceptibilidade à carie dentária na população. O objetivo deste estudo foi investigar, por meio da análise de segregação complexa (ASC), o padrão intergeracional da ocorrência da cárie dentária em famílias brasileiras. O estudo foi epidemiológico genético, observacional e transversal. A amostra foi constituída de 21 famílias que exibiam altos níveis de cárie (CPOD>4.5). Os participantes passaram por avaliação bucal, sendo que a cárie dentária foi registrada de acordo com o índice CPOD (dente cariado, perdido e obturado), seguindo as diretrizes da Organização Mundial de Saúde, bem como a presença de gengivite foi avaliada utilizando o índice de sangramento gengival. Foi aplicado um questionário para identificação dos fatores socioenconômicos e práticas de saúde bucal. Análises de regressão linear simples e múltipla foram realizadas para testar a associação entre cárie dentária e as variáveis independentes. A significância estatística foi considerada no nível de 5%, a ASC foi interpretada pelo programa S.A.G.E. A prevalência de cárie foi de 89,2%. Na análise múltipla, apenas a gengivite permaneceu associada (p = 0,005). A análise visual dos genogramas identificou um padrão familiar que sugere a predominância do modelo autossômico dominante. A frequência do alelo de resistência "A" foi estimada em 0,22. O valor médio de cárie foi de 1,35 para os genótipos AA e AB e de 3,95 para o BB. Os resultados do presente estudo fornecem evidências da presença de um gene importante com efeito dominante no controle do desenvolvimento de cárie dentária dentro da mesma família.

 

Palavras-chave: Cárie Dentária. Epidemiologia Genética. Reabilitação Oral. Susceptibilidade.

Abstract

Genetic factors may play an important role in the susceptibility to dental caries of the human population. The objective of this study was to investigate, by means of complex segregation analysis (CSA), the intergeneration pattern in the occurrence of caries in Brazilian families. This was a cross-sectional, observational genetic epidemiological study. The sample consisted of 21 families whose probands exhibited high levels of caries (DMFT>4.5). All participants underwent an oral examination. Dental caries was recorded according to the DMFT index (decayed, missing, and filled teeth), according to World Health Organization guidelines and the presence of gingivitis was assessed by using the gingival bleeding index. A questionnaire was applied to identify the sociodemographic profile and practices on oral health. Simple and multiple linear regression analysis were performed to test the association between dental caries and the independent variables. Statistical significance was considered at the 5% level. The S.A.G.E program drove the CSA. The prevalence of caries was 89.2%. In the multiple analysis only gingivitis remained associated (p = 0.005). The visual analysis of genograms identified a family pattern that suggests the predominance of the autosomal dominant model. The frequency of resistance allele "A" was estimated at 0.22. The mean decay value was 1.35 for AA and AB genotypes and 3.95 for BB. The results of the present study provide evidence as to the presence of a major gene with a dominant effect controlling the appearance of dental caries, within the same family.

 

Keywords: Dental Caries. Genetic Epidemiology. Oral Rehabilitation. Susceptibility.

Publicado
2020-12-02
Seção
Artigos