Probióticos no Controle da Pré-diabetes e Diabetes tipo 2

  • Yasmin Carla de Barros Universidade Norte do Paraná, Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Ciência e Tecnologia do Leite. PR, Brasil.
  • Katia Sivieri Universidade Norte do Paraná, Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Ciência e Tecnologia do Leite. PR, Brasil.
  • Giselle Aparecida Nobre Costa Universidade Norte do Paraná, Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Ciência e Tecnologia do Leite. PR, Brasil.

Resumo

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Diabetes Mellitus (DM), é uma doença grave e crônica, que ocorre quando o pâncreas não produz insulina suficiente, ou quando o corpo não é capaz de utilizar efetivamente a insulina produzida. A pré-diabetes pode ser observada em uma classe de indivíduos nos quais há um aumento dos níveis de glicose no sangue acima do normal e abaixo do diagnóstico de DM. Dados da Federação Internacional do Diabetes (IDF) e da Associação Americana de Diabetes (ADA) têm apontado para um grande aumento da prevalência da pré-diabetes e consequentemente de DM no mundo. Esse aumento da prevalência do diabetes está associado a diversos fatores, principalmente a fatores nutricionais, sedentarismo e a obesidade/sobrepeso. Esses distúrbios metabólicos são caracterizados por resistência à insulina e deficiência da mesma. Estudos indicam que a microbiota intestinal desempenha um importante papel na fisiopatologia da obesidade e consequentemente da pré-diabetes através de seus efeitos sobre o controle do peso corporal, balanço energético e inflamação. Neste contexto, a ingestão de probióticos vem mostrando efeitos positivos na modulação da microbiota intestinal e consequente controle da pré-diabetes e diabetes.

Palavras-chave: Diabetes. Pré-diabetes. Obesidade. Microbiota intestinal.

Publicado
2020-08-26
Seção
Artigos