Haemonchus contortus e Medidas Estratégicas de Controle para Ovinos

  • Janaína Palermo Mendes Universidade Federal da Grande Dourados, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Zootecnia. MS, Brasil.
  • Talize Tieme Tsuzuki Universidade Anhanguera Uniderp. MS, Brasil.
  • Marcos Barbosa Ferreira Universidade Anhanguera – Uniderp, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Produção e Gestão Agroindustrial. MS, Brasil.
  • Wagner Rodrigues Garcia Universidade Anhanguera Uniderp. MS, Brasil.
  • Jean Kaique Valentim Universidade Federal da Grande Dourados, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Zootecnia. MS, Brasil.
  • Rita Therezinha Rolim Pietramale Universidade Federal da Grande Dourados, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Zootecnia. MS, Brasil.

Resumo

Ovinos são comumente acometidos por parasitoses gastrointestinais, a maioria cosmopolita, sendo Haemonchus sp., o nematódeo encontrado com maior frequência parasitando os ovinos, que se contaminam ingerindo as larvas. Isso implica na importância de se conhecer o ciclo de vida deste parasito, que é um micoorganismo microscópico que se aloja no trato gastrointestinal e absorve o sangue ocasiona o quadro de anemia, fato este que pode debilitar rapidamente o animal e causar o óbito, além de provocar um atraso no desenvolvimento do animal, gerando perdas econômicas. Foi utilizado neste estudo a metodologia da revisão bibliográfica, procedente de artigos científicos e livros. O H. contortus é a espécie de maior relevância, pois tem alta patogenicidade e alta prevalência nos rebanhos brasileiros, causando perdas econômicas ao produtor devido à baixa produtividade e desenvolvimento dos animais acometidos, como perda de peso, anemia, atraso no desenvolvimento corporal de animais jovens e, causando o óbito.  O uso indiscriminado de antiparasitários causou o aumento da resistência dos helmintos às moléculas existentes no mercado. Desta forma, a necessidade de buscar novos métodos de controle de verminoses visa diminuir o uso de anti-helmínticos por meio da vermifugação seletiva, alimentação balanceada com suplementação proteica e o fornecimento de forrageiras de boa qualidade e com altos teores de proteína.

Publicado
2020-08-26
Seção
Artigos