Pitiose Gastrointestinal Canina: Revisão de Literatura

  • Emanoelly Machado Sousa da Silva Universidade de Cuiabá, MT, Brasil.
  • Kamila Peruchi Fernandes Martins Universidade de Cuiabá, MT, Brasil.
  • Fabiana Marques Boabaid Universidad de la Republica, Uruguai.
  • Luiz Gustavo Schneider de Oliveira Instituto Nacional de Investigação Agropecuária do Uruguai. Uruguai.

Resumo

A pitiose é uma oomicose provocada pelo agente Pythium insidiosum membro da classe Oomycetes, que produz micélio, semelhantemente aos fungos, porém em contrapartida, sua parede celular não contém quitina, geralmente encontrada nos fungos. Seus hospedeiros mamíferos, aves e o homem, se infectam através de água contaminada com os zoósporos. Em cães, na forma gastrointestinal, os sinais clínicos são variáveis e dependem da porção comprometida, e em função disso, o diagnóstico é baseado na associação de exames clínicos e auxiliares (diagnóstico por imagem, histopatológico, imuno-histoquímica e biologia molecular), e na epidemiologia da doença. O prognóstico dos animais acometidos é reservado, já que frequentemente cursam com o óbito, decorrente de dificuldade em se estabelecer o diagnóstico, e da inespecificidade da atuação dos antifúngicos atuais. Com isso, objetivou-se por meio  desta revisão de literatura abordar as características etiológicas e epidemiológicas da doença, com ênfase nos aspectos clinicopatológicos e de diagnóstico, a fim de subsidiar a escolha do tratamento e melhora do prognóstico. Os estudos foram selecionados a partir de livros e buscas na base de dados na biblioteca eletrônica, utilizando como descritores para a busca dos artigos: Pitiose Canina, Gastrointestinal e Pythium insidiosum, selecionando estudos publicados entre 1901 a 2019, publicados em português e inglês que abordassem sobre o tema. Com isso, a pitiose canina é uma doença de extrema importância para Medicina Veterinária e seu conhecimento epidemio-sintomatológico, juntamente com exames complementares são essenciais para o diagnóstico precoce e instituição terapêutica. 

 Palavra-chave: Doença de Cães. Oomiceto. Pythium insidiosum.

 

Abstract

Pythiosis is an oomycosis caused by Pythium insidiosum member of the Oomycetes class that produces mycelium, similar to fungi, but in contrast, its cell wall does not contain chitin, usually found in fungi. Its mammalian hosts, birds and humans become infected through water contaminated with zoospores. In dogs, in the gastrointestinal form, clinical signs are variable and depend on the compromised portion, and because of this the diagnosis is based on the association of clinical and auxiliary tests (diagnostic imaging, histopathology, immunohistochemistry and molecular biology), and the disease epidemiology. The prognosis of the affected animals is poor, since they often  die, due to the difficulty  establishing the diagnosis and the lack of specificity of the current antifungal agents. Thus, the aim of this literature review was to address the etiological and epidemiological characteristics of the disease, with emphasis on clinicopathological and diagnostic aspects, in order to support the choice of treatment and improvement of prognosis. The studies were selected from books and database searches, using as descriptors for the search articles: Canine pythiosis, Gastrointestinal and Pythium insidiosum, selecting studies published from 1901 to 2019, published in Portuguese and English that addressed the subject. Canine pythiosis is an extremely important disease for veterinary medicine and its epidemio-symptomatologic knowledge, along with complementary exams are essential for early diagnosis and therapeutic institution.

 

Keywords: Dog disease. Oomycete. Pythium insidiosum.

Publicado
2021-02-18
Seção
Artigos