A Pobreza e o Currículo: Permanências e Ausências nos Documentos Oficiais de Geografia

Thiago Bueno Saab

Resumo


O presente artigo visa realizar uma análise sobre os documentos oficiais (PCN; DCN; e o Caderno de Expectativas) de Geografia visando compreensão de como estes abordam a produção histórica da pobreza e se as vivências dos coletivos pauperizados estão inseridas nos referidos documentos. Assim, evidencia-se o intuito de responder o seguinte questionamento: como o currículo formal da disciplina de Geografia do Ensino Fundamental II abrange as vivências da pobreza e de que forma possibilita ou não a compreensão da produção histórica dessa. A metodologia que alicerçou esta pesquisa se caracteriza como qualitativa e tem como suporte teórico bibliografias, cujo vínculo principal se refira à temática de análise. Não obstante, lançou-se mão de uma análise documental dos currículos da disciplina de Geografia do Ensino Fundamental II (PCN - 1998, e DCN – 2013, e os Cadernos de Expectativas de Aprendizagem do Paraná - 2012). Como resultado, percebeu-se que não há nos documentos oficiais analisados qualquer debate sobre as raízes da pobreza, bem como não há a inserção das vivências materiais e imateriais dos coletivos pauperizados. Também faz parte dos resultados, um quadro síntese que possui as principais dimensões analisadas nesta investigação, o qual ratifica a inexistência da inserção da vivência dos grupos supracitados.

Palavras-chave: Pobreza. Currículo. Documentos Oficiais de Geografia.

Abstract

The objective of the present article is to carry out an analysis of the following Geography teaching official documents: the PCNs, the DCNs and the Learning Expectations Handbook, to understand how they deal with the poverty production history and whether the experiences of the impoverished are included in the referred documents. Thus, it tries to answer the following question: How does the formal Basic Education II Geography curriculum encompass the experiences of the impoverished and does it provide an understanding of this historical production? The methodology adopted is qualitative with the theoretical support of the literature regarding the analysis theme, including a documental analysis of the following Basic Education II Geography curricula: the PCN´s of 1998, and the DCN´s of 2013, and the Learning Expectations Handbook for the State of Paraná). Results showed that there is no debate on the roots of poverty as well as the inclusion of any material or immaterial experiences of impoverished groups in the official documents analyzed. In addition, a chart synthesis is a part of the results that has the main dimensions analyzed in this investigation, which confirms the lack of the insertion of the experience of these groups mentioned above.

Keywords: Impoverished Groups. Curriculum Analysis. Geography Teaching


Palavras-chave


Pobreza. Currículo. Documentos oficiais de Geografia.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHUSSER, L. Aparelhos ideológicos de Estado. Rio de Janeiro: Graal, 1987.

ANTUNES, R. Trabalho e precarização numa ordem neoliberal. In: GENTILI, P; FRIGOTTO, G. (Org.) A cidadania negada: políticas de exclusão na educação e no trabalho. Buenos Aires: Clacso, 2001, p.35-48.

ARROYO, M.G. Pedagogias em movimento: o que temos a aprender dos Movimentos Sociais?. Currículo sem Fronteiras, v.3, n.1, p.28-49, 2003.

ARROYO, M.G. Políticas educacionais e desigualdades: à procura de novos significados. Educ. Soc., v.31, n.113, p.1075-1432, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais (5ª a 8ª séries). Brasília: MEC, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC, 2013.

FAVACHO, A.P. O que há de novo nas disputas curriculares? Educ. Soc. Soc., v.33, n.120, 2012.

FONSECA, J.A.L.; PIMENTA, R.W.S. A chegada dos desiguais à escola: novas formas de inclusão/exclusão. In: ANPED SUL, 9., 2012, Caxias do Sul. Anais... Caxias do Sul: UCS, 2012.

FONSECA, J.A.L.; CONCEICAO, C.M.C. Desigualdade social e cotidiano escolar: reflexões sobre a educação como direito social e humano. In: ENDIPE, 16, 2012, Campinas. Anais... Campinas: Unicamp, 2012.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GADOTTI, M. Educação e poder: introdução à pedagogia do conflito. São Paulo: Cortez, 2008.

HARVEY, D. Condição pós-moderna. Uma pesquisa sobre as Origens da Mudança Cultural. São Paulo: Loyola, 1992.

JESUS, A.R. Currículo e educação: conceito e questões no contexto educacional. Disponível em: . Acesso em: 6 set. 2016.

LOPES, G.G.F.C. A industrialização no Paraná e a educação profissional: o sistema SENAI/SESI (1970-1990). 2010, 102 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2010.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2008.

MOREIRA, A.F.B. Currículos e programas no Brasil. Campinas: Papirus, 1990.

PARANÁ, Caderno de expectativas de aprendizagem. Curitiba: SEED, 2012.

SAAB, T.B; ANTONELLO, I.T. A reestruturação produtiva do capital e a formação escolar: o discurso presente nos livros didáticos de Geografia. Pegada, v.1, n.16, p. 127-158, jul. 2015.

SACRISTAN, J. G. Poderes instáveis em educação. Porto Alegre: Artmed, 1999.

SANTOS, M. A natureza do espaço: espaço e tempo: razão e emoção. São Paulo: HUCITEC, 1999.

SOJA, E.W. Geografias pós-modernas: a reafirmação do espaço na teoria social crítica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993.

SOUZA, R.F. História da organização do trabalho escolar e do currículo no Século XX: (ensino primário e secundário no Brasil). São Paulo: Cortez, 2008.

TROTSKY, L. História da revolução russa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.




DOI: http://dx.doi.org/10.17921/2447-8733.2018v19n3p371-378

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista de Ensino, Educação e Ciências Humanas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.