Práticas de Letramento: Música, Movimento e Aprendizagem Por Meio do Videoclipe “Aos Olhos de uma Criança”

Ana Paula Pinheiro da Silveira, Eliza Adriana Sheuer Nantes, Lívia da Silva Inácio, Michele Cristina Brites, Thaisa Pinheiro Carvalho

Resumo


Resumo

Partindo-se da hipótese de que o professor ainda necessita de instrumentalização para o trabalho com práticas de letramento na cultura digital, conforme apontam os dados apresentados na pesquisa TIC Educação, realizada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil, neste trabalho, propõe-se a analisar o videoclipe “Aos olhos de uma criança”, do rapper Emicida, a fim de indicar possíveis caminhos para o trabalho com esse gênero em sala de aula. Justifica-se  a seleção desse objeto por permitir ao professor abordar uma didática, dentro de uma perspectiva sócio-política, contemplando os multiletramentos, as figuras de linguagem presentes na letra e os efeitos de sentido, que emergem dos recursos sonoros e imagéticos. A metodologia de pesquisa adotada é a qualitativa, categorizando-se os dados em dois grupos: conteúdo temático e estilo. O resultado apontou para a proficuidade de a escola proporcionar ao aluno uma leitura do mundo e a interpretação de um  gênero que sincretiza poesia e elementos audiovisuais, a partir de um videoclipe, como forma de contemplar a multiculturalidade e a multiplicidade de semioses, conforme indicam a Base Nacional Comum Curricular e as teorias sobre os multiletramentos.

Palavras-chave: Letramento. Multiletramento. Gênero Vídeoclipe. Ensino

Abstract

Based on the hypothesis that  teachers  still need instrumentalization for the work with literacy practices in the digital culture, according to the data presented in the research TIC Education, carried out by the Internet Steering Committee in Brazil, in this work, it is proposed to analyze the video clip “In the eyes of a child”, by the rapper Emicida, in order to indicate possible ways to work with this genre in the classroom. It is justified  the selection of this object once it allows the teacher to approach didatics , from a socio-political perspective, contemplating the multiliteracies, the language figures present in the lyrics and the effects of meaning that emerge from the sonorous and imagetic resources. The adopted research methodology  is qualitative, categorizing data into two groups: thematic content and style. The result pointed to the proficuity of the school to provide the student with a reading of the world and the interpretation of a genre that syncretizes poetry and audiovisual elements, from a video clip, as a way of contemplating multiculturalism and the multiplicity of semiosis, as indicated by the National Curricular Common Base and theories on multiliteracies.

Keywords: Literacy. Multiliteracy. Genre Video clip. Teaching.


Palavras-chave


Letramento. MUltiletramento. Gênero. Videoclipe.Ensino.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSEN, E. L. O uso de multimídia digital no ensino. Por quê? Para quê? In: ANDERSEN, E.L. (Org.). Multimidia Digital na escola. São Paulo: Paulinas, 2013. p.13-40.

BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1979.

BRASIL. Ministerio da Educação, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do Ensino Fundamental - Língua Portuguesa. Brasília: MEC, 1998.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino de primeira à quarta série: Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Orientações Curriculares para o Ensino Médio – Linguagens, códigos e suas tecnologias. Secretaria de Educação Básica. Brasília: Ministério da Educação, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. MEC. Brasília, DF, 2017.

COPE, B.; KALANTZIS, M. New media, new learning. In: COLE, D.; PULLEN, D. Multiliteracies in motion: current theory and pratic. New York: Taylor & Francis, 2009. p.85-104.

CORRÊA, L.J.A. Breve história do videoclipe. In. CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO DA REGIÃO CENTRO-OESTE, 8, 2006, Cuiabá. Anais do VIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação da Região Centro-Oeste,., p. 1-15. disponível em: http://www.intercom.org.br/papers/regionais/centrooeste2007/resumos/R0058-1.pdf. Acesso em 18 mar. 2018.

CRUZ, V.A.G. Metodologia da pesquisa científica. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.

FARACO, C.A. Considerações sobre a escola e a mídia impressa. 2010. Disponível em: . Acesso em: 14 mar. 2018.

GOLDSTEIN, N. S. Versos, sons, ritmos. São Paulo: Ática, 2008.

EMICIDA. Aos olhos de uma criança, 2016. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=cpOb3db_Xuc. Acesso em: 12 mar. 2018.

GARCÍA CANCLINI, N. Leitores, espectadores e internautas. São Paulo: Iluminuras, 2008.

HOUAISS, A. Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

KALANTZIS, M.; COPE, B. Digital communications, multimodality and diversity: towards a pedagogy of multiliteracies. Scie. Paedag. Experim., v.45, n.1, p.15-50, 2008.

KLEIMAN, A; SITO, L. Multiletramentos, interdições e marginalidades. In.: KLEIMAN, A. ASSIS, J. A. (Org.) Significados e ressignificações do letramento: desdobramentos de uma perspectiva sociocultural sobre a escrita. Campinas: Mercado de Letras, 2016. p.169-198.

KNOBEL, M.; LANKSHEAR, C. A new literacies sampler. Nova York: Peter Lang, 2007.

MARCUSCHI, L.A. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: MACHADO, A.R.; DIONISIO, A.P.; BEZERRA, M.A. (Org.). Gêneros textuais e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002. p.19-36.

MASSONI, A.; FERNANDES, F. A. G. Hip Hop e Rap: história e manifestações orais no contexto londrinense. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 23., 2005, Londrina. Anais do XXIII Simpósio Nacional de História – História: guerra e paz. Londrina: ANPUH, 2005. CD-ROM.

MARTINS, G.A.; THEÓPHILO, C.R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas, 2007.

MATIAS-PEREIRA, J. Manual de metodologia da pesquisa científica. São Paulo: Atlas, 2012.

NANTES, E.A.S. et al. Ferramentas digit@is e educação básica: lacunas entre a teoria e a prática docente. Rev. Ensino Educ. Ciênc. Hum., v.17, n.1, p.53-65, 2016. doi: http://dx.doi.org/10.17921/2447-8733.2016v17n1p53-65

NANTES, E. A. S. et al. Tecnologia na escola: transformando antigos problemas em métodos de ensino-aprendizagem com o uso do celular via gênero shelfie. Debates Educ. Cient. Tecnol., v.6, n.2, p.3-25, 2016.

ROJO, R. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola, 2009.

ROJO, R. Pedagogia dos multiletramento: diversidade cultural e de linguagens na escolar. In: ROJO, R.; MOURA.E. (Org.). Multiletramento na escola. São Paulo: Parábola, 2012, p.11-31.

ROJO, R. Escol@ conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo: Parábola, 2013.

ROJO, R. Textos multimodais. Glossário Ceale. Disponível em: http://www.ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/textos-multimodais. Acesso em: 12 mar. 2018.

SILVA, L.F.G; NOGUEIRA, M.D. Interdiscursividade e metadiscursividade no videoclipe Applause, de Lady Gaga. Entrepalavras, v.5, n.1, p.31-46, 2015.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 1998.

SOUZA, R.M.V. Cultura hip hop. Identidade e sociabilidade: estudo de caso do movimento em Palmas, 2017. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2018.

STREET, B. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação.São Paulo: Parábola, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.17921/2447-8733.2018v19n3p309-316

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista de Ensino, Educação e Ciências Humanas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.