Eficácia Docente: Autoavaliação de Professores da Educação Básica

Fabio Luiz da Silva, Fabiane Tais Muzardo, Julho Zamariam, Fabiane Luzia Menezes Santos, Brenda Bazante, Catia Oliveira Alves, Edyta Malgorzata Szendzielorz, Kelen Cristina Ribeiro, Priscila Oliveira da Paz Vargas, Walef Paulo Quintiliano

Resumo


Desde o surgimento da escola moderna, existe a preocupação com o comportamento dos alunos na sala de aula. O objetivo deste artigo é apresentar os resultados de uma pesquisa que investigou a autoavaliação de professores da Educação Básica a respeito do uso ou não de estratégias consideradas eficazes em estudos internacionais. Para isso, utilizou-se um instrumento de pesquisa construído a partir do exposto por Reynolds et al (2002). Foram investigados 59 professores, que lecionam em escolas de 12 municípios brasileiros. Os resultados obtidos apontam semelhança com outros estudos realizados. Os professores participantes apresentaram robusta crença em sua autoeficácia em sala de aula.

Palavras-chave: Ensino. Autoeficácia. Gestão da Sala de Aula

Abstract

Since the emergence of the modern school, there is concern about the students’ behavior in the classroom. The purpose of this article is to present the results of a research that investigated the self-assessment of primary education teachers regarding the use or not of strategies considered effective in international studies. For this, a research instrument constructed from the one exposed by Reynolds et al (2002) was used. 59 teachers were investigated, who teach in schools in 12 Brazilian cities. The obtained results are similar to the other studies carried out. Participating teachers presented strong belief in their self efficacy in the classroom.

Keywords: Teaching. Self-efficacy. Classroom Management


Palavras-chave


Ensino; Autoeficácia; Gestão da Sala de Aula

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, C. Como desenvolver as competências em sala de aula. Petrópolis: Vozes, 2010.

BROOKE, N.; SOARES, J.F. Pesquisa em eficácia escolar: origem e trajetórias. Belo Horizonte: UFMG, 2008.

BZUNECK, J.A. As crenças de autoeficácia dos professores. 2009. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2018.

DALBEN, A.; ALMEIDA, L.C. Para uma avaliação de larga escala multidimensional. Estud. Aval. Educac., v.26, n.61, p.12-28, 2015. doi: http//dx.doi.org/10.18222/eae266103140.

GAUTHIER, C.; BISSONNETTE, S.; RICHARD, M. Ensino explícito e desempenho dos alunos: a gestão dos aprendizados. Petrópolis: Vozes, 2014.

GERHARDT, T.E.; SILVEIRA, D.T. (Org.). Métodos de pesquisa. Porto Alegre: UFRGS, 2009.

HUNT, B.C. Efectividad del desempeño docente: una reseña de la literatura internacional y su relevância para mejorar la educación em América Latina. Santiago: Cinde, 2009.

IAOCHITE, R.T. et al. Autoeficácia docente, satisfação e disposição para continuar na docência por professores de Educação Física. Rev. Bras. Ciênc. Esporte, v.33, n.4, p.825-839, 2011.

JESUS, S.N. Estratégias para motivar os alunos. Rev. Educ., v.31,n.1, p.21-29, 2008.

MACEDO, I.C.; BZUNECK, J.A. Motivação de professores, autoeficácia e fatores do contexto social. In: ENCONTRO

NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 9. 2009. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2018.

REYNOLDS, D. et al. World class schools: international perspectives on school effectiveness. London: Routledge, 2002.

REYNOLDS, D. et al. The Future of educational effectiveness and improvement research, and some suggestions and speculations. In: CHAPMAN, C. et al. The Routledge international handbook of educational effectiveness and improvement: research, policy and practice. London: Routledge, 2016.

REYNOLDS, D. et al. Effective school processes. CHAPMAN, C. et al. The Routledge international handbook of educational effectiveness and improvement: research, policy and practice. London/New York: Routledge, 2016.

RODRIGUES, S.S. Eficácia docente no ensino da matemática. Ensaio Aval. Políticas Públicas Educ., v.25, n.94, p.114-147, 2017. doi: http://dx.doi.org/10.1590/s0104-40362017000100005.

SANTOS FILHO, J.C. Eficácia da escola e condicionantes do desempenho escolar dos alunos: do modelo unidimensional de análise ao multidimensional. Rev. Roteiro, v.40, p.101-106, 2015. doi: http://dx.doi.org/10.18593/r,v40i0.9773

SILVA, E.R.P. Perfis de gestão de sala de aula, indisciplina percebida e percepção de eficácia do professor. Braga: Universidade do Minho, 2014.

SILVA, F.L. et al. Eficácia na sala de aula: autoavaliação de professores de uma escola pública. Rev. Ensino Educ. Ciênc. Hum., v.18, n.3, p.239-243, 2017.

SOARES, J.F.; ALVES, M.T.G. Efeitos de escolas e municípios na qualidade do ensino fundamental. Cad. Pesquisa, v.43, n.149, p.492, 517, 2013.

SOARES, T.M. et al. Modelos de valor agregado para medir a eficácia das escolas Geres. Ensaio Aval. Políticas Públicas Educ., v.25, n.94, p.59-89, 2017. doi: http://dx.doi.org/10.1590/s010440362017000100003.

TESSARO, N.S.; GUZZO, R.S.L. Auto-avaliação da competência para ensinar: estudo preliminar de uma escala. Rev. Psicol. Escolar Educac., v.8, n.2, p.157-165, 2004.

TSCHANNEN-MORAN, M.; HOY, A.W. Teacher efficacy: capturing an elusive constructo. Teaching Teacher Educ., v.17, n.7, p.783-805, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.17921/2447-8733.2018v19n3p277-282

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista de Ensino, Educação e Ciências Humanas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.