Reflexões sobre a Interdisciplinaridade em Livros Didáticos de História: um Olhar Sobre o Ensino do Regime Ditatorial Brasileiro

  • Alison Sullivan de Sousa Alves Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino. RN, Brasil.
  • Francisco Vieira da Silva Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino. RN, Brasil.

Resumo

O conceito e a perspectiva de interdisciplinaridade em conteúdo dos livros didáticos de História nos levam a refletir acerca de como as disciplinas escolares se comunicam entre si no quesito interdisciplinar em suas práticas de ensino e aprendizagem. Desse modo, o objetivo desta pesquisa foi analisar alguns conceitos interdisciplinares para o ensino e a aprendizagem escolar. Para tanto, pretende-se comparar alguns conceitos de interdisciplinaridade e a sua aplicação em sala de aula a partir de propostas do livro didático de História no tocante ao Regime Militar Brasileiro. Assim, utilizaremos como referencial teórico Thiesen (2007) e suas proposições acerca da interdisciplinaridade como movimento articulador no processo ensino-aprendizagem. Metodologicamente, trata-se de um estudo descritivo-interpretativo de natureza qualitativa. No que toca especificamente ao ensino de História, observamos que o tratamento dispensado ao regime ditatorial brasileiro poderia lançar mão de reflexões produzidas noutros campos do saber, como os estudos da ciência política e da sociologia. Assim, a temática em foco seria entrevista a partir de diferentes vieses, tornando o ensino de História produtivo e significativo. A quase inexistência da interdisciplinaridade na educação básica é fruto de uma lógica acadêmica pautada na tradição positivista que compartimentou o saber em disciplinas, especializando as ciências e, com isso, fragmentando o conhecimento.

 

Palavras-chave: Educação Básica. Aprendizagem. Autoritarismo.

 

Abstract

The concept and perspective of interdisciplinarity in the content of History textbooks lead us to reflect on how school subjects relate to one another in the interdisciplinary aspect of their teaching and learning practices. Thus, the objective of this research is to analyze some interdisciplinary concepts for teaching and learning. Therefore, it is intended to compare some concepts of interdisciplinarity and its use in the classroom based on proposals taken from the History textbook content concerning to Brazilian Military Government. For this purpose, we will use as theoretical framework Thiesen (2007) and his propositions about interdisciplinarity. Methodologically, it is a descriptive-interpretative study of qualitative nature. With regard specifically to the teaching of history, we observed that the treatment of the Brazilian dictatorial regime could use reflections produced in other fields of knowledge, such as the studies of political science and sociology. Thus, the theme in focus would be interview from different biases, making the teaching of history productive and meaningful. The almost nonexistence of interdisciplinarity in basic education is the result of an academic logic based on the positivist tradition that compartmentalized knowledge in disciplines, specializing the sciences and, thus, fragmenting knowledge.

 

Keywords: Basic Education. Learning. Authoritarianism.

Biografia do Autor

Alison Sullivan de Sousa Alves, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino. RN, Brasil.

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ensino (UERN/UFERSA/IFRN)

Francisco Vieira da Silva, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino. RN, Brasil.
Docente da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) e do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL) da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e do Programa de Pós-Graduação em Ensino (POSENSINO) da associação entre a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN).

Referências

CAVALCANTE, M.S.D.; PINHO, M.J.; ANDRADE, K.S. Interdisciplinaridade e livro didático: interfaces (im)possíveis? Rev. GELNE, v.17, n.1/2, p.213-234, 2015. doi: http://dx.doi.org/10.21680/1517-7874.

CAVALCANTI, E.V. A história encastelada e o ensino encurralado: reflexões sobre a formação dos professores de história. Educar Rev., v.34, n.72, p.249-267, 2018. doi: http://dx.doi.org /10.1590/0104-4060.60111.

CARVALHO, A.P.R. Contribuições da educação histórica para a aprendizagem em História, Hist. Ensino, v.24, n.1, p.199-227, 2018. doi: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.

LIMA, A.C.S.; AZEVEDO, C.B. A interdisciplinaridade no Brasil e o ensino de história: um diálogo possível. Rev. Educ. Linguagem, v.2, n.3, p.128-150, 2013.

MORIN, E.; ALMEIDA, M.C.; CARVALHO, E.A. A propósito dos sete saberes. In.: MORIN, E. Educação e complexidade: os sete saberes e outros ensaios. São Paulo: Cortez, 2007, p.77-104.

MOTTA, R.P.S. Sobre as origens e motivações do Ato Institucional 5, Rev. Bras. História, v.38, n.79, p.195-216, 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1806-9347.

PEREIRA, N.M.; SEFFNER, F. Ensino de história: passados vivos e educação em questões sensíveis, Rev Hist. Hoje, v.7, n.13, p.14-33, 2018. doi: https://doi.org/10.20949.

SÁ, I. Memória discursiva da ditadura no século XXI: visibilidades e opacidades democráticas. São Carlos: Universidade Federal de São Carlos, 2015.

THIESEN, J.S. A interdisciplinaridade como um movimento de articulação no processo ensino-aprendizagem. PerCursos, v.8, n.1, p.87-102, 2007.

VICENTINO, C.; VICENTINO, J.B. Brasil: da democracia à ditadura. In: VICENTINO, C. (Org.). Projeto Mosaico. São Paulo: Saraiva, 2015, p.196-219.

Publicado
2019-12-20
Seção
Artigos