Efeitos da Arte na Escola: Percepções de Gestoras e Docentes

  • Bianca Isabel Pederiva Universidade do Vale do Taquari, Curso de Psicologia. RS, Brasil.
  • Suzana Feldens Schwertner Universidade do Vale do Taquari, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino. RS, Brasil.
Palavras-chave: Escola, Arte, Docência, Experimentação.

Resumo

Tomando a escola como um espaço para a experimentação e a arte como um dispositivo para a vontade de criação, o presente artigo tem como objetivo analisar os efeitos da arte nas práticas educativas e nos processos de ensino e de aprendizagem. O delineamento metodológico da investigação é de cunho qualitativo e ocorreu pela realização de entrevistas com duas gestoras e quatro docentes de duas escolas públicas do Vale do Taquari, no Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. De acordo com as percepções dos participantes da pesquisa, por meio de Análise Textual Discursiva, foram elaboradas três categorias. A primeira, “Fazer escola: docência inventiva”, apresenta a docência como principal articulador entre práticas artísticas e práticas educativas. A segunda, “A prática de marchar em direção ao skholé”, discorre acerca das imposições atribuídas ao espaço escolar e relata movimentações peculiares que a arte pode produzir em meio aos processos de ensino e de aprendizagem. A última, “Efeitos da arte: sons de experimentação”, expressa as reverberações da arte para a formação do estudante, abordando sua relação com a matéria escolar, com a “ex-posição” e com a experiência. Ressalta-se, ao final, que despertar a atenção para a arte na escola é uma atitude que permite pensar a educação em toda sua potencialidade de transformação.

 

Palavras-chave: Práticas Educativas. Práticas Artísticas. Docência. Experimentação.

 

Abstract

Taking school as space for experimentation and art as a device for the will to create, this article aims to analyze the effects of art on educational practices and on the teaching and learning processes. The methodological design of the research is qualitative and has been carried out through interviews with two principals and four teachers from two public schools in the Taquari Valley, in the state of Rio Grande do Sul, Brazil. According to the perceptions of the participants, through Discursive Textual Analysis, three categories were elaborated. The first, “Doing school: inventive teaching”, presents teaching as the main articulator between artistic practices and educational practices. The second, “The practice of marching towards the skholé”, discusses the impositions attributed to the school space and reports peculiar movements that art can produce in the process of teaching and learning. The last one, “Effects of Art: Sounds of Experimentation”, expresses the reverberations of art for the formation of the students, approaching its relation with the school subject, with “ex-position” and with the experience. In the end, it is noteworthy that arousing attention to art in school is an attitude that allows one to think about education in all its potential for transformation.

 

Keywords: Educational Practices. Artistic Practices. Teaching. Experimentation.

 

Biografia do Autor

Bianca Isabel Pederiva, Universidade do Vale do Taquari, Curso de Psicologia. RS, Brasil.
Graduanda de Psicologia pela Univerdade do Vale do Taquari - Univates. Bolsista de Iniciação Científica do Grupo de Pesquisa Currículo, Espaço, Movimento (CEM/CNPq/Univates).
Suzana Feldens Schwertner, Universidade do Vale do Taquari, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino. RS, Brasil.
Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Docente do Programa de Pós-Graduação em Ensino da Universidade do Vale do Taquari - Univates. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Currículo, Espaço, Movimento (CEM/CNPq/Univates).

Referências

DUSSEL, I. Sobre a precariedade da escola. In: LARROSA, J. (org.). Elogio da escola. Belo Horizonte: Autêntica, 2017. p.87-111.

GALLO, S. A orquídea e a vespa: transversalidade e currículo rizomático. In: GONSALVES, E.P.; CARVALHO, M.E.P.; PEREIRA, M.Z.C. (org.). Currículo e contemporaneidade: questões emergentes. Campinas: Alínea, 2011. p.37-50.

KOHAN, W.O. O mestre inventor: relatos de um viajante educador. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

LARROSA, J. Tremores: escritos sobre experiência. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

LARROSA, J. (org.). Elogio da escola. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

LARROSA, J. Esperando não se sabe o quê: sobre o ofício de professor. Belo Horizonte: Autêntica, 2018.

LOPONTE, L.G. Arte e metáforas contemporâneas para pensar infância e educação. Rev. Bras. Educ., v.13, n.37, p.112-122, 2008.

LOPONTE, L.G. Arte para a docência: estética e criação na formação docente. Education Policy Analysis Archives, v. 21, n. 25, p.1-22, 2013.

LOPONTE, L.G. Tudo isso que chamamos de formação estética: ressonâncias para a docência. Rev. Bras. Educ., v.22, n.69, p.429-452, 2017.

MASSCHELEIN, J.; SIMONS, M. A pedagogia, a democracia, a escola. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

MASSCHELEIN, J.; SIMONS, M. Em defesa da escola: uma questão pública. Belo Horizonte: Autêntica, 2018.

MORAES, R.; GALIAZZI, M.C. Análise textual discursiva: processo reconstrutivo de múltiplas faces. Ciênc. Educ., v.12, n.1, p.117-128, 2006.

MORAES, R.; GALIAZZI, M.C. Análise textual discursiva. Ijuí: Unijuí, 2011.

PEDRUZZI, A.N. et al. Análise textual discursiva: os movimentos da metodologia de pesquisa. Atos Pesq. Educ., v.10, n.2, p.584-604, 2015.

Publicado
2019-12-20
Seção
Artigos