Jovens Mulheres: Motivos do Abandono Escolar na Educação de Jovens e Adultos, em Duas Unidades Escolares do Estado de Mato Grosso

  • Enerci Candido Gomes Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso. MT, Brasil. Universidade de Cuiabá, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino. MT, Brasil. UNIVERSIDADE DE CUIABÁ
  • Maria das Graças Campos Universidade de Cuiabá, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino. MT, Brasil.

Resumo

Este trabalho apresenta recorte de uma pesquisa de mestrado, cujo objetivo foi compreender os motivos pelos quais jovens mulheres abandonam a Educação de Jovens e Adultos (EJA) na etapa Ensino Médio. Diante da complexidade e da subjetividade da temática, faz-se necessário que os procedimentos metodológicos contribuam para a aproximação sujeitos/objetos pesquisados, de modo a garantir uma maior compreensão dos problemas do abandono escolar, na perspectiva da abordagem qualitativa. Enquanto metodologia, optou-se pela utilização de fontes documentais e pela história oral. A pesquisa foi realizada em duas unidades escolares do Estado de Mato Grosso, sendo uma localizada em Várzea Grande e outra em Cuiabá. No trabalho foram entrevistadas 16 mulheres desistentes da EJA. A análise da fase documental e as primeiras entrevistas realizadas mostraram que um número expressivo de jovens mulheres, entre 18 e 25 anos de idade, que se matricularam na EJA, logo depois a abandonaram, sem concluir os estudos. Por outro lado, outras pesquisas já realizadas permitem concluir que as mulheres vêm enfrentando a exclusão escolar no sistema educacional. Nesse sentido, admite-se que os estudos realizados foram relevantes e poderão subsidiar políticas públicas educacionais para a melhoria do ensino de EJA, com o enfoque nos fatores que provocam o abandono escolar.

 

Palavras-chave: Abandono Escolar. Jovens Mulheres. Educação de Jovens e Adultos. Peculiaridades da Condição Feminina.

 

Abstract

This work presents an excerpt from a master's research, whose objective was to understand the reasons why young women abandon Youth and Adult Education (EJA) in the High School stage. In view of the complexity and subjectivity of the theme, it is necessary that the methodological procedures contribute to the approximation of subjects / objects researched, in order to guarantee a greater understanding of the problems of school dropout, from the perspective of the qualitative approach. As a methodology, it was decided to use documentary sources and oral history. The research was carried out in two school units in the State of Mato Grosso, one located in Várzea Grande and the other in Cuiabá. At work, 16 women dropping out of EJA were interviewed. The analysis of the documentary phase and the first interviews conducted showed that a significant number of young women, between 18 and 25 years of age, who enrolled in EJA, soon after abandoned it, without completing their studies. On the other hand, other research already carried out allows us to conclude that women have been facing school exclusion in the educational system. In this sense, it is admitted that the studies carried out were relevant and may subsidize public educational policies for the improvement of EJA teaching, with a focus on the factors that cause school dropout.

 Keywords: Dropout. Young Women Youth and Adult Education. Peculiarities of the female condition.

Biografia do Autor

Enerci Candido Gomes, Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso. MT, Brasil. Universidade de Cuiabá, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino. MT, Brasil. UNIVERSIDADE DE CUIABÁ

Possui graduação e licenciatura em Ciências Sociais - Faculdades Integradas Cândido Rondon (2004,2005), 2ª licenciatura em História pela Universidade Federal de Mato Grosso (2012). Especialização em Gestão Escolar (ICE,2007), Fundamentos da Educação Didática e Docência do Ensino Superior (UNIVAG, 2006/2007) e; Especialização em Coordenação Pedagógica pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT,2010,2011 e 2012). Atualmente professora efetiva da cadeira de sociologia da Secretaria de Estado de Educação atuando no município de Várzea Grande - MT, Escola Professora Adalgisa de Barros. Ocupando a função de Coordenadora Pedagógica na mesma unidade nos anos de 2011,2012,2013,2014,2015,2016 e 2017.Tem experiência na área de Educação Escolar com ênfase em Sociologia da Educação. Mestre em Ensino pela Universidade de Cuiabá e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso. Área de Concentração, Ensino, Currículo e Saberes Docentes. 

Maria das Graças Campos, Universidade de Cuiabá, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino. MT, Brasil.

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso (1984), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (2010) e doutorado em Políticas Públicas e Formação Humana pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2015). Atualmente é professora dos cursos de Pedagogia e Serviço Social e do Programa de Pós-- Graduação Em Ensino- UNIC/IFMT. Participa do projeto Gênero,vida e ação:memórias de docentes que exerceram cargos eletivos na esfera municipal, estadual e federal em Mato Grosso"/ Intercâmbio UFMT/UNIC/LER - Laboratório Educação e República- PROPED-UERJ.Coordena o Projeto de Pesquisa: A Educação de Jovens e Adultos: motivos da evasão escolar/UNIC. (Texto informado pelo autor)

 

Referências

ALBERTI, V. Ouvir contar: textos em história oral. Rio de Janeiro: FGV, 2014.

ARROYO, M.G. Educação de jovens-adultos: um campo de direitos e de responsabilidade pública. In: SOARES, L.; GIOVANETTI, M.A.G.C.; GOMES, N.L. (org.). Diálogos na educação de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, 2005 – p. 19-50.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 1995.

BOURDIEU, P. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

_______ . PARECER CNE/CEB. Institui Diretrizes Operacionais para a Educação de Jovens e Adultos (EJA) nos aspectos relativos à duração dos cursos e idade mínima para ingresso nos cursos de EJA; idade mínima e certificação nos exames de EJA; e Educação de Jovens e Adultos, desenvolvida por meio da Educação a Distância. Ministério da Educação e Cultura (MEC), 2008.

_______. LDB. Lei 9394/96 - Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: <http://www2.planalto.gov.br/>. Acesso em: 3 ago. 2018.

_______. IBGE. Censo Demográfico 2010. Disponível em: <http://www.censo2010.ibge.

gov.br>. Acesso em: 11 jun. 2018.

_______. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais. Censo Escolar da Educação de Jovens e Adultos, Brasília: Ministério da Educação e Cultura. 2006.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. São Paulo: Cortez, 1991.

DEBRET, J.B. Viagem pitoresca e histórica ao Brasil. São Paulo: Livraria Martins, 1940.

DIGIÁCOMO, M. J. Evasão escolar: não basta comunicar e as mãos lavar. 2005. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2018.

FERREIRA, A.T. Ler e escrever também é uma questão de gênero. In: LEAL, T. Desafios da educação de jovens e adultos: construindo práticas de alfabetização. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança, um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008.

________. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 15. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

KRIPKA, R.M.L; SCHELLER, M, BONOTTO, D. L. Pesquisa documental na pesquisa qualitativa: conceitos e caracterização. Revista de Investigaciones 55 UNAD, n. 14, Número 2, Julio-Diciembre. Bogotá, Colômbia, 2015.

MEKSENAS, P. Sociologia da Educação: uma introdução ao estudo da escola no processo de transformação social. São Paulo: Cortez, 1992.

MOURA. T.M.M. A prática pedagógica dos alfabetizadores de jovens e adultos: contribuições de Freire, Ferrero e Vygotsky. Maceió: Edufal, 2006.

MULLER, Lúcia (a). As Construtoras da Nação: professoras primárias na Primeira República. Niterói, RJ: Intertexto, 1999.

RIBEIRO, M.L.S. História da educação brasileira: a organização escolar. Campinas, SP: Autores Associados, 2000.

SAFFIOTI, H. A mulher na sociedade de classes. Mito e realidade. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

SAUNER, N.F.M. Alfabetização de adultos. Curitiba: Juruá, 2002.

THOMPSON, P. A voz do passado – História Oral. 2. edição. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

Publicado
2020-08-25
Seção
Artigos