Disciplinas Híbridas: o Olhar de uma Professora Sobre sua Prática em um Curso de Fisioterapia

  • Arthur Loran de Mello André da Silva Unopar, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Metodologias para Ensino de Linguagens e suas Tecnologias. PR, Brasil. http://orcid.org/0000-0002-0386-4256
  • Diego Fogaça Carvalho Unopar, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Metodologias para Ensino de Linguagens e suas Tecnologias, PR, Brasil; e Universidade Anhanguera Uniderp, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino de Ciências e Matemática. MS, Brasil. http://orcid.org/0000-0002-4984-6344
  • Angélica da Fontoura Garcia da Silva Universidade Anhanguera de São Paulo, Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática. SP, Brasil; e Unopar, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Metodologias para Ensino de Linguagens e suas Tecnologias, PR. http://orcid.org/0000-0002-2435-9240
  • Hallynnee Héllenn Pires Rossetto Universidade Estadual de Londrina, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática. PR, Brasil. http://orcid.org/0000-0002-2063-580X
Palavras-chave: Ensino Híbrido, Formação Continuada de Professores, Prática Docente.

Resumo

Este artigo tem por objetivo identificar aspectos da prática de uma docente ao ministrar disciplinas fundamentadas no Ensino Híbrido para o curso de Fisioterapia de uma instituição privada de Ensino Superior, situada no Distrito Federal. Como instrumento de coleta de informações, foi utilizada a entrevista semiestruturada, composta de um roteiro com oito questões. A análise dessas informações foi inspirada na Análise de Conteúdo, principalmente os procedimentos de fragmentação, codificação e realização de agrupamentos das respostas. Conclui-se que a professora demonstra conhecer que as disciplinas híbridas são assim denominadas por combinar dois contextos de aprendizagem, ou seja, parte é desenvolvido em ambientes virtuais e parte presencial, porém, ao observar como é sua prática em sala de aula, nota-se que a professora reconhece não ter conseguido se adaptar à situação e está em processo de aceitação e mudança de práticas, por se tratar de uma inovação disruptiva de ensino.

 

Palavras-chave: Ensino Híbrido. Formação Continuada de Professores. Prática Docente.

 

Abstract

This article aims to identify aspects of a teacher's practice in teaching subjects based on Blended Learning for the Physiotherapy course of a private institution of Higher Education, located in the Federal District. As a tool for collecting information, a semi-structured interview was used, consisting of a script with eight questions. To analyze this information, we draw on content analysis inspirations, especially the fragmentation, coding and grouping procedures of the responses. We conclude that the teacher demonstrates to know that the hybrid disciplines are so named by combining two learning contexts, that is, part is developed in virtual environments and part in person, but when positioning itself about what is their practice in the classroom, it is noted that the teacher acknowledges that she was unable to adapt to the situation and is in the process of accepting and changing practices, as it is a disruptive teaching innovation.

 

Keywords:  Blended Learning. Continuing Teacher Training. Teaching Practice.

 

Biografia do Autor

Arthur Loran de Mello André da Silva, Unopar, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Metodologias para Ensino de Linguagens e suas Tecnologias. PR, Brasil.
Possui graduação em Fisioterapia pela Universidade Paulista (2012). Pós-graduado em Terapia Manual e Postural pelo Instituto Salgado (2015). Mestrando em Metodologias para o Ensino de Linguagens e Suas Tecnologias. Atualmente é Docente e Coordenador Acadêmico da Faculdade Anhanguera de Taguatinga. Tem experiência na área de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, com ênfase em Terapia Manual e Desportiva.
Diego Fogaça Carvalho, Unopar, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Metodologias para Ensino de Linguagens e suas Tecnologias, PR, Brasil; e Universidade Anhanguera Uniderp, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino de Ciências e Matemática. MS, Brasil.
Diego Fogaça Carvalho possui graduação em Matemática pela Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão (2008), mestrado (2012) e doutorado (2016) em Ensino de Ciências e Educação Matemática pela Universidade Estadual de Londrina. Também realizou seu estágio pós-doutoral na mesma universidade que concluiu o doutorado (2017). Atualmente, é professor permanente nos Programas de Mestrado em Metodologias para o Ensino de Linguagens e suas Tecnologias da Unopar e Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática da Universidade Anhanguera -- Uniderp. Seus principais interesses de pesquisa se centram nos seguintes temas: relação com o saber; analises qualitativas; o papel de políticas públicas como o PIBID na formação inicial e continuada de professores.
Angélica da Fontoura Garcia da Silva, Universidade Anhanguera de São Paulo, Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática. SP, Brasil; e Unopar, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Metodologias para Ensino de Linguagens e suas Tecnologias, PR.
Possui graduação em licenciatura em Ciências habilitação em Matemática, doutora em Educação Matemática pelo Programa de Estudos Pós graduados em Educação Matemática da PUC-SP, mestre em Educação pelo Programa Educação: História Política e Sociedade da PUC-SP . Fez estágio de doutoramento Sandwich em 2006, na Escola Superior de Educação de Lisboa sob a supervisão da professora Maria de Lurdes Serrazina. É professora contratada pelo Programa de Pós-graduação em Educação Matemática da Universidade Anhanguera de São Paulo . Desenvolve atividade de pesquisa sobre o Formação de Professores que ensinam Matemática. Participa do grupo de pesquisa: Observatório da Educação. Os resultados de pesquisa foram publicados em anais de congressos nacionais e internacionais na área.
Hallynnee Héllenn Pires Rossetto, Universidade Estadual de Londrina, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática. PR, Brasil.
Possui graduação em Matemática pela Faculdade Estadual de Educação Ciências e Letras de Paranavaí (2009), mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática da UEL - Universidade Estadual de Londrina orientada pela Profª Drª Regina Luzia Corio de Buriasco (2016). Atualmente é doutoranda nesse mesmo programa, integrante do GEPEMA - Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Matemática e Avaliação - UEL e docente na Universidade Pitágoras-Unopar.

Referências

ALARCÃO, I. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. São Paulo: Cortez, 2011.

ARAÚJO, J.L.; BORBA, M.C. Construindo pesquisas coletivamente em educação Matemática. In: BORBA, M.C.; ARAÚJO, J.L. (Org.). Pesquisa qualitativa em educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2004. p.77-98.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES: diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em Fisioterapia. Brasília, 2002. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES042002.pdf>. Acesso em: 7 nov. 2019.

CORTESÃO, L. Ser professor: um ofício em risco de extinção. São Paulo: Cortez, 2002.

CYRINO, M.C.C.T. Preparação e emancipação profissional na formação inicial do professor de matemática. In: NACARATO, A.M; PAIVA, M.A.V.P. (Org.). A formação do professor que ensina matemática: perspectivas e pesquisas. Belo Horizonte: Autentica, 2006. p.77-88

DRISCOLL, M. Blended learning: let's get beyond the hype, 2002. Disponível em: http://www-07.ibm.com/services/pdf/ blended_learning.pdf. Acesso em: 6 nov. 2019

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

HORN, M.B.; STAKER, H. Blended: usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

MIZUAMI, M.G.N. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.

SANTOS, B.S. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. São Paulo: Cortez, 1995.

TRIVIÑOS. A.N.S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VALENTE, J.A. Blended learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. Educar em Rev., p.79-97, 2014.

Publicado
2019-12-20
Seção
Artigos