Currículo e Avaliação: Caminhos que se Cruzam entre o Projeto Pedagógico Institucional/IFMT e a Organização Didática/IFMT

  • Luciana Maria Klant Instituto Federal de Mato Grosso, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Profissional e Tecnológica. MT, Brasil.
  • Elizandra Regina Muxfeldt Instituto Federal de Mato Grosso, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Profissional e Tecnológica. MT, Brasil.
  • Tania Maria Alves de Abreu Gimenes Instituto Federal de Mato Grosso, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Profissional e Tecnológica. MT, Brasil.
  • Ed’Wilson Tavares Ferreira Instituto Federal de Mato Grosso, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Profissional e Tecnológica.
  • Geison Jader Mello Instituto Federal de Mato Grosso, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Profissional e Tecnológica; e Instituto Federal de Mato Grosso, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino. MT.
  • Vanderley Severino dos Santos Instituto Federal de Mato Grosso, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Profissional e Tecnológica. MT
Palavras-chave: Projeto Pedagógico Institucional, Organização Didática, currículo, avaliação

Resumo

As instituições de ensino têm importantes documentos que norteiam seus objetivos e suas ações. Documentos estes que devem estar consoantes com a legislação, mas, mais do que isso, devem expressar seus princípios e suas diretrizes, além de servir de guia e orientação para os estudantes, professores e técnicos. Este trabalho objetivou identificar e comparar as concepções de currículo e avaliação presentes nos documentos institucionais do IFMT, sendo eles o Plano Pedagógico Institucional (PPI) e a Organização Didática (OD). Foi usada uma abordagem qualitativa, por meio de pesquisa bibliográfica, análise documental, com características descritivas, interpretativas e comparativas. Conclui-se que entre os documentos há conformações, principalmente no que se refere aos conceitos utilizados nos dois documentos. Porém ao analisar a OD, que é um documento regulador, percebe-se que a mesma apresenta imperativos que direcionam as estratégias de avaliação que confrontam radicalmente com as diretrizes da educação integrada expressa no PPI. Há diversos aspectos em que se observa contradições entre as diretrizes propostas para a avaliação da aprendizagem pelo PPI e a regulamentação da aplicação desta avaliação. Havendo assim necessidade de revisão, por parte da instituição, da regulamentação que ordena a avaliação do processo de ensino aprendizagem para que os documentos institucionais caminhem na mesma direção, que é do êxito no processo de ensino aprendizagem.

 

Palavras-chave: Projeto Pedagógico Institucional. Organização Didática. Diretrizes Pedagógicas.

 

Abstract

Educational institutions have important documents that guide their objectives and actions. These documents should be in accordance with the legislation, but more than that, should express its principles and guidelines, and serve as a guide and guidance for students, teachers and technicians. This work aimed to identify and compare the concepts of curriculum and assessment present in IFMT institutional documents, namely the Institutional Pedagogical Plan (PPI) and the Didactic Organization (OD). A qualitative approach was used, through bibliographic research, document analysis, with descriptive, interpretative and comparative characteristics. It is concluded that among the documents there are conformations, mainly regarding the concepts used in both documents. However, when analyzing OD, which is a regulatory document, it can be seen that it has imperatives that direct evaluation strategies that radically confront the integrated education guidelines expressed in the PPI. There are several aspects in which there are contradictions between the proposed guidelines for the assessment of learning by the PPI and the regulation of the application of this assessment. Thus, there is a need for the institution to revise the regulations that mandate the assessment of the teaching-learning process so that the institutional documents move in the same direction, which is the success in the teaching-learning process.

 

Keyword: Institutional Pedagogical Project. Didactic Organization. Pedagogical Guidelines.

 

Biografia do Autor

Geison Jader Mello, Instituto Federal de Mato Grosso, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Profissional e Tecnológica; e Instituto Federal de Mato Grosso, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino. MT.
Possui Licenciatura Plena em Ciências Naturais e Matemática - Habilitação em Física (2008), Mestrado (2010) e Doutorado (2013) ambos pelo Programa de Pós-Graduação Física Ambiental (PGFA), Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em Mudanças Climáticas Globais com enfoque em Teoria dos Sistemas Dinâmicos Não Lineares. Atualmente é professor de Física no Campus Cuiabá do Instituto Federal de Mato Grosso (CBA IFMT), Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino - Mestrado Acadêmico (PPGEn UNIC IFMT) e do Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica - Mestrado Profissional (ProfEPT IFMT).

Referências

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC, 2013.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Lei n° 9394/96. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9394.htm. Acesso em: 12/04/2019.

BRASIL. Lei n° 10.861, de 14 de abril de 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2004/Lei/L10.861.htm. Acesso em: 12 abr. 2019.

BRASIL. Decreto nº 9.235 de 15 de dezembro de 2017. Dispõe sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação das instituições de educação superior e dos cursos superiores de graduação e de pós-graduação no sistema federal de ensino.

Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Decreto/D9235.htm. Acesso em: 12 abr. 2019.

BRASIL. Decreto nº 7.566, de 23 de setembro de 1009. Cria nas Capitais dos Estados da República Escolas de aprendizes de Artífices, para Ensino Profissional Primário Gratuito. Presidência da República, 1909. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf3/decreto_7566_1909.pdf. Acesso em: 20 abr. 2019.

BRASIL. Lei 11.892/2008, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11892.htm. Acesso em: 10 maio 2019.

BRASIL. Plano de Desenvolvimento Institucional - PDI 2019-2023. Cuiabá: IFMT, 2018.

BRASIL. Resolução CONSUP/IFMT n° 104, de 15 de dezembro de 2014, que aprova a Organização Didática. Cuiabá: IFMT, 2014.

FORQUIN, J-C. As abordagens sociológicas do currículo: orientações teóricas e perspectivas de pesquisa. Educ. Realidade, v.21, n.1, p.187-198, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GADOTTI, M. Educação e poder: introdução à pedagogia do conflito. São Paulo: Cortez, 1984.

MANACORDA, M.A. Marx e a pedagogia moderna. São Paulo: Cortez, 2000.

MORETTO, V.P. Prova: um momento privilegiado do estudo, não um acerto de contas. Rio de Janeiro: Lamparina, 2014.

PACHECO, E.M. Os Institutos Federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. Natal: IFPRN, 2010.

SACRISTÁN, J.G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: ArtMed, 2000.

SANTOS, M.T.A; MORILA, P.A. A Educação profissional e tecnológica no Brasil: uma trajetória utilitarista e seus percalços. Kiri-Kerê Pesq. Ensino, n.4, p.119-149, 2018.

SILVA, C.J.R. et al. Institutos Federais Lei 11.892, de 29/12/2008: comentário e reflexões. Natal: IFPRN, 2009.

VEIGA, I.P.A. Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. Campinas: Papirus, 2013.

LIBÂNEO, J. C. Organização e gestão escolar: teoria e prática. Goiânia: Alternativa, 2004.

ZABALA, A. A Prática Educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Publicado
2019-12-20
Seção
Artigos