O Uso de Metodologias Ativas e Tradicionais para Transmissão e Produção de Conhecimento: um Relato de Experiência

  • Igor Mateus Batista Universidade Estadual do Paraná, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino: Formação Docente Interdisciplinar. PR, Brasil. http://orcid.org/0000-0002-4010-300X
  • Renato Paulo Universidade Estadual do Paraná, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino: Formação Docente Interdisciplinar. PR, Brasil. http://orcid.org/0000-0003-4608-7247
  • Shalimar Calegari Zanatta Universidade Estadual do Paraná, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino: Formação Docente Interdisciplinar. PR, Brasil
  • Alexandre Paulo Loro Universidade Estadual do Paraná, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino: Formação Docente Interdisciplinar. PR, Brasil http://orcid.org/0000-0002-4207-7642

Resumo

Resumo
Este artigo é um relato de experiência, no qual se apresenta o desenvolvimento teórico, aplicação e resultados de um minicurso com 8 horas. O público-alvo envolveu professores e estudantes do Curso de Formação Docente, direcionado ao Ensino Médio de um Colégio da rede pública estadual do Noroeste do Paraná. O objetivo do referido minicurso foi desenvolver neste público a perspectiva interdisciplinar dos conteúdos, que envolvem as definições de ‘trabalho’, sem perder o foco no papel do professor como agente transmissor do conhecimento. O minicurso articulou teoria e prática, a partir do uso de metodologias ativas, que aqui serão denominadas de metodologias ativas críticas. Assim, aborda-se o tema ‘trabalho’ na perspectiva da pré-história, a partir do conceito de Marx (2008) e Lessa (1999), bem como a definição deste conceito no escopo da Física Newtoniana. Para isto, são utilizados recursos audiovisuais, como exemplo, o filme 2001: uma odisséia no espaço (1968), de Stanley Kubrick, e foi construído um artefato importante para o cotidiano do homem na pré-história, utilizando um fragmento de madeira, pedra e linha. Com este artefato, os participantes foram convidados a quebrar uma castanha-do-pará. A dinâmica demonstrou que os participantes se sentiram motivados para a aprendizagem e que a transmissão oral do conhecimento é uma etapa importante do processo ensino e aprendizagem. O tema trabalho pôde ser estudado em diferentes contextos, ampliando seus significados.

Palavras-chave: Trabalho. Ensino Tradicional. Práxis.

Abstract
This article is an experience report in which theoretical development, application and results of an 8-hour short course are presented. The target audience was formed by students from the Teacher Training Course, and it was directed to the high school of a public and state school college in Northwestern Paraná. The aim of this short course was to develop in this audience the interdisciplinary perspective of the contents that involve the definitions of 'work', without losing focus on the teacher's role as a knowledge transmitting agent. The short course articulated theory and practice from the use of active methodologies, which will be called as critical active methodologies. Thus, the theme 'work' was approached from the perspective of prehistory, from the concept of Marx (2008) and Lessa (1999), as well as the definition of this concept within the scope of Newtonian Physycs. For this, audiovisual resources were used, as an example the movie 2001: A Space Odyssey (1968) by Stanley Kubrick, and an important artifact was built for the man’s daily life in prehistory, using a piece of wood, stone and line. With this artefact, the participants were invited to break a Brazil nut. The dynamics showed that participants were motivated to learn and that knowledge oral transmission is an important step in the teaching and learning process. The theme work could be studied in different contexts, expanding its meanings.

Keywords: Work. Traditional Teaching. Praxis.

Referências

ABUD, Katia Maria. A construção de uma Didática da História: algumas idéias sobre a utilização de filmes no ensino. História, Franca, v. 22, n. 1, p. 183-193, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-90742003000100008&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 23 out.2019.

ANDERY, M. A. P. A. (et al.) Para compreender a ciência: uma perspectivahistórica. Rio de Janeiro: Garamond, 2012.

ANTUNES, R.O Privilégio da Servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

BRAVERMAN, H. Trabalho e capital monopolista: degradação do trabalho no século XX. Zahar, Rio de Janeiro, 1977.

BYBEE, R. W. Scientific inquiry and science teaching. In: Flick, L.; Lederman, N.G. (Ed.) Scientific Inquiry and Nature of Science: Implications for Teaching, Learning, and Teacher Education. New York: Springer, 2006. p.1-14.

DEITOS, J. M.; SOBZINSKI, J. S. O materialismo histórico e dialético: contribuições para a análise de políticas educacionais. Impulso, Piracicaba, v. 25, n. 63, p. 101-118, Maio/Ago. 2015.

DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir. 10 ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: MEC: UNESCO, 2006.

DIESEL, A.; BALDEZ, A. L. S.; MARTINS, S. N. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema, s/c, v. 14, n. 1, p. 268-288, s/m, 2017. Disponível em: http://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/404/295. Acesso em: 22 out. 2019.

FERRETI, C. J.; SILVA, M. R. da. Reforma do Ensino Médio no Contexto da Medida Provisória Nº 746/2016: Estado, currículo e disputas por hegemonia. Educação e Sociedade, Campinas, v. 38, nº. 139, p. 385-404, abr./jun., 2017.

FIGUEIRA, F. G. Reflexões sobre a história. Intermeio, Campo Grande, MS, v.1, p. 37-43, 1995.

GIL, A. C. Como elaborar projeto de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

KUENZER, A. Z. Pedagogia da fábrica. 4. ed. São Paulo: Cortez, 1995.

KUENZER, A. Z. Trabalho e escola: a aprendizagem flexibilizada. In: Reunião Científica Regional da ANPED: Educação, Movimentos Sociais e Políticas Governamentais. 11, 2016, Curitiba, PR. Anais... Curitiba, v. 1, Disponível em: http://www.anpedsul2016.ufpr.br/portal/wp-content/uploads/2015/11/Eixo-21-Educaçao-e-Trabalho.pdf. Acesso em: 14 abr. 2019.

KUENZER, A. Z. Trabalho e Escola: a flexibilização do ensino médio no contexto do regime de acumulação flexível. Educação e Sociedade, Campinas, v. 28, n. 139, p. 331-354, abr./jun., 2017.

LESSA, Sergio. O processo de produção/reprodução social: trabalho e sociabilidade. Brasília: CEAD, 1999, p. 20-33.

LUKÁCS, G. Para uma ontologia do ser social. São Paulo: Boitempo, 2013.

MARIN, M. J. S. (et al.) Aspectos das fortalezas e fragilidades no uso das metodologias ativas de aprendizagem. Rev. Bras. Educ. Med., Rio de Janeiro, v. 34, n. 1, p. 13-20, mar. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022010000100003&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 22 out. 2019.

MARX, K.; ENGELS, F. Textos sobre educação e ensino. 2 ed. São Paulo: Moraes, 1992.

MARX, K. O capital: crítica da economia política: livro I. 26 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

MARTINS, L M.; DUARTE, N. O debate contemporâneo das teorias pedagógicas. In: MARTINS, L M.; DUARTE, N. (orgs). Formação de professores: limites contemporâneos e alternativas necessárias. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010, p. 33-50.

PAVIANI, N. M. S.; FONTANA, N. M. Oficinas pedagógicas: relato de uma experiência. Conjectura, Caxias do Sul, v. 14, n. 2, p. 77-88, Mai/Ago. 2009.

SÁ-SILVA, J. R.; ALMEIDA, C. D.; GUINDANI, J. F. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais. S/c, S/v, nº. 1, p. 1 –15, jul., 2009.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11.ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

SNYDERS, G. Pedagogia Progressista. Coimbra: Livraria Almeida, 1974.

THIESEN, J. S. A interdisciplinaridade como um movimento articulador no processo ensino-aprendizagem. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 13, n. 39, p. 545-554, Dez. 2008. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782008000300010&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 23 out. 2019.

VIEIRA, E.; VOLQUIND, L. Oficinas de ensino: O quê? Por quê? Como? 4. ed. Porto Alegre: Edipucrs, 2002.

- uma odisséia no espaço. Direção de Stanley Kubrick. Estados Unidos da América e Reino Unido: Warner Bros. Entertainment, HawkFilms e Metro-Goldwyn-Mayer, 1968. 1 DVD.

Publicado
2021-01-19
Seção
Artigos