Metodologias Ativas e Aprendizagem Significativa: Processo Educativo no Ensino em Saúde

Autores

  • Jackeline Camargos Pereira Discente do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu - Mestrado Profissional Ensino em Saúde, Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul, Dourados, Mato Grosso do Sul.
  • Luma Ravena Soares Monte Discente do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu - Mestrado Profissional Ensino em Saúde, Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul, Dourados, Mato Grosso do Sul
  • Caroline Cordeiro Souto Discente do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu - Mestrado Profissional Ensino em Saúde, Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul, Dourados, Mato Grosso do Sul
  • Antonio Henrique Matos Carvalho Fundação de Saúde do Município de Dourados, Mato Grosso do Sul
  • Luzimeire dos Santos Teixeira Secretaria Municipal de Saúde, Dourados, Mato Grosso do Sul
  • Rogério Dias Renovato Professor Doutor do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu - Mestrado Profissional Ensino em Saúde, Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul, Dourados, Mato Grosso do Sul.
  • Cibele De Moura Sales Professora Doutora do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu - Mestrado Profissional Ensino em Saúde, Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul, Dourados, Mato Grosso do Sul.

DOI:

https://doi.org/10.17921/2447-8733.2021v22n1p11-19

Resumo

Resumo
O termo ensino e aprendizagem valoriza a interdependência dos processos de ensinar e de aprender. As metodologias ativas de ensino e a teoria da aprendizagem significativa de Ausubel dão protagonismo ao estudante em seu desenvolvimento cognitivo, respeitando os saberes prévios, teóricos e práticos. O objetivo da pesquisa é analisar uma prática educativa, segundo a teoria da aprendizagem significativa, sobre metodologias ativas no ensino em saúde, realizada no Programa de Pós-graduação em Ensino em Saúde, mestrado profissional, da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. A prática educativa foi realizada em quatro momentos: construção de uma colcha de retalhos pelos participantes; problematização sobre metodologia ativa; construção de mapa conceitual; e apresentação da teoria da aprendizagem significativa por meio de um cordel elaborado pelo grupo. A confecção da colcha de retalhos resgatou os saberes, bem como propiciou troca de experiências e de reflexões. A problematização desencadeou um consenso de que as metodologias de ensino devem ser estrategicamente planejadas, considerando o contexto e os atores envolvidos. O mapa conceitual como estratégia educativa e de avaliação formativa evidenciou que os mestrandos desenvolveram a aprendizagem significativa na temática abordada. A entoação do cordel sobre a teoria da aprendizagem significativa despertou o interesse e a atenção dos educandos. A prática educativa mobilizou subsunçores na temática, com problematização, reflexão e ressignificação, tanto nos participantes quanto nos mediadores, de forma horizontal no ensino e aprendizagem, em que quem ensina aprende, e quem aprende também ensina. Portanto, foi um processo de metodologia ativa de ensino com aprendizagem significativa.

Palavras-chave: Educação em Saúde. Metodologias Ativas de Ensino e Aprendizagem. Problematização. Mapas Conceituais.
Abstract
The term teaching-learning values the teaching and learning interdependence processes. The active teaching methodologies and Ausubel's theory of meaningful learning provide the student with a leading role in his or her cognitive development, respecting previous, theoretical and practical knowledge. The objective of this research is to analyze an educational practice, according to the theory of meaningful learning, about active methodologies in health education, held in the professional master degree level at University of Mato Grosso do Sul in Health Education Postgraduate Program. The educational practice was performed in 4 moments: a quilt construction by the participants; questioning about active methodology; concept map construction; and presentation of the theory of meaningful learning through a cordel elaborated by the group. The making of the quilt rescued the knowledge as well as provided exchange of experiences and considerations. The questioning triggered a consensus that teaching methodologies should be strategically planned, considering the context and the actors involved. The concept map as an educational strategy and formative evaluation showed that the master degree students developed significant learning in the thematic approach. The cordel intonation about the theory of meaningful learning aroused the students’ interest and attention. The educational practice mobilized subsumers, with problematization, reflection and resignification, both in the participants and the mediators, horizontally in teaching-learning, where those who teach learn, and those who learn also teach. Therefore, it was a process of active teaching methodology with significant learning.

Keywords: Health Education. Active Teaching-Learning Methodologies. Problematization. Concept Maps.

Referências

AMARAL, R. A. P. A “colcha de retalhos”: uma metáfora do conhecimento. Revista Inter Ação, Goiânia, v. 25, n. 2, p. 23-25, jul./dez. 2000. Doi: https://doi.org/10.5216/ia.v25i1.1690

ANASTASIOU, L. G. C. Ensinar, aprender, apreender e processos de ensinagem. In: ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, L. P. (org.). Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 10. ed. Joinvile, SC: Editora Univille, 2015, p. 17-44

ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, L. P. Estratégias de ensinagem. In: ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, L. P. (org.). Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 10. ed. Joinvile, SC: Editora Univille, 2015, p. 73-107.

ARAÚJO, J.C.S. Fundamentos da Metodologia de Ensino Ativa. 37ª Reunião Nacional da ANPEd, outubro de 2015, UFSC – Florianópolis. Disponível em: http://www.anped.org.br/sites/default/files/trabalho-gt02-4216.pdf. Acesso em: 09 de out. 2019.

BOTH, I. J.; BRANDALISE, M. A. T. Interferência pedagógica na avaliação da aprendizagem no ensino presencial e a distância com o uso de tecnologias. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, n. 2, p. 807-821, abr./jun. 2018. Doi: https://doi.org/10.21723/riaee.v13.n2.2018.9924

COLCHA de Retalhos. Direção de Jocelyn Moorhouse. EUA: Amblin Entertainment /Universal Pictures, 1995. DVD (116 min).

DANTAS, F. C. Diretrizes para aprendizagem significativa no ensino da enfermagem: uma contribuição para o cuidado. 2018. 155 f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Ciências do Cuidado em Saúde) - Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Niterói, 2018. Disponível em: https://app.uff.br/riuff/handle/1/7119. Acesso em 7 nov. 2019.

DISTLER, R. R. Contribuições de David Ausubel para a intervenção psicopedagógica. Rev. psicopedag., São Paulo, v. 32, n. 98, p. 191-199, 2015. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84862015000200009&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 27 out. 2019.

DUARTE, C. E. Avaliação da aprendizagem escolar: como os professores estão praticando a avaliação na escola. Holos, [s. l.], v. 8, p. 53-63, jan. 2016. Doi: https://doi.org/10.15628/holos.2015.1660

FILHO, G. F. A.; MACHADO, J. T. M.; AMARAL, L. H. Ausubel: aprendizagem significativa e avaliação. Revista Atlante: cuadernos de educación y desarrollo [online], out. 2015. Disponível em: http://www.eumed.net/rev/atlante/2015/10/ausubel.html. Acesso em: 22 set. 2019.

FREIRE, M (org.). Observação, registro e reflexão: Instrumentos Metodológicos I. 2 ed. São Paulo: Espaço Pedagógico, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

HONORATO, C. A.; DIAS, K. K. B.; DIAS, K. C. B. Aprendizagem Significativa: uma introdução à teoria. Mediação, Pires do Rio - GO, v. 13, n. 1, p. 22-37, jan./jun. 2018. Disponível em: https://www.revista.ueg.br/index.php/mediacao/issue/view/422. Acesso em: 10 ago. 2019.

KUBO, O. M.; BOTOMÉ, S. P. Ensino-aprendizagem: uma interação entre dois processos comportamentais. Interação em Psicologia, Curitiba, v. 5, dez. 2001. Doi: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v5i1.3321

MELLO, C.C.B.; ALVES, R.O.; LEMOS, S.M.A. Metodologias de ensino e formação na área da saúde: revisão de literatura. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 16, n. 6, p. 2015-2028, dez. 2014. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/1982-0216201416012.

MORAES, J. U; SANTANA, R. G; VIANA-BARBOSA, C. J. Avaliação baseada na Aprendizagem Significativa por meio de Mapas Conceituais. In:VIII ENPEC - Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências e I CIEC – Congresso Iberoamericano de Investigaciónen Enseñanza de lãs Ciéncias, Campinas 2011 [Atas]. Disponível em: www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R0367-1.pdf. Acesso em: 20 ago. 2019.

MOREIRA, M. A. A aprendizagem significativa: um conceito subjacente. Aprendizagem Significativa em Revista, Porto Alegre, v. 1, n. 3, p. 25-46, 2011. Disponível em: http://www.if.ufrgs.br/asr/artigos/Artigo_ID16/v1_n3_a2011.pdf. Acesso em: 12 ago. 2019.

MOREIRA, M. A. Mapas conceituais e aprendizagem significativa. Porto Alegre, RS, 2012. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/~moreira/mapasport.pdf. Acesso em: 25 set. 2019.

MOREIRA, M. A. O que é, afinal, aprendizagem significativa? Cuiabá, MT, 2010. Disponível em: moreira.if.ufrgs.br/oqueeafinal.pdf. Acesso em: 22 ago. 2019.

PELIZZARI, A. et. al. Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. Rev. PEC, Curitiba, v. 2, n. 1, p. 37-42, 2002. Disponível em: portaldoprofessor.mec.gov.br/storage/materiais/0000012381.pdf. Acesso em: 20 ago. 2019.

PEREIRA, P. R. B. et al. Metodologias ativas no processo da aprendizagem significativa. Revista Olhar Científico, Ariquemes – RO, v. 4, n.1, p. 592-616, jan./jul. 2018. Disponível em: http://www.olharcientifico.kinghost.net/index.php/olhar/article/view/128/pdf. Acesso em: 27 set. 2019.

PIMENTEL, F. S. C. Metodologias Ativas. Educação Online, 2010. Disponível em: http://fernandoscpimentel.blogspot.com/2010/08/metodologias-ativas.html. Acesso em: 28 nov. 2019

ROMAN, C. et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem no processo de ensino em saúde no Brasil: uma revisão narrativa. Clinical and Biomedical Research, Porto Alegre, v. 37, n. 4, dez. 2017. Doi: http://dx.doi.org/10.4322/2357-9730.73911

ROMANOWSKI, J. P.; WACHOWICZ, L. A. Avaliação Formativa no ensino superior: que resistências manifestam os professores e os alunos? In: ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, L. P. (org.). Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 10. ed. Joinvile, SC: Editora Univille, 2015, p. 121-139.

ROSITO, M. M. B; SILVA, M. L. “Colcha de Retalhos” e narrativas autobiográficas: um olhar da psicanálise. Revista de Estudos Aplicados em Educação, v. 2, n. 4, jul./dez. 2017. Doi: https://doi.org/10.13037/rea-e.vol2n4.4736

SANTOS, S. S. F.; KAULFUSS, M. A. Aprendizagem significativa: conceito historico. Revista científica eletrônica de Ciências Aplicadas da FAIT: pedagogia, [s.l.], v. 6, nov. 2015. Disponível em: http://fait.revista.inf.br/imagens_arquivos/arquivos_destaque/yNxLZeJ3NiwvknH_2017-1-21-10-37-9.pdf. Acesso em: 17 out. 2019.

SILVA, C. C; RIBEIRO, N. A colcha de retalhos. 3. ed. São Paulo: Editora do Brasil, 2010.

SOBRAL, F. R.; CAMPOS, C. J. G. Utilização de metodologia ativa no ensino e assistência de enfermagem na produção nacional: revisão integrativa. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo, v. 46, n. 1, p. 208-218, 2012. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342012000100028

SOUSA, A. T. O. et al. A utilização da teoria da aprendizagem significativa no ensino da Enfermagem. Rev. Bras. Enferm., Brasília, v. 68, n. 4, p. 713-722, ago. 2015. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2015680420i

TORRES, P. L; CARNEIRO, V. B; FERNANDES, R. T. Autonomia discente na universidade: metodologias ativas e a cibercultura. Revista Teias, [S.l.], v. 20, n. 56, p. 171-187, mar. 2019. DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2019.39666

TRINDADE, H. C. S. T; COSTA, V. A. O papel do professor e das metodologias ativas no desenvolvimento de aptidões e conhecimentos necessários para o século XXI. Revista Eletrônica de Ciências Humanas, Saúde e Tecnologia, v. 6, n.1, p. 28-58, 2017. Disponível em: https://revista.fasem.edu.br/index.php/fasem/article/view/127. Acesso em 20 ago. 2019.

Downloads

Publicado

2021-03-25

Edição

Seção

Artigos