Minerva Diaz de Sá Barreto e o Atendimento às Pessoas com Deficiência em Barbalha-CE

Resumo

O estuda trata do atendimento às pessoas em situação de vulnerabilidade da cidade de Barbalha-CE, mais especificamente das crianças com deficiência intermediado por uma americana residente no Brasil. Objetiva-se biografar Minerva Diaz de Sá Barreto, fundadora da Associação Pestalozzi, com ênfase no seu envolvimento com as práticas caritativas e de assistência social que fomentaram atendimento às pessoas com deficiência da cidade de Barbalha-CE (1964-2010). Utilizou-se a metodologia da história oral, com a realização entrevistas livres e individuais com oito mulheres que conviveram com a biografada na referida instituição. As narrativas oralizadas foram gravadas, transcritas, textualizadas e validadas, consolidando-se em fontes orais documentadas. Reconstituiu-se a vida de Minerva Barreto desvelando as particularidades da trajetória de uma americana que foi morar no interior do Ceará, ao casar-se com um cidadão da região do Cariri, após lograr de formação educacional diferenciada. Averiguou-se que, em Barbalha, Minerva Barreto se empenhou em assistir às pessoas empobrecidas por meio de práticas caritativas e assistenciais, desde o desenvolvimento de projetos para a garantia da sobrevivência a promoção da inclusão às crianças com deficiência com a criação de instituições para atende-las, sendo a fundação da Associação Pestalozzi um dos seus maiores feitos. Conclui-se que o seu reconhecimento social e sua atuação junto às crianças com deficiência foi possível graças ao capital cultural adquirido fora do Brasil, a sua sensibilização pessoal e a condição de esposa do prefeito da cidade.

 

Palavras-chave: Biografia. Minerva Diaz. Associação Pestalozzi. Assistência social.

 

Abstract

The study deals with the care of people in situations of vulnerability in the city of Barbalha-CE, more specifically of children with disabilities mediated by an American resident in Brazil. The aim is to biograph Minerva Diaz de Sá Barreto, founder of the Pestalozzi Association, with an emphasis on her involvement with charitable and social assistance practices that fostered care for people with disabilities in the city of Barbalha-CE (1964-2010). The oral history methodology was used, with free and individual interviews with 08 women who lived with the biography in that institution. The oralized narratives were recorded, transcribed, textualized and validated, consolidated in documented oral sources. Minerva Barreto's life was reconstructed, revealing the particularities of the trajectory of an American woman who went to live in the interior of Ceará, when she married a citizen of the Cariri region, after achieving a differentiated educational background. It was found that, in Barbalha, Minerva Barreto endeavored to assist impoverished people through charitable and assistance practices, from the development of projects to guarantee survival to the promotion of inclusion for children with disabilities with the creation of institutions to assist them, the foundation of the Pestalozzi Association being one of its greatest achievements. We conclude that her social recognition and her work with children with disabilities was made possible by the cultural capital acquired outside Brazil, her personal awareness and the condition of wife of the mayor of the city.

 

Keywords: Biography. Minerva Diaz. Pestalozzi Association. Social assistance.

 

Biografia do Autor

Tania Maria Rodrigues Lopes, Universidade Estadual do Ceará. CE, Brasil.

Doutorado em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará e Pós-Doutorado em Educação pela Universidade Federal da Paraíba - UFPB. Atualmente, é Professora Adjunta da Universidade Estadual do Ceará, com experiência na área de Educação, atuando como investigadora e assessora, principalmente, nos seguintes temas: coordenação pedagógica, formação de professores, instituições escolares e educação comparada.Integra o Grupo Práticas Educativas, Memórias e Oralidades.

Francisca Genifer Andrade de Sousa, Universidade Estadual do Ceará. CE, Brasil.

Doutoranda e Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Ceará (PPGE/UECE). Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual do Ceará-UECE (2017). Pesquisadora do grupo de pesquisa Práticas Educativas Memórias e Oralidades da Universidade Estadual do Ceará (PEMO/UECE). Tem experiência em Educação, com ênfase em História da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Políticas públicas de juventudes, juventudes, história oral e memória. 

Lia Machado Fiuza Fialho, Universidade Estadual do Ceará. CE, Brasil.

Professora Adjunta do Centro de Educação da Universidade Estadual do Ceará, Professora Permanente do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE/UECE) e do Mestrado Profissional em Planejamento e Políticas Públicas. Pós-doutoranda em História da Educação na Universidade de Salamanca, Doutora em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará, Pós-doutora em Educação pela Universidade Federal da Paraíba. Bolsista produtividade CNPQ. Líder do Grupo de Pesquisa Práticas Educativas Memórias e Oralidades (PEMO). Editora chefa da revista Educação & Formação do PPGE/UECE. Editora chefa da coleção Práticas Educativas (EdUECE). Vice-Presidente da Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC)

Referências

ABU-EL-HAJ, M. F.; FIALHO, L. M. F. Formação docente e práticas pedagógicas multiculturais críticas. Revista Educação em Questão, v. 57, p. 1-27, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/17109 Acesso em: 21 jan. 2020.

ALBERTI, V. Histórias dentro da história. In: PINSKY, C. (Org.) Fontes históricas. São Paulo, Contexto, 2005.

ARAÚJO, H de L. M. R. A tradicional Escola Normal Rural Cearense chega ao Bairro de Fátima Formação das primeiras professoras primárias (1958-1950). Fortaleza: UFC, 2015.

BERNARDES, B de M. Notas sobre a formação social no Nordeste. Lua Nova, São Paulo, v. 71, p.41-79, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ln/n71/02.pdf Acesso em: 21 jan. 2020.

BOURDIEU, P. Os três estados do capital cultural. In: NOGUEIRA, M. A; CATANI, A. (Org). Escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 2003.

BOSI, E. A pesquisa em memória social. Psicologia USP, v.4, n.2, São Paulo, 1993. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/psicousp/article/view/34480 Acesso em: 21 jan. 2020.

BRASIL. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996.

BURKE, P. O que é história cultural? Tradução: PAULA, Sérgio Goes de. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

CARVALHO, S. O. C.; BRANDENBURG, C.; FIALHO, L. M. F. História cultural e micro-história: reflexões preliminares. In: RIBEIRO, Luís Távora Furtado; SILVA, Samara Mendes Araújo; CASTRO, Francisco Mirtiel Frankson Moura (ORGS). Debates em história da educação e formação de professores: perspectivas da educação contemporânea [recurso eletrônico]. Fortaleza: EdUECE, 2019, p. 25-40.

DOSSE, F. O Desafio Biográfico: Escrever uma Vida. Tradução Douza, Gilson César Cardoso. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2015.

FERRAROTI, F. Sobre a autonomia do método biográfico. In: NÓVOA, A; FINGER, M (Org). O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: MS/DRHS/CFAP, 1988. p. 17-34.

FIALHO, L. M. F. O Ensino Médio Ministrado no Centro Educacional Patativa do Assaré. Holos, Natal, v. 2, p. 184-192, 2012. Disponível em: http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/870 Acesso em: 20 jan. 2020.

FIALHO, L. M. F; FREIRE, V. C. F. Educação formativa de uma líder política cearense: Maria Luíza Fontenele (1950-1965). Cadernos de História da educação, Uberlândia, v.17, n.2, p.343-364, 2018. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/che/article/view/43290 Acesso em: 20 jan. 2020.

FIALHO, L. M. F.; QUEIROZ, Z. F. Maria Neli Sobreira: história e memória da educação em Juazeiro do Norte. Educar em Revista, v. 34, p. 67-84, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0104-40602018000400067&lng=pt&nrm=iso Acesso em: 19 jan. 2020.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FREITAS, M. C de; BICCAS, M de S. História Social da Educação no Brasil (1926-1996). São Paulo, Cortez, 2009.

FONSECA, A.; COLARES, A.; COSTA, S da. Educação infantil: história, formação e desafios. Educação & Formação, v. 4, n. 12, 2019. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/1270 Acesso em: 19 jan. 2020.

GONDRA, J. G; SCHUELER, A. Educação, poder e Sociedade no Império Brasileiro. São Paulo: Cortez, 2008.

MACHADO, C. J dos S. Mulher e Educação: histórias, práticas e representações. João Pessoa: UFPB, 2006.

MAGALHÃES JUNIOR, A. G. Vigilância, transgressão e “punição”: memórias de ex-alunas de escolas católicas de formação de educadoras (1964-1969). 2003. 201f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2003.

MEIHY, J. C. S. B.; HOLANDA F. História Oral: Como fazer como pensar. São Paulo: Contexto, 2015.

LEVI, G. Usos da biografia. In: AMADO, Janaína; FERREIRA, Marieta de Moraes, coord. Usos & abusos da História Oral. 8a ed., 7ª reimpressão. Rio de Janeiro: editora FGV, 2016, p. 167-182.

LORIGA, S. O pequeno x: da biografia à história. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

MAGALHÃES JUNIOR, A. G. Vigilância, transgressão e “punição”: memórias de ex-alunas de escolas católicas de formação de educadoras (1964-1969). 2003. 201f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2003.

MARTÍN, L.; PÉREZ, M. C.; ESTEBAN, M. C. La formación inicial de profesores en matemáticas y su influencia en la mejora educativa de alumnado con necesidades específicas. Educação & Formação, v. 2, n. 5, p. 03-19, 2017. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/133 Acesso em: 19 jan. 2020.

NOGUEIRA, D. L. Amália Xavier e a Escola Normal Rural de Juazeiro do Norte: registros sob a constituição de uma cultura docente para a educação no campo. Fortaleza: IMEPH, 2011.

PERROT, M. Os excluídos da história: operários, mulheres e prisioneiros. Trad. Denise Bottmann. 7 ed. Rio de Janeiro/ São Paulo: paz e Terra, 2017.

RODRIGUES, E.; GAI, D. Atendimento educacional especializado e atelier pedagógico (entre deficiência potencial e arte potencial). Educação & Formação, v. 1, n. 3, p. 125-139, 2016. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/117 Acesso em: 19 jan. 2020.

RODRIGUES, R. M. Biografia e Gênero. In: FILAHO, L, M, F; VASCONCELOS, J, G; SANTANA, R, J (Orgs). Biografia de Mulheres. Fortaleza: EdUece, 2015, p. 54-70.

SARMENTO, M. J. Sociologia da infância: definindo conceitos, delimitando o campo. In: PINTO, M; SARMENTO, M. J. As crianças, conceitos e identidades. Braga: Universidade do Minho, 1997.

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

SOUSA, N. M.; NASCIMENTO, D. A inclusão escolar e o aluno com Síndrome de Down. Educação & Formação, v. 3, n. 9, p. 121-140, 2018. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/859 Acesso em: 19 jan. 2020.

THOMPSON, P. A voz do passado: história oral. Tradução Lólio Lourenço de Oliveira. 3. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

VIEIRA, C.; FARIA, M. N de. Formação de professores nos debates da i conferência nacional de educação (ICNE - 1927). Educação & Formação, v. 4, n. 10, p. 95-111, 2019. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/391 Acesso em: 19 jan. 2020.

Publicado
2020-06-17
Seção
Artigos