Mancala: uma Estratégia para a Formação de Professores em Cultura Africana

Resumo

Resumo
Este texto tem como objetivo refletir sobre as possibilidades de inserir contribuições importantes dos afrodescendentes no ambiente escolar, com uma visão para além da decolonização. De natureza qualitativa, este estudo foi realizado com trinta professores dos Anos Finais do Ensino Fundamental de diferentes componentes curriculares de uma Secretaria Municipal de Educação de um município do Vale do Paraíba Paulista no ano de 2019. Utilizou-se como instrumentos para a coleta de dados a proposição de uma oficina de Africanidade com o uso do jogo Mancala para estes professores, durante o Horário de Trabalho Coletivo e a avaliação do encontro, realizada por meio da aplicação de um questionário online enviado a todos os professores. Os resultados demonstram que a formação continuada é fundamental para o processo de desenvolvimento profissional docente e que ela possui um importante papel no processo de conhecimento, reflexão e trabalho pedagógico com a temática das diversidades étnico-raciais e da História da África. Os professores participantes afirmaram que conheciam o jogo, mas não sabiam jogar, o que demonstra, ainda, um distanciamento entre a compreensão epistemológica e sua aplicabilidade nos diferentes contextos da sala de aula. Verificou-se também que o processo formativo, quando promove vivências com os professores, amplia o processo reflexivo e as possibilidades de transformação das práticas educativas.

Palavras-chave: Formação de Professores. Diversidade Étnico-Racial. Mancala.

Abstract
This text aims to reflect on the possibilities of inserting important contributions of people of African descent in the school environment, with a vision beyond decolonization. Of a qualitative nature, this study was carried out with thirty teachers from the Final Years of Elementary School from different curricular components of a Municipal Education Secretariat of a municipality in Vale do Paraíba Paulista in 2019. It was used as instruments for data collection the proposition of an African workshop with the use of the Mancala game for these teachers, during the Collective Working Hours and the evaluation of the meeting, carried out through the application of an online questionnaire sent to all teachers. The results demonstrate that continuing education is fundamental to the professional development process of teachers and that it has an important role in the process of knowledge, reflection and pedagogical work with the theme of ethnic-racial diversities and the History of Africa. The participating teachers stated that they knew the game, but did not know how to play, which further demonstrates a gap between epistemological understanding and its applicability in different classroom contexts. It was also found that the formative process, when promoting experiences with teachers, expands the reflective process and the possibilities for transforming educational practices.

Keywords: Teacher Training. Ethnic-Racial Diversity. Mancala.

 

Biografia do Autor

Deni Ribeiro Prado Furtado, Universidade de Taubaté

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Bandeirante de São Paulo(2005), graduação em Estudos Sociais-Licenciatura em História pela Universidade Ibirapuera(1996), especialização em Educação para as Relações Étnicos-Raciais pela Universidade Federal de São Carlos(2013) e especialização em Especialização em História para Professores do EF e Ensino Médio pela Universidade Estadual de Campinas(2013). Atualmente é Orientador de Ensino da Prefeitura Municipal de São José dos Campos e Professor de Educação Básica da Secretaria Estadual de Educação de São Paulo. É Mestranda em Educação na Universidade de Taubaté.

Zuleika Zamoner, Universidade de Taubaté

Possui graduação em História pela UNOESC - Campus Chapecó - SC (1999), Pós Graduação Latu Sensu em História, Cidade, Cultura e Poder pela UNOCHAPECÓ - SC (2003) e graduação em Pedagogia pela UNIGRAN - MS (2010). Tem experiência na gestão de projetos, professora da disciplina de História no ensino fundamental, médio e EJA, professora com anos iniciais e idosos, professora de sala de informática e gestão escolar. Atualmente trabalha na EE Prof Nelson Ferreira da Silva, efetiva e na EMEF Norma de Conti Simão, efetiva, ambas em São José dos Campos - SP e é mestranda na Universidade de Taubaté - UNITAU - SP no curso de Mestrado Profissional em Educação. Participa do grupo de pesquisa "Núcleo de Estudos e Pesquisas Interdisciplinares em Saberes e Práticas em Educação à Distância" e sua linha de pesquisa é Formação docente e desenvolvimento profissional e Saberes e práticas no uso de tecnologias em educação.

Mariana Aranha de Souza, Universidade de Taubaté e Centro Universitário do Sul de Minas

Doutora em Educação: Currículo (2011) e Mestre em Educação: Currículo (2006) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Graduada em Pedagogia pela Faculdade Maria Augusta Ribeiro Daher (2001). Atualmente é Professora Permanente do Mestrado em Gestão e Desenvolvimento Regional do Centro Universitário do Sul de Minas -UNIS-MG e Professora Visitante do Mestrado Profissional em Educação da Universidade de Taubaté. É pesquisadora do GEPI (Grupo de Estudos e Pesquisas em Interdisciplinaridade) da PUC/SP. Atua como Coordenadora dos Cursos de Especialização em Psicopedagogia e Gestão Escolar da Universidade de Taubaté. Tem experiência como Orientadora de Pesquisas, Professora Universitária, Professora de Educação Básica e Diretora de Escola. Atua principalmente com os seguintes temas: Interdisciplinaridade, Formação de Professores, Currículo, Gestão Escolar, Didática, Educação à Distância, uso de Tecnologias e Metodologias Ativas de Aprendizagem. 

Patrícia Ortiz Monteiro, Universidade de Taubaté

Doutora em Ciências Ambientais (UNITAU). Especialista em Gestão Ambiental (USP). Especialista em Turismo e Meio Ambiente (SENAC/CEATEL). Especialista em Planejamento e Manejo de Unidades de Conservação (CATIE/Costa Rica). Engenheira Agrônoma. Atualmente é Professora Doutora vinculada ao Dpto. de Gestão e Negócios (GEN) e Professora do Programa de Pós-graduação em Educação e Desenvolvimento Humano (PPGEDH) da Universidade de Taubaté. É docente de disciplinas dos cursos de graduação na modalidade a distância nas áreas de Gestão de Negócios e de Gestão de Recursos Naturais. Foi Coordenadora do Polo de Apoio Presencial de Ubatuba da EAD-UNITAU (2009-2012). Assumiu a Coordenação Geral do Programa de Educação a Distância da UNITAU, em 2012. É atualmente Diretora Executiva da Empresa de Pesquisa, Tecnologia e Serviços da UNITAU (EPTS). Trabalha há 19 anos com Educação Superior e há 10 anos com Educação a Distância. Apresenta experiência em implementação e gestão de programas, projetos, cursos e materiais didáticos. Tem experiência de 19 anos em consultorias e de 14 anos em projetos socioambientais. Participa de organizações não governamentais sócio ambientalistas desde 1987. Participa de grupos de pesquisa, entre eles, o Núcleo de Estudos e Pesquisas Interdisciplinares em Saberes e Práticas em Educação à Distância e o GT de Representações Sociais da ANPEPP. Atua nos temas: Empreendedorismo e Inovação, Educação, Educação a Distância, Educação Ambiental, Tecnologia de Informação e Comunicação na Educação, Representações Sociais, Unidades de Conservação, Turismo Sustentável, Ecoturismo, e Comunidades Tradicionais.

Suzana Lopes Salgado Ribeiro, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Suzana Lopes Salgado Ribeiro é professora, pesquisadora e mulher. Graduou-se em História pela Universidade de São Paulo (bacharelado 1998 e licenciatura 2003). Fez mestrado (2002) e doutorado (2007) em História Social na mesma instituição em que se formou, e pode, por meio de suas pesquisas, desenvolver um olhar especial para a questão de gênero, provocada pela ação dos movimentos sociais. Foi também pela pesquisa, na prática da História Oral, que aprendeu a ouvir histórias e compreender suas subjetividades complexas. É, atualmente, professora visitante da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS de forma que uniu em seu fazer a educação e a pesquisa, aprendendo e ensinando sobre práticas e formação docentes, sobre ensino de história, sobre as preocupações com as diversidades e diferenças, diferenças em parceria com o Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Ensino de História e Práticas de Linguagem - Currículo, História e Cultura (GEPEH/UFMS). Foi professora do Colégio Giordano Bruno, da Universidade Paulista - UNIP, da Universidade de Taubaté - UNITAU e do Centro Universitário do Sul de Minas. Nesses fazeres aprendeu a ensinar outras pessoas a serem pesquisadores, orientando trabalhos de graduação e pós-graduação, mas também aprendeu com seus alunos do ensino fundamental e médio a ensinar outros alunos na faculdade a se tornarem educadores. É pesquisadora do Neho em Rede - Núcleo de Estudos em História Oral entre outros grupos de pesquisa.  Na busca por uma educação pública, democrática e para todos desenvolveu materiais de apoio acadêmico para o ensino à distância e ministrou cursos para a Universidade Aberta do Brasil - UAB e para a Universidade de Taubaté - UNITAU. Tem experiência de pesquisa e de docência em Educação, História e Metodologia de Pesquisa, atuando principalmente com os seguintes temas: História Oral, Memória, Identidade, Direitos, Diversidade, Diferença, Práticas Docentes, Formação de Professores e Ensino de História. 

Publicado
2021-01-19
Seção
Artigos