Avaliação da Aprendizagem no Ensino Superior: Reflexões em uma Perspectiva Andragógica

Resumo

Resumo
Neste estudo se tem por objetivo refletir a respeito da avaliação da aprendizagem no contexto do Ensino Superior em uma perspectiva andragógica. Cada segmento de ensino apresenta desafios específicos à avaliação da aprendizagem, seja com a função de estimar o rendimento dos estudantes, diagnosticar dificuldades ou intervir e ajustar os processos de ensino e de aprendizagem, a avaliação é sempre um desafio a ser considerado. A avaliação, no olhar andragógico, respeita os conhecimentos anteriores dos estudantes, aprendidos dentro ou fora do particular curso de formação. No Ensino Superior, as experiências dos alunos adultos devem ser levadas em consideração e a eles deve ser dada a chance de estabelecer relações entre as experiências pessoais anteriores e as novas experiências proporcionadas no curso. Nesse sentido, a autoavaliação é importante para a tomada de consciência e por fazer parte da formação profissional. Saber se autoavaliar é o primeiro passo para ser autônomo e é uma característica desejada no mundo do trabalho. A utilização de portfólio para avaliação traz consigo a perspectiva de avaliação individualizada, uma vez que cada portfólio é único e produzido pelo próprio estudante, portanto, influenciado pelas suas experiências e conhecimento individual. Caraterísticas mais citadas na literatura para se ter a avaliação na visão andragógica são os feedbacks e a prévia ciência do aluno quanto aos critérios a serem utilizados no processo avaliativo. Como conclusão se evidenciou a premência em tratar o aluno adulto realmente como o adulto que ele é, uma pessoa que traz com ela uma carga de conhecimento do mundo. Esse é um desafio a ser enfrentado pelos docentes, nos processos de ensino e de aprendizagem, nos quais se inclui a avaliação.

Palavras-chave: Ensino Superior. Andragogia. Avaliação. Feedback; Portfólio.

Abstract
This study aims to reflect on the Higher Education learning assessment from an andragogical perspective. Each teaching segment presents specific challenges to the learning assessment, either with a student’s performance estimation function, or diagnosing difficulties or intervening and adjusting teaching and learning processes, assessment is always a challenge to be considered. Assessment, in the andragogical perspective, respects the students' previous knowledge, learned inside or outside the course. In Higher Education, the adult students’ experiences must be considered, and to them must be given the chance to establish relationships between previous personal experiences and the new experiences provided by the course. In this sense, self-assessment is important for raising awareness and it is a part of professional training. Knowing how to evaluate oneself is the first step towards being autonomous and is a desired characteristic in the world of work. The use of portfolio for evaluation brings with it the perspective of individualized evaluation, since each portfolio is unique and produced by the student himself or herself, therefore, influenced by his or her experiences and individual knowledge. Themost cited characteristics in the literature, to have the evaluation in an andragogical view, are the feedbacks and the student's previous knowledge regarding the criteria to be used in the assessment process. As a conclusion, there was an urgency to treat the adult student really as the adult he or she is, a person who brings with him or her a load of the world knowledge. This is a challenge to be faced by the teachers, in the teaching and the learning processes, which includes evaluation.

Keywords: Higher Education. Andragogy. Assessment. Feedback. Portfolio.

Biografia do Autor

Osmar Pedrochi Junior, UNOPAR/Professor C

Professor do Programa de Mestrado e Doutorado em Metodologias para o Ensino de Linguagens e suas Tecnologias da UNOPAR.

Diego Fogaça Carvalho, Universidade Pitágoras UNOPAR

Diego Fogaça Carvalho possui graduação em Matemática pela Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão (2008), mestrado (2012) e doutorado (2016) em Ensino de Ciências e Educação Matemática pela Universidade Estadual de Londrina. Também realizou seu estágio pós-doutoral na mesma universidade que concluiu o doutorado (2017). É professor permanente nos Programas de Pós-Graduação em Metodologias para o Ensino de Linguagens e suas Tecnologias da Universidade Pitágoras Unopar e Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática da Universidade Anhanguera -- Uniderp. Sua produção centra-se na formação de professores e ramifica-se para os seguintes desdobramentos: avaliação da aprendizagem, análises textuais, inovações no processo de ensino e aprendizagem e Educação do Campo.

Tattiana Tessye Freitas da Silva, Faculdade Pitágoras de Medicina de Eunápolis

Licenciada em História pela Universidade Estadual de Feira de Santana (1992); Mestre em Comunicação e Cultura Contemporânea pela Universidade Federal da Bahia (1996) e Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atua na áea de Educação, com ênfase em Política Educacional, trabalando com os seguintes temas: regulação, políticas públicas e avaliação da educação. Já foi professora da área de Políticas Educacionais da Faculdade Delta - Unime Salvador, onde também atuou como Coordenadora Acadêmica, Coordenadora do Núcleo de Disciplinas Institucionais e Coordenadora da Comissão Própria de Avaliação (CPA). Atualmente está exercendo a função de Diretora da Faculdade Pitágoras, em Eunápolis - Bahia, que contém cursos Direito e Engenharias (Campus Centro) e Medicina (Campus Centauro). 

Nielce Meneguelo Lobo da Costa, Universidade Anhanguera de São Paulo (UNIAN)

É licenciada em Matemática pela Universidade de São Paulo (1973) e Pedagoga formada pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de São Bernardo do Campo (1985), com habilitação em Administração Escolar e Orientação Educacional. É mestre em Educação Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1997) e doutora em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2004). Atualmente é docente e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Anhanguera de São Paulo (UNIAN), Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Saúde da UNIAN, Vice-coordenadora do Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da UNIAN/SP. Avaliadora de cursos de graduação (CEESP) desde 2008.Tem experiência na área de Educação, tendo participado de diversos projetos de formação de professores e de gestores escolares. Coordenou projeto financiado pela Capes no Programa Observatório da Educação.Tem atuado principalmente na formação de professores e na educação tecnológica.

Publicado
2021-03-26
Seção
Artigos