Professor que Ensina Matemática nos Anos Iniciais: Re-Tratando seu Acontecer Histórico

Resumo

Neste artigo expomos compreensões sobre marcas que permanecem constituindo os modos de ser do professor que ensina matemática nos anos iniciais, possibilitadas pelo estudo da legislação que trata da educação brasileira. Buscamos por indícios da profissão no texto legal, antes da institucionalização oficial do professor como profissional até os dias atuais, tomando por contexto de análise o vivido na atualidade no estado do Paraná, mais especificamente na Cidade de Curitiba. Ao re-tratarmos tais leis, voltando-nos ao objetivamente dado, articulamos o discurso legal ao da literatura com a intenção de revelar um perfil do ser professor dos anos iniciais. Com esse estudo foi possível conhecer raízes da profissão docente que permanecem nos modos como esse profissional é reconhecido na sociedade. Nossa herança é a tradição maternal do ensino dos anos iniciais e do professor que ali atua como quem ensina, sem status profissional.

Referências

BAUMANN, A. P. P. Características da Formação do Professor de Matemática dos anos iniciais do Ensino Fundamental com foco nos cursos de Pedagogia e Matemática. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro.

BICUDO, M.A.V. Pesquisa qualitativa: significados e a razão que a sustenta. Revista Pesquisa Qualitativa, 1(1), 7-26.

BICUDO, M.A.V. (org.) Pesquisa qualitativa segundo a visão fenomenológica. São Paulo: Cortez, 2011.

BRASIL. Constituição: República Federativa do Brasil. Registrada na Secretaria de Estado dos Negocios do Imperio do Brazil a fls. 17 do Liv. 4º de Leis, Alvarás e Cartas Imperiaes. Rio de Janeiro em 22 de Abril de 1824. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%C3%A7ao24.htm Acesso em: 10 de agosto de 2012.

BRASIL. Decreto-Lei, de 15 de outubro de 1827. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/LIM/LIM-15-10-1827.htm Acesso em 15 de agosto de 2012.

BRASIL. Decreto n. 19.890 de 18 de abril de 1931. Dispõe sobre a organização do ensino secundário. Rio de Janeiro, 18 abr. 1931. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/navegando/fontes_escritas/5_Gov_Vargas/decreto%2019.890-%201931%20reforma%20francisco%20campos.htm Acesso em 16 de agosto de 2012.

BRASIL. Constituição: República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1934. Sala das Sessões da Assembleia Nacional Constituinte, na cidade do Rio de Janeiro, em dezesseis de julho de mil novecentos e trinta e quatro. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%C3%A7ao34.htm Acesso em 15 de agosto de 2012.

BRASIL. Constituição: República Federativa do Brasil. Rio de Janeiro, 10 de novembro de 1937. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%C3%A7ao37.htm . Acesso em 15 de agosto de 2012.

BRASIL. Constituição: República Federativa do Brasil. Rio de Janeiro, 18 de setembro de 1946. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%C3%A7ao46.htm . Acesso em 16 de agosto de 2012.

BRASIL. Decreto-Lei n.8.530, de 02 de janeiro de 1946. Lei Orgânica do Ensino Normal. Diário Oficial da União - Seção 1 - 4/1/1946, Rio de Janeiro, RJ. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-8530-2-janeiro-1946-458443-publicacaooriginal-1-pe.html Acesso em 16 de agosto de 2012.

BRASIL. Senado Federal. Lei nº4.024, de 20 de Dezembro de 1961.Fixa as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://wwwp.fc.unesp.br/~lizanata/LDB%204024-61.pdf Acesso em 16 de agosto de 2012.

BRASIL. Senado Federal. Lei nº 9.394, de 20 dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.brccivil_03/LEIS/L9394.htm Acesso em 16 de agosto de 2012.

CURI, E. A formação matemática de professores dos anos iniciais do ensino fundamental face às novas demandas brasileiras. Revista Iberoamericana de Educación (on line), 37(4), 1-9. Disponível em: http://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=3197429 Acesso em 16/10/2013.

CURITIBA. Secretaria Municipal de Recursos Humanos. Edital n.01/2012. Estabelece normas de Concurso Público para reserva de vagas para o cargo de Profissional do Magistério - Docência I na carreira do Magistério Público Municipal e para o cargo de Educador na carreira de Educador. Disponível em: http://www.gurhu.curitiba.pr.gov.br/Util/Arquivos/Concurso/edital_pmc_educador_01-2012.pdf. Acesso em 20 de agosto de 2012.

GADAMER, H-G. Verdade e Método I – traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Tradução de F. P. Meurer. Revisão da tradução de Ê. P. Giachini. Petrópolis, RJ: Ed. Vozes.

MANIFESTO DOS PIONEIROS DA EDUCAÇÃO NOVA (1932). Disponível em: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/revista/edicoes/22e/doc1_22e.pdf. Acesso em 16 de agosto de 2012.

MOCROSKY, L. F. A forma-ação do professor de matemática: (re)elaborando concepções. In S.M. Clareto, A. R. Detoni, R. M. Paulo (Orgs.). Filosofia, Matemática e Educação Matemática: Compreensões dialogadas. (1.Ed., Vol. 1, pp. 103-106) Juiz de Fora: Editora UFJF.

MONDINI, F. A presença da Álgebra na Legislação escolar brasileira. 433 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro.

NACARATO, A. M.. & PAIVA M. A. V. A formação do professor que ensina matemática: perspectivas e pesquisas. Belo Horizonte: Autêntica.

NEVES, M. F. O método pedagógico de Lancaster e a instituição do estado nacional brasileiro. In R. R. Rossi; E. Rodrigues & M. F. Neves (2009). Fundamentos históricos da educação no Brasil. 2° Edição. Maringá: Eduem.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

PARANÁ. Lei nº 4.978 de 5 de dezembro de 1964. Estabelece o sistema estadual de ensino. Disponível em: http://www.cee.pr.gov.br/arquivos/File/pdf/lei_do_sistema.pdf. Acesso em 16 de agosto de 2012.

SAVIANI, D. A filosofia da educação e o problema da inovação. In W. E. Garcia (Coord.). Inovação educacional no Brasil. (3. Ed.) São Paulo: Cortez /Autores Associados.

SHIGUNOV NETO, A.; MACIEL, L, S. B. O ensino jesuítico no período colonial brasileiro: algumas discussões. Educar, Curitiba, n. 31, p. 169-189, 2008. Editora UFPR.

TANURI, L. M.(2000). História da formação de professores. Revista Brasileira de Educação, 14, 61-88.

VIEIRA, A. M. D. P. ; GOMIDE, A. G. V. História da formação de professores no Brasil: o primado das influências externas. EDUCERE, 8. Disponível em: http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2008/anais/pdf/93_159.pdf Acesso em 03 de outubro de 2012.

Publicado
2016-07-06
Seção
Artigos