Cálculo Diferencial e Integral e o Uso de Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação: uma Discussão de Pesquisas nos Últimos Onze Anos

  • Vanessa Rodrigues Lopes Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Matemática. MS, Brasil.
  • Suely Scherer Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. MS, Brasil.

Resumo

Os conceitos de Cálculo Diferencial e Integral são estudados em diversos cursos do Ensino Superior, como por exemplo, Engenharias, Química, Ciência da Computação, Administração, Biologia, Física, Matemática, dentre outros. Nos últimos onze anos, diversas pesquisas foram realizadas com foco nos processos de ensino e/ou de aprendizagem de Cálculo e em muitas se anuncia que foram motivadas pelos índices de reprovação nesta disciplina. Neste artigo, o objetivo é apresentar e analisar pesquisas desenvolvidas nos últimos onze anos, cujo objeto de investigação é o ensino e/ou a aprendizagem de Cálculo em espaço presencial e/ou virtual, no Ensino Superior, com uso de Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) e refletir sobre a problemática do ensino e da aprendizagem de Cálculo com uso de TDIC, em especial com momentos à distância, a partir do cenário evidenciado por essas pesquisas. O estudo foi realizado a partir de uma busca no banco de teses e dissertações da Capes e na Biblioteca Digital Brasileira de teses e dissertações, tendo como resultado final vinte pesquisas sobre o tema, que foram analisadas nesse artigo. Esse cenário de pesquisas evidencia que o uso de tecnologias digitais pode ser um caminho para a superação de algumas dificuldades na aprendizagem do Cálculo. E um desafio para pesquisas sobre essa temática/problemática é considerar a possibilidade da aprendizagem móvel, ou M-learning, da aprendizagem ubíqua, ou u-learning, afinal os alunos do Ensino Superior estão cada vez mais com a tecnologia digital em suas mãos, acessível a qualquer momento, em vários espaços.

Palavras-chave: Cálculo Diferencial e Integral I. Tecnologia Digital de Informação e Comunicação. Espaço Presencial. Espaço Virtual.

Abstract

The concepts of Differential and Integral Calculus are studied in several courses of Higher Education, such as in Engineering, Chemistry,
Computer Science, Administration, Biology, Physics, Mathematics, among others. In the last eleven years, several researches have been
conducted focusing on the teaching and / or learning process of Calculus, and in many, it is announced that they were motivated by the failure
rates in this discipline. In this article the objective is to present and analyze researches developed in the last eleven years whose object of
research is the teaching and / or learning of Calculus in presence and / or virtual space in higher education, using Digital Information and
Communication Technologies ( TDIC), and to reflect on the teaching and learning of Calculus using TDIC, especially with moments at a
distance, based on the scenario evidenced by these studies. The study was carried out from a search of the thesis and dissertation bank of
Capes and the Brazilian Digital Library of theses and dissertations, with the result of twenty researches on the subject, which were analyzed in
this article. This research scenario shows that the use of digital technologies can be a way to overcome some difficulties in learning Calculus.
And a challenge for research on this issue / problem is to consider the possibility of mobile learning, or M-learning, ubiquitous learning, or
u-learning, after all Higher Education students are increasingly with digital technology at their fingertips, Accessible at any time, in various
spaces.
Keywords: Differential and Integral Calculus I. Digital Information and Communication Technology. Face-to-Face Space. Virtual Space.

Biografia do Autor

Vanessa Rodrigues Lopes, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Matemática. MS, Brasil.
Doutoranda em Educação Matemática, com ênfase em Tecnologias Educacionais e Educação a Distância, pela Universidade Federal de Matemática. Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (2011) e mestrado em Educação Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Atuou como professora na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul e na Uniderp (EaD). Atualmente é professora substituta da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Além disso trabalha como autora de materiais didáticos para EaD, para grupo Kroton-Anhanguera.
Suely Scherer, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. MS, Brasil.
É professora e pesquisadora na área de Educação com ênfase em Tecnologias Educacionais e Educação a Distância, atuando principalmente nas seguintes linhas: educação a distância, informática na educação, educação matemática e formação de professores. Possui Licenciatura em Matemática pela Universidade da Região de Joinville, mestrado em Matemática (área de concentração: Modelagem Matemática) pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul e doutorado em Educação (Currículo) na linha de Tecnologias Educacionais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atualmente é professora adjunta na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul.

Referências

Almeida, H. R. F. L. (2016). Polidocentes-com-Mídias e o Ensino

de Cálculo I. Rio Claro: Universidade Estadual Paulista.

Alves, D. O. (2010). Ensino de funções, limites e continuidade em

ambientes educacionais informatizados: uma proposta para

cursos de introdução ao cálculo Ouro Preto: Universidade

Federal de Ouro Preto.

Barbosa, S. M. (2009). Tecnologias da informação e comunicação,

função composta e regra da cadeia. Rio Claro: Universidade

Estadual Paulista.

Batista, S. C. F. (2011). M-LearnMat: Modelo Pedagógico para

Atividades de Mlearning em Matemática. Porto Alegre:

Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Bezerra, W. L. (2015). O uso de ferramentas pedagógicas para o

ensino de Cálculo de uma variável em cursos semipresenciais:

o caso do instituto federal do Ceará. Fortaleza: Universidade

Federal do Ceará.

Boyer, C.B. História da matemática. Trad. Elza F. Gomide. São

Paulo: Edgard Blücher, 1974.

Cabral, T. C., & Catapani, E. (2003). Imagens e olhares em uma

disciplina de Cálculo em serviço. Zetetiké Rev Educ Matem,

(19), 101-16.

Carneiro, M. L. F. (2013). Educação a Distância: história e

tecnologias. In: M. L. F., Carneiro, L.B. Turchielo, Educação

a distância e Tutoria: considerações pedagógicas e práticas.

Porto Alegre: Evangraf.

Costa, P. O. (2010). Educação on line na Universidade: o processo

de ensinar e aprender Calculo na era das tecnologias digitais.

Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia.

Demo, P. (2002). Complexidade e aprendizagem: a dinâmica não

linear do conhecimento. São Paulo: Atlas.

Escher, M. A. (2011). Dimensões Teórico-Metodológicas Cálculo

Diferencial e Integral: perspectivas históricas e de ensino e

aprendizagem. Rio Claro: Universidade Estadual Paulista.

Forster, S. R. L. (2007). Ensino a Distância: Uma análise do

design de um curso de Cálculo com um olhar no conteúdo

de limites e continuidade de uma variável real. (Dissertação

de Mestrado). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo,

SP, Brasil.

Gonçalves, D. C. (2012). Aplicações das Derivadas no Cálculo I:

Atividades Investigativas utilizando o GeoGebra (dissertação

de mestrado). Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro

Preto, MG, Brasil.

Gouveia, C. A. A. (2010). Processos de visualização e

representação de conceitos de cálculo diferencial e integral

com um software tridimensional (dissertação de mestrado).

Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, SP, Brasil.

Kenski, V. M.(2002). Processos de interação e comunicação no

ensino mediados pelas tecnologias. In: D. Rosa, & V. Souza

(Org.). Didática e práticas de ensino: interfaces com diferentes

saberes e lugares formativos. Rio de Janeiro: DP&A.

Lopes, V. R. (2015). Aprendizagem em um ambiente

Construcionista: explorando conhecimentos de Cálculo I em

espaços virtuais (dissertação de Mestrado). Universidade

Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, MS, Brasil.

Luz, V. M. (2011). Introdução ao cálculo: uma proposta

associando pesquisa e intervenção. (Dissertação de

Mestrado). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de

Janeiro, RJ, Brasil.

Maltempi, M. V. (2004). Construcionismo: pano de fundo para

pesquisas em informática aplicada à Educação Matemática. In:

M.A.V., Bicudo, M.C., Borba (Org.). Educação Matemática:

pesquisa em movimento. São Paulo: Editora Cortez.

Martins Junior, J. C. (2015). Ensino de derivadas em cálculo

I: aprendizagem a partir da visualização com o uso do

GeoGebra. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal

de Ouro Preto, Ouro Preto, MG, Brasil.

Morelatti, M. R. M. (2001). Criando um ambiente construcionista

de Aprendizagem em cálculo diferencial e integral I (Tese de

Doutorado) Pontifícia Universidade Católica de São Paulo,

SP, Brasil.

Olimpio Junior, A. (2006). Compreensões de conceitos de cálculo

diferencial no primeiro ano de matemática: uma abordagemintegrando oralidade, escrita e informática. Universidade

Estadual Paulista, Rio Claro, SP, Brasil.

Papert, S. (2008). A máquina das crianças: repensando a escola

na era da informática. Porto Alegre: Artmed.

Levy, P. (1998). A inteligência coletiva. São Paulo: Edições

Loyola.

Pinto, G. M. F. (2008). Compreensão gráfica da derivada de

uma função real em um curso de cálculo semipresencial

(Dissertação de mestrado). Universidade federal do rio de

janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Reis , E. L. (2010). O processo de construção de objetos de

aprendizagem em cálculo diferencial e integral durante uma

atividade de design (Dissertação de mestrado). Universidade

Estadual Paulista, Rio Claro, SP, Brasil.

Ricaldoni, M. A. G. (2014). Construção e interpretação de

gráficos com o uso de softwares no ensino de cálculo:

trabalhando com imagens conceituais relacionadas a

derivadas de funções reais. (Dissertação de Mestrado).

Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, MG, Brasil.

Rocha, M. D. (2010). Desenvolvendo atividades computacionais

na disciplina cálculo diferencial e integral I: estudo de

uma proposta de ensino pautada na articulação entre a

visualização e a experimentação (Dissertação de Mestrado).

Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, MG, Brasil.

Rosa, M. (2008). A construção de identidades online por meio do

Role Playing Game: relações com o ensino e aprendizagem

de matemática em um curso a distância (tese de Doutorado).

Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, SP, Brasil.

Sad, L. A. (1999). Cálculo Diferencial e Integral: uma abordagem

epistemológica de alguns aspectos (Tese de Doutorado).

Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, SP, Brasil.

Signorelli, S. F. (2007). Um ambiente virtual para o ensino

semipresencial de funções de uma variável real: designer e

analise. (Dissertação de Mestrado). Pontifícia Universidade

Católica de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Scucuglia, R. (2006). A Investigação do Teorema Fundamental

do Cálculo com Calculdoras Gráficas. (Dissertação de

Mestrado). Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, SP,

Brasil.

Scherer, S.(2005). Uma Estética Possível para a Educação

Bimodal: aprendizagem e comunicação em ambientes

presenciais e virtuais (Tese de Doutorado). Pontifícia

Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil.

Tucker, A., & Leitzel, J. R.C. (1995). Assessing Calculus Reform

Efforts: A report to the community. United States of America:

The Mathematical Association of America.

Valente, J. A Espiral da Espiral de Aprendizagem: o processo

de compreensão do papel das tecnologias de informação

e comunicação na educação. (Tese Livre Docência).

Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, Brasil.

Valente, J. (2011). Educação a distância: criando abordagens

educacionais que possibilitam a construção de conhecimento.

In: V. A. Arantes (Org.). Educação a distância: pontos e

contrapontos. São Paulo: Summus.

Publicado
2018-07-30
Seção
Artigos