A Experiência do Subprojeto PIBID/UFJF/Matemática Presencial na Formação Docente em Matemática

  • Marcílio Dias Henriques Instituto Estadual de Educação de Juiz de Fora, Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais. MG, Brasil.
  • Gilberto Fernandes Ferreira Escola Estadual Antônio Carlos, Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais, MG, Brasil.
  • Maurílio Antonio Valentim Escola Municipal Santa Cândida, Secretaria de Educação, Prefeitura de Juiz de Fora. MG, Brasil.
  • Lucy Tiemi Takahashi Universidade Federal de Juiz de Fora. MG, Brasil.
  • Luiza Lúcia e Silva Santana Universidade Federal de Viçosa, MG, Brasil.

Resumo

O objetivo central deste artigo é apresentar e discutir as experiências formativas e seus resultados gerais, vivenciados a partir das ações planejadas e executadas no subprojeto PIBID/UFJF/Matemática Presencial, que faz parte do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) do Ministério da Educação, e é desenvolvido na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Estas ações foram realizadas por alunos de licenciatura, supervisores e coordenador do subprojeto, junto a turmas de Ensino Fundamental e de Ensino Médio de três escolas públicas da cidade mineira de Juiz de Fora. Através de três linhas básicas de ações, o PIBID/UFJF/Matemática Presencial impactou de modo inovador e decisivo na formação pedagógica de futuros professores de Matemática e na formação continuada de professores supervisores, coordenadores e voluntários do subprojeto vinculados às escolas parceiras do projeto, além de levar a estas escolas proposições que influenciaram positivamente a sua relação com os coletivos escolares e a convivência dentro de sala de aula.

 

Palavras-chave: Formação Docente. Práticas Pedagógicas em Matemática. PIBID.

 

Abstract

The main objective of this article is to present and discuss the formative experiences and their general results, lived from the actions planned and executed in the PIBID/UFJF/Mathematics Presential subproject, which is part of the Institutional Program for Scholarships for Initiation in Teaching (PIBID/CAPES) of the Ministry of Education (Brazil), and is developed at the Federal University of Juiz de Fora (UFJF). These actions were carried out by undergraduate students, supervisors and coordinator of the subproject, together with classes of Elementary and High School of three public schools in the city of Juiz de Fora. Through three basic lines of action, PIBID/UFJF/Mathematics Presential has had an innovative and decisive impact on the pedagogical training of future Mathematics teachers and on the ongoing training of supervising teachers, coordinators and volunteers of the subproject linked to the partner schools of the project, in addition to leading to these schools propositions that positively influenced their relation with the school collectives and the coexistence within the classroom.

 

Keywords: Teacher Training. Pedagogical Practices in Mathematics. PIBID.

 

Biografia do Autor

Marcílio Dias Henriques, Instituto Estadual de Educação de Juiz de Fora, Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais. MG, Brasil.

Possui Licenciatura Plena em Matemática (2004/UFJF), Especialização em Educação Geométrica (2007/UFJF) e Mestrado Profissional em Educação Matemática (2011) pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Por duas gestões, foi membro da Diretoria Regional da Sociedade Brasileira de Educação Matemática, em Minas Gerais (SBEM-MG/ 2010 a 2015). Atualmente é professor-pesquisador associado ao NIDEEM/UFJF, revisor de projetos de Iniciação Científica e Iniciação Tecnológica da UERGS, colaborador em programas nacionais de avaliação do INEP/Ministério de Educação e professor efetivo de Matemática do Ensino Médio e do Ensino Fundamental no Instituto Estadual de Educação de Juiz de Fora (SEE-MG), no qual é também supervisor do Projeto PIBID/UFJF/Matemática, desde 2012, projeto que foi diplomado em Bogotá (2018), pelo programa PREDALC do Banco Mundial e da OEI, como experiência formativa exitosa sustentável e replicável. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, tecnologias e metodologias educacionais, design curricular de Matemática Escolar, dificuldades de aprendizagem da Matemática e desenvolvimento de produtos educacionais de Matemática para o Ensino Fundamental, Ensino Médio e formação docente.

Gilberto Fernandes Ferreira, Escola Estadual Antônio Carlos, Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais, MG, Brasil.

Possui graduação em Ciências pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (2005). Atualmente é professor de matemática e física da Escola Estadual Antônio Carlos. É supervisor do PIBID (Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência) de Física, desde março de 2010.

Maurílio Antonio Valentim, Escola Municipal Santa Cândida, Secretaria de Educação, Prefeitura de Juiz de Fora. MG, Brasil.

Doutor em Educação Matemática pela Universidade Anhanguera de São Paulo - UNIAN (SP). Mestre em Letras pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora - CES/JF - Juiz de Fora (MG), na área de concentração Literatura Brasileira. Licenciado em Matemática, Ciências Físicas e Biológicas, Física e Química pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Santa Marcelina (FAFIC) Muriaé (MG). Especialista no ensino de Física pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Santa Marcelina (FAFIC) Muriaé (MG). Especialista em Educação Matemática pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Juiz de Fora (MG). Tem experiência na área de Educação Matemática com ênfase em linguagem no processo de avaliação.Tenho como objeto de estudo e pesquisa a utilização da linguagem no ensino de matemática.

Lucy Tiemi Takahashi, Universidade Federal de Juiz de Fora. MG, Brasil.

Possui graduação em LICENCIATURA EM MATEMATICA pela Faculdade de Ciências e Tecnologia de Presidente Prudente (1991) , mestrado em Matemática pela Universidade Federal de São Carlos (1995) e doutorado em Matemática Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (2004) . Atualmente é professora Associada III da Universidade Federal de Juiz de Fora. Tem experiência na área de Matemática , com ênfase em Matemática Aplicada. Atuando principalmente nos seguintes temas: Biomatemática.

Luiza Lúcia e Silva Santana, Universidade Federal de Viçosa, MG, Brasil.

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Viçosa (1984), é especialista em Educação/Supervisão Educacional pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1996) e mestre em Administração pela Universidade Federal de Viçosa (2010). Atualmente é Coordenadora Pedagógica do Colégio de Aplicação - COLUNI, da Universidade Federal de Viçosa e é Professora Pesquisadora do Ministério da Educação - Programa Escola de Gestores. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Gestão e Coordenação de Unidades Educativas.

Referências

Baldino, R. R. Pesquisa-ação formação de professores: leitura sintomal de relatórios. In: Bicudo, M. A. V. (org). Pesquisa em Educação Matemática: Concepções e perspectivas. São Paulo: Editora Unesp, 1999.

Brasil. Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Matemática. Ministério da Educação, 2001.

Curi, E.; Pires, C. M. C. Pesquisas sobre a formação do professor que ensina matemática por grupos de pesquisa de instituições paulistanas. Educação Matemática, v. 10, n. 1. 2008.

Freire, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

Henriques, M. D.; Silva, A. M. Dificuldades de aprendizagem de área e perímetro na escola básica. In: Simpósio de Educación Matemática, 12., 2012. Chivilcoy. Memorias… Chivilcoy, Argentina: EDUMAT. v.1, p. 579-601, 2012.

Lins, R. C. A Formação Pedagógica em Disciplinas de Conteúdo Matemático nas Licenciaturas em Matemática. In: Revista de Educação. Campinas: PUC-Campinas. n. 10; pp. 117-123. 2005.

Lins, R. C. Por que discutir teoria do conhecimento é relevante para a Educação Matemática. In: Bicudo, M. A. V. (Org.). Pesquisa em Educação Matemática: concepções e perspectivas. São Paulo: Editora da UNESP. p. 75-94, 1999.

Moreira, M. A. (org.). Aprendizagem significativa: um conceito subjacente. In: Actas del Encuentro Internacional sobre el Aprendizaje Significativa. Burgos, España, 1997, p. 19-44.

Nacarato, A. M. Políticas públicas de formação do professor na educação básica: pesquisas, programas de formação e práticas. Goiânia, Goiás: 36ª Reunião Nacional da ANPEd, 2013

Nacarato, A. M.; Paiva, M. A. V. (Org.). A formação do professor que ensina matemática: perspectivas e pesquisas. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

Procópio, R. B. Geometria como um curso de serviço para licenciatura em matemática: Uma leitura da perspectiva do modelo dos campos semânticos. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Matemática). 2011. Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora, Minas Gerais: UFJF, 2011.

Skovsmose, O. Educação Matemática crítica: A questão da democracia. Campinas: Papirus, 2001.

Tardif, M.; Lessard, C.; Gauthier, C. Formação dos professores e contextos sociais. Trad. de Emília Laura Seixas. Porto, Portugal: Rés, 2001.

Publicado
2020-03-04
Seção
Artigos