Níveis de ansiedade e depressão em graduandos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Autores

  • Mara Sizino da Victoria
  • Aline Bravo
  • Anne Katherine Felix
  • Bruna Gomes Neves
  • Caroline Basile Rodrigues
  • Celerina Cristina Pereira Ribeiro
  • Dayanne Canejo
  • Débora Coelho
  • Débora Sampaio
  • Ildiana Martins Esteves
  • Juliane Alves da Silva
  • Ludmila Marotta
  • Marceli de Souza Rosa
  • Mayra Yumi Ribeiro
  • Natasha da Silva Santos
  • Taís de Brito Barbosa
  • Thamiris Marques da Silva
  • Thatiana Moreira de Brito
  • Vanessa da Cunha Santos
  • Vanessa Lima
  • Wanessa Porto Saltoris

Resumo

O ingresso à Universidade pode se apresentar como uma situação ameaçadora, pois é uma fase adaptativa onde o jovem terá mais responsabilidades, podendo desencadear ansiedade e depressão. Embora no Brasil haja escassez de estudos epidemiológicos sobre a morbidade psiquiátrica, estima-se que entre 15% a 25% de estudantes sofrem algum transtorno. Neste sentido, este estudo buscou identificar a sintomatologia de ansiedade e depressão numa amostra de universitários na cidade do Rio de Janeiro. Participaram da pesquisa 637 alunos de graduação, pertencentes a diversos cursos. Os alunos responderam aos Inventários de Ansiedade e Depressão de Beck. Foram feitas comparações entre os tipos de curso, gênero e área de conhecimento. Todos os resultados apresentaram diferença estatística significativa (p<0,05). Apesar de nenhum curso sugerir níveis graves de ansiedade, e Letras na depressão. Os cursos com escores mais baixos na duas variáveis foram História e Oceanografia.

Downloads

Publicado

2015-07-14

Edição

Seção

Artigos