Uma tradução - dois autores: sobre a tradução francesa de 'Os usos da cultura' de Richard Hoggart

  • André Luiz Glaser

Resumo

O presente artigo tem como objetivo uma comparação entre o livro The uses of literacy, de Richard Hoggart, e sua tradução francesa, enfatizando as implicações político-ideológicas da tradução, que alterou significativamente o texto original. O interesse por esse cotejo no Brasil justifica-se pelo fato da recepção de Hoggart em nosso país ter ocorrido, nos anos 70 e 80, predominantemente por meio da versão francesa, dada a predominância do francês na vida acadêmica da época e a importância da figura de Pierre Bourdieu, que publicou seu importante livro, La reproduction, no mesmo ano da tradução de La culture du pauvre – 1970 – com a coautoria de Passeron. As alterações político-ideológicas da tradução geraram distorções no pensamento de Richard Hoggart que ainda persistem em alguns de nossos círculos acadêmicos. O artigo não defende a “fidelidade” na esfera da tradução acadêmica, pois a discussão do próprio conceito de fidelidade foje aos limites do presente artigo. O que há é uma defesa incondicional da clareza – o leitor de um texto acadêmico deve ser informado de eventuais alterações do original e das intenções que movem essas escolhas.
Publicado
2015-07-07
Seção
Artigos