Haemonchus contortus e Medidas Estratégicas de Controle para Ovinos

  • Janaína Palermo Mendes Universidade Federal da Grande Dourados, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Zootecnia http://orcid.org/0000-0002-7860-0933
  • Talize Tieme Tsuzuki Universidade Anhanguera Uniderp
  • Marcos Barbosa Ferreira Universidade Anhanguera – Uniderp, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Produção e Gestão Agroindustrial http://orcid.org/0000-0002-7594-3631
  • Wagner Rodrigues Garcia Universidade Anhanguera Uniderp
  • Jean Kaique Valentim Universidade Federal da Grande Dourados, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Zootecnia
  • Rita Therezinha Rolim Pietramale Universidade Federal da Grande Dourados, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Zootecnia

Resumo

 

Ovinos são comumente acometidos por parasitoses gastrointestinais, a maioria cosmopolita, sendo Haemonchus sp., o nematódeo encontrado com maior frequência parasitando os ovinos, que se contaminam ingerindo as larvas. Isso implica na importância de se conhecer o ciclo de vida deste parasito, que é um micoorganismo microscópico que se aloja no trato gastrointestinal e absorve o sangue ocasiona o quadro de anemia, fato este que pode debilitar rapidamente o animal e causar o óbito, além de provocar um atraso no desenvolvimento do animal, gerando perdas econômicas. Foi utilizado neste estudo a metodologia da revisão bibliográfica, procedente de artigos científicos e livros. O H. contortus é a espécie de maior relevância, pois tem alta patogenicidade e alta prevalência nos rebanhos brasileiros, causando perdas econômicas ao produtor devido à baixa produtividade e desenvolvimento dos animais acometidos, como perda de peso, anemia, atraso no desenvolvimento corporal de animais jovens e, causando o óbito.  O uso indiscriminado de antiparasitários causou o aumento da resistência dos helmintos às moléculas existentes no mercado. Desta forma, a necessidade de buscar novos métodos de controle de verminoses visa diminuir o uso de anti-helmínticos por meio da vermifugação seletiva, alimentação balanceada com suplementação proteica e o fornecimento de forrageiras de boa qualidade e com altos teores de proteína.

Palavras-chave: Haemonchus contortus. Ovinos Pantaneiro. Prevalência. Resistência Parasitária.  

 

Abstract

Sheep are commonly affected by gastrointestinal parasites, most of them cosmopolitan, Haemonchus sp., a nematode most commonly found parasitizing sheep, which is contaminated as larvae. This implies the importance of knowing the life cycle of this parasite, which is a microscopic microorganism that also does not treat the gastrointestinal tract and absorbs blood or anemia, a fact that can quickly weaken the animal and cause death, in addition to cause a delay in the development of the animal, generating economic reduction. It was used in this study of literature review methodology, procedure of scientific articles and books. H. contortus is a species of greater relevance because it has high pathogenicity and high prevalence in Brazilian herds, economic damage and damage caused by low developmental and developmental rates of affected animals, such as weight loss, anemia, delayed body development of young animals and cause death. The indiscriminate use of antiparasitics causes increased resistance of helminths to molecules on the market. Therefore, it is necessary to search for new visa control methods that reduce the use of anthelmintics through selective deworming, feeding in a balanced way with protection supplements and supplying good quality forages with high levels of protein.

Keywords: Haemonchus contortus. Pantaneiro Sheep. Prevalence. Parasitic Resistance.

Referências

AHID, S.M.M.; SUASSUNA, A.C.D.; MAIA, M.B.; COSTA, V.M.M.; SOARES, H.S. Parasitos gastrointestinais em caprinos e ovinos do Rio Grande do Norte, Brasil. Ciência Animal Brasileira, v. 9, n. 1, p. 212-218, jan./mar. 2008.

ALBUQUERQUE, A.C.; BASSETTO, C.C.; ALMEIDA, F.A.; AMARANTE, A.F.T. Development of Haemonchus contortus resistance in sheep under suppressive or targeted selective treatment with monepantel. Veterinary Parasitology, v. 246, p.112-117, 2017.

ALMEIDA F.A., GARCIA K.C., TORGERSON P.R. et al. Multiple resistance to anthelmintics by Haemonchus contortus and Trichostrongylus colubriformis in sheep in Brazil. Parasitology International. V.59, p. 622-625, 2010.

AMARANTE, A. F. T. Controle de verminose ovina. Revista do Conselho Federal de Medicina Veterinária, Brasília, DF, ano 11, n. 34, p. 19-30, 2005.

AMARANTE, AFT. Os parasitas de ovinos [online]. São Paulo: Editora UNESP, 2014, 263 p. ISBN 978-85-68334-42-3. Available from SciELO Books http://books.scielo.org. Disponível em: http://books.scielo.org/id/nv4nc/pdf/amarante-9788568334423.pdf Acesso em: 22 jan. 2019.

BAKER, K.E.; GEORGE, S.D.; STEIN, P.A.; SEEWALD, W.; ROLFE, P.F.; HOSKING, B.C. Efficacy of monepantel and anthelmintic combinations against multiple-resistant Haemonchus contortus in sheep, including characterisation of the nematode isolate. Veterinary Parasitology, v.186, p.513-517, 2012.

BATH, G. F.; WYK, J.A.V. Using the Famacha system on comercial sheep farms in South Africa. Anais Internacional Sheep Veterinary Congress, Cape Town, South Africa, v.1, p.3, 2001.

BATH, G. F.; WYK, J.A.V. The FAMACHA© system for managing haemonchosis in sheep and goats by clinically identifying individual animals for treatment. Veterinary Research, Jornaul on Animal Infection, v.33, n.5, 2002.

BATISTA, E.K.F; NEVES, C.A.; MENDONÇA, I.L. Resistência anti-helmíntica em ovinos e caprinos – uma revisão. Revista Científica de Medicina Veterinária. ISSN:16797353 Ano XIV Número 27 – Jul. 2016.

BRAGA, R.M.; GIRARDI, J.L. População de larvas de helmintos infestantes de ovinos em pastagem nativa de Roraima. Empresa de Pesquisa Brasileira. Brasília, 26(4):569574, abr. 1991.

BRITO, D.R.B.; SANTOS, A.C.G.; TEIXEIRA, W.C.; GUERRA, R.M.S.N.C. Parasitos gastrointestinais em caprinos e ovinos da microrregião do Alto Mearin e Grajaú, Estado do Maranhão. Ciência Animal Brasileira. v.10, n.3, p.967-974, 2009.

BORGES, J.R.J.; et al. Doenças hepáticas em ovinos e caprinos. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/7699/5462> Acesso em: 30 jan. 2019.

CAMPILLO C.M.; ROJO, F.; MARTINEZ, A. Parasitología Veterinaria. 1 reimpresión 1ed. Madrid, España. Editorial Mc Graw - Hill Interamericana. p. 519-546, 2000.

CEZAR, A.S.; CATTO, J.B; BIANCHIN, I. Controle alternativo de nematoides gastrointestinais dos ruminantes: atualidades e perspectivas. Ciência Rural, 38(7): p.2083-2091, 2008.

CHAGASA, A.C.S.; KATIKI, L.M.; SILVA, I.C. et al. Haemonchus contortus: A multiple-resistant Brazilian isolate and the costs for its characterization and maintenance for research use. Parasitology International. v.62, n.1, p.1–6, 2013.

CLIMENI, B.S.O.; MONTEIRO, M.V.; CICOTI, C.A.; NEVES, M.F. Hemoncose ovina. Editora FAEF, São Paulo, ano 11, n.11, julho, 2008.

Publicado
2020-05-12
Seção
Artigos