Representações Sociais de Estudantes de Engenharia Civil e Ambiental Sobre o Rio Doce

  • Renata Bernardes Faria Campos Universidade Vale do Rio Doce, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Gestão Integrada do Território
  • Jacqueline Martins de Carvalho Vasconcelos Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências Humanas
  • Gabriel Peçanha Brito Garcia Universidade Vale do Rio Doce
  • Karla Ferreira de Carvalho Aguiar Universidade Vale do Rio Doce
  • Matheus Pereira Carlech Guimarães Universidade Vale do Rio Doce

Resumo

Os grandes desastres da atualidade e a relação entre o desenvolvimento e devastação da natureza evidenciam a necessidade de se reavaliar o modo de pensar das pessoas, entre os quais o presente trabalho destaca profissionais, cujas ações interferem direta e fortemente sobre a relação entre tecnologia e ambiente. Na presente pesquisa foi realizada  uma análise das representações sociais de estudantes de Engenharia Civil e Ambiental sobre o Rio Doce, tomando como referência o levantamento de dados feito com base em questionários respondidos por estudantes de diferentes períodos do curso. Utilizou-se a técnica de livre associação de palavras e, em seguida, uma sistematização das evocações coletadas. Observou-se que a água, enquanto recurso necessário para os seres humanos, é central para os entrevistados, revelando uma representação antropocêntrica e utilitarista da mesma, sendo essa  quase que exclusivamente qualificada como recurso. Por outro lado, também o elemento desastre compareceu no núcleo central, assim como a poluição que remete à degradação histórica do Rio Doce. O olhar detalhado para o processo de construção das representações dos estudantes e os efeitos da formação destes sujeitos ao longo da graduação evidencia que a graduação tem influência importante na ampliação do olhar dos engenheiros para o ambiente. Nesse sentido, destaca-se  a importância da Educação Ambiental e formação crítica no Ensino Superior, como forma de ampliar a compreensão dos futuros profissionais.

Palavras-chave: Concepção. Engenheiros. Desastre. Sustentabilidade. Ambiente.

 

Abstract

Today's major disasters and the relationship between the development and devastation of nature highlight the need to reevaluate people's thinking, among which the current study highlights professionals whose actions directly and strongly interfere with the relationship between technology and the environment. In the present research, an analysis was performed of the social representations of Civil and Environmental Engineering students about Rio Doce, taking as reference the data survey based on questionnaires answered by students from different periods of the course.  The technique of free word association was used and then a systematization of collected evocations. It was observed that water, as a necessary resource for humans, is central to the interviewees, revealing an anthropocentric and utilitarian representation of it, which is almost exclusively qualified as a resource. On the other hand, the element disaster also appeared in the central nucleus, as well as the pollution that refers to the historical degradation of  Rio Doce. A detailed look at the process of constructing students 'representations and the effects of their formation throughout undergraduate shows that undergraduate studies have an important influence on the broadening of the engineers' look at the environment. In this sense, it is highlighted herein the importance of Environmental Education and critical training in higher education, as a way to broaden the understanding of future professionals.

Keywords: Conception. Engineers. Disaster. Sustainability. Environment.

Referências

AMORIM, M. M. A.; DE OLIVEIRA ASSUNÇÃO, G. H.; DIAS, A. C.; GUEDES, G. R. Representações sociais do Rio Doce e suas enchentes em Governador Valadares/Brasil. Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 49, 2018.

BAZZO, W. A.; PEREIRA, L. T. V. Ensino de Engenharia: na busca do seu aprimoramento. Florianópolis: UFSC, 1997. p. 57.

BECK, U. Sociedade de risco: rumo a uma outra modernidade. São Paulo: Editora 34, 2011.

BRAGA, B. Introdução à engenharia ambiental. 2 ed. São Paulo: Person Prentice Hall, 2005.

CAVALCANTE, Z. V; SILVA, M. L. S. A importância da revolução industrial no mundo da tecnologia. Anais Eletrônicos CESUMAR – Centro Universitário de Maringá. Paraná: CESUMA. out. 2011.

CHAVES, A. M.; SILVA, P. L. Representações sociais. In: CAMINO, L. et al. (Org.). Psicologia social: temas e teorias. 2. ed. Brasília: Techno Politik, 2013. pp. 411-465.

CNE. Resolução CNE/CES 11/2002. Diário Oficial da União, Brasília, 9 de abril de 2002. Seção 1, p. 32.

COMPANHIA VALE DO RIO DOCE. Desenvolvimento agropecuário da região de influência da CVRD: estudo básico. Planejamentos Agro-Industriais– SEITEC, São Paulo, 1969.

DAGNINO, R.; NOVAES, H. T.; FRAGA, L. O engenheiro e a sociedade: como transformar a sociedade de classes através da ciência e tecnologia. Florianópolis: Insular, 2013.

FIBRA, Federação das Indústrias do Distrito Federal. Construção Civil representa 6,2% do PIB do Brasil. Distrito Federal. 2017. Disponível em <https://www.sistemafibra.org.br/fibra/sala-de-imprensa/noticias/1315-construcao-civil- representa-6-2-do-pib-brasil>. Acesso em: 30 mai. 2018.

HOLTZAPPLE, M.; REECE, W. Introdução à engenharia. LTC. Rio de Janeiro. 2014.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA; ESTATÍSTICA. DEPARTAMENTO DE POPULAÇÃO; INDICADORES SOCIAIS. Tendências demográficas: uma análise dos resultados da sinopse preliminar do censo demográfico 2000. O Departamento, 2001

LEANDRO, L. A.; GOMES, C. M.; DE CASTRO, K. N. V.; DE CASTRO, E. M. N. V. O futuro da gestão socioambiental: uma análise crítica sobre a crise ambiental brasileira. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade - GeAS, v. 4, n. 2, p. 144-162, 2015.

LIMA-E-SILVA, P. P.; BUENO, C. ; GUERRA, A. J. T. ; SOUZA, A. B. ; ALMEIDA, F. ; MALHEIROS, T. Dicionário Brasileiro de Ciências Ambientais. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Thex, 2002. v. 1. 252p

MARQUES, L. C. Capitalismo e colapso ambiental. São Paulo: Unicamp, 2016.

MEDRADO, B. Produção de sentidos no cotidiano: uma abordagem teórico metodológica para análise das práticas discursivas. In: SPINK, M. (org.). Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano: aproximações teóricas e metodológicas. São Paulo: Cortez, 2004.

MILANEZ, B; LOSEKANN, C. Desastre no vale do rio doce: antecedentes, impactos e ações sobre a destruição. Rio de Janeiro: Folio Digital: Letra e Imagem, 2016.

MILITITSKY, J. O desafio de formar engenheiros como transformadores sociais. Editorial ao Suplemento Engenharia, encartado no jornal Gazeta Mercantil/RS de 17 de agosto de 1998.

MOSCOVICI, S. La psychanalyse, son image et son public. Paris, Presses Universitaires de France, 1976.

MOSCOVICI, S. On social representations. London,Academic Press, 1981.

NEVES, D. A. B.; DE BRITO, R. C.; CÓDULA, A. C. C.; TEIXEIRA, J.; DA S TAVARES, D. W. Protocolo verbal e teste de associação livre de palavras: perspectivas de instrumentos de pesquisa introspectiva e projetiva na ciência da informação. Ponto de Acesso, v. 8, n. 3, p. 64-79, 2014.

OLIVEIRA, D. D.; MARQUES, S. C.; GOMES, A. M. T.; TEIXEIRA, M. C. T. V. Análise de evocações livres: uma técnica de análise estrutural das representações sociais. In: MOREIRA, A. S. P. et al. Perspectivas teórico-metodológicas em representações sociais. João Pessoa, UFPB, 2005.

REIGOTA, M. Meio ambiente e representação social. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2004.

SÁ, C. P. Núcleo central das representações sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 1996.

SAMARCO. Rompimento da barragem de Fundão. 2016. Disponível em <http://www.samarco.com/rompimento-da-barragem-de-fundao/>. Acesso em: 17 jun. 2019.

SCHUCH, D. S.; Cordeiro, M. H. B. V.; OLIVEIRA, L. D.; PIVA, V. M. O uso de instrumentos teórico metodológicos da representação social na pesquisa em educação ambiental. Curitiba: Champagnat, 2013.

SOUZA, B. A.; OLIVEIRA, E.; BARBOSA, S. H. V. Vale do rio de lama – nos rastros da destruição: o documentário em tempos de transmidialidade (Web documentário). In: XXXIX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, São Paulo, set. 2016.

SPADOTTO, A.; DALLA NORA, D.; TURELLA, E. C. L.; DE WERGENES, T. N.; BARBISAN, A. O Impactos ambientais causados pela construção civil. Unoesc & Ciência, ACSA, Joaçaba, p.173-180. dez. 2011

SPINK, M. O conceito de representação social na abordagem psicossocial. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 9, n. 3. jul/set. 1993.

TECHIO, E.; GONÇALVES, J. A. R. D. E. L.; COSTA, P. O. L. I. A. N. A. Representação social da sustentabilidade na construção civil: a visão de estudantes universitários. Ambiente & Sociedade, São Paulo, v. XIX, n. 2, p. 187-206. abr./jun. 2016.

UNIVALE. Plano de Desenvolvimento Institucional – PDI, 2017.

VASCONCELOS, J. M. C. Espelhos d’água: representações sociais de crianças de Governador Valadares sobre o Rio Doce. Dissertação (Mestrado Gestão Integrada do Território) – Universidade Vale do Rio Doce. Governador Valadares, p.95. 2017.

VIANNEY, J. As representações sociais da educação a distância: uma investigação junto a alunos do ensino superior a distância e a alunos do ensino superior presencial. Tese (Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humanas) Centro de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Santa Catarina. P.333. 2006. Disponível em: <http://livros01.livrosgratis.com.br/cp109599.pdf>. Acesso em: 17 jun. 2019

WRIGHT, J. T. C.; SILVA, A. T. B.; SPERS, R. G. O mercado de trabalho no futuro: uma discussão sobre profissões inovadoras, empreendedorismo e tendências para 2020. RAI-Revista de Administração e Inovação, v. 7, n. 3, p. 174-197, 2010.

Publicado
2020-05-12
Seção
Artigos