Hábitos Alimentares em Indivíduos Fisicamente Ativos Antes e após Consumo de Iogurte Hiperproteico

  • Giovana Gomes da Costa Unopar, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciência e Tecnologia de Leite e Derivados. PR, Brasil.
  • Jacqueline Monteiro Honorato Unopar, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciência e Tecnologia de Leite e Derivados. PR, Brasil
  • Lorena Pereira da Silva Unopar, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciência e Tecnologia de Leite e Derivados. PR, Brasil.
  • Joice Sifuentes dos Santos : Unopar, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciência e Tecnologia de Leite e Derivados. PR, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-1089-0620

Resumo

A avaliação nutricional é um passo importante no acompanhamento de um paciente, pois pode detectar doenças relacionadas ou não com a ingestão alimentar, como doenças crônicas não transmissíveis ou deficiência muscular, analisadas por meio de sintomas ou das medidas antropométricas. Este artigo tem como objetivo avaliar os hábitos alimentares de indivíduos fisicamente ativos antes e após o consumo de um iogurte hiperproteico. O estudo foi realizado com 13 participantes (7 homens e 6 mulheres), que consumiram 100 g de iogurte pelo período de 15 dias, nos quais 5 pessoas consumiram iogurte hiperproteico (13,7 g/100 g de proteínas) e 8 pessoas consumiram iogurte convencional (6,2 g/100 g de proteínas). Também foram analisados os hábitos urinários e intestinais, assim como a ingestão hídrica, horas de sono e apetite. Aferiu-se peso e altura para determinar o Índice de Massa corporal (IMC), em que a média foi de 24,3 Kg/m2 no começo do estudo e 24,2 Kg/m2 ao final do estudo, caracterizando um perfil eutrófico para os participantes. Houve diferença significativa (p < 0,05) na ingestão de ferro nos participantes do sexo feminino, de sódio nos indivíduos do sexo masculino no começo e ao final do estudo. A frequência de consumo de alimentos de origem animal demonstrou baixo consumo de produtos de origem láctea e um consumo elevado de ovos. Concluiu-se que os hábitos alimentares dos participantes da pesquisa não foram modificados após o início do consumo dos iogurtes, e que a ingestão de leite e derivados é inferior aos valores estipulados pela Pirâmide Alimentar Brasileira.

 

Palavras-chaves: Vitaminas. Minerais. Ingestão Diária. Nutrição.

 

Abstract

Nutritional assessment is an important step in monitoring a patient, as it can detect diseases related or not to food intake, such as chronic non-communicable diseases or muscle deficiency, analyzed through symptoms or anthropometric measures. This article aims to assess the eating habits of physically active individuals before and after consuming a high-protein yogurt. The study was carried out with 13 participants (7 men and 6 women), that consumed 100 g of yogurt for 15 days, where 5 consumed high-protein yogurt (13.7 g/100 g protein) and 8 consumed conventional yogurt (6.2 g/100 g protein). Urinary and intestinal habits were also analyzed, as well as water intake, hours of sleep and appetite. Weight and height were measured to determine the Body Mass Index (BMI), in which the average was 24.3 kg/m2 at the beginning of the study and 24.2 kg/m2 at the end of the study, characterizing an  eutrophic profile for the participants. There was a significant difference (p <0.05) in iron intake in female and sodium in male individuals at the beginning and at the end of the study. The frequency of animal origin food consumption demonstrated a low consumption of dairy products and a high consumption of eggs. It was concluded that the eating habits of the research participants were not modified after the  yogurts consumption, and that the intake of milk and dairy products is lower than the values stipulated by the Brazilian Food Pyramid. 

 

Keywords: Vitamins. Minerals. Daily Intake. Nutrition.

Publicado
2021-02-23
Seção
Artigos