Métodos para a Superação de Dormência da Tarumarana

  • Cristiane Ramos Vieira Universidade de Cuiabá, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências Ambientais. MT, Brasil
  • Joás dos Santos Soares Universidade de Cuiabá, Faculdade de Agronomia. MT, Brasil.
  • Bruno Conceição de Veiga Universidade Federal de Mato Grosso, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Agronomia. MT, Brasil.
  • Maicon Marinho Vieira Araujo Universidade de Cuiabá, Faculdade de Agronomia. MT, Brasil.
  • Rayza Samara de Assis Carneiro Universidade de Cuiabá, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências Ambientais. MT, Brasil.

Resumo

A tarumarana (Buchenavia tomentosa Eichler) é uma espécie florestal com potencial para a recomposição florestal no bioma Cerrado. No entanto, a formação das mudas dessa espécie, via semente, fica comprometida, por esta apresentar dormência tegumentar. Com base nessa problemática, desenvolveu-se um experimento com o objetivo de avaliar a escarificação ácida e a imersão em água, como métodos para a superação da dormência de pirênios de tarumarana. Os tratamentos testados foram: T0 – sem tratamento para superação da dormência; T1 – imersão em água quente por uma hora; T2 – imersão em água quente por uma hora e meia; T3 – imersão em água quente por duas horas; T4 – imersão em ácido sulfúrico por uma hora; T5 – imersão em ácido sulfúrico por uma hora e meia. O experimento foi realizado em delineamento inteiramente casualizado, com 20 pirênios de tarumarana por repetição. Ao final de 30 dias, a contar do começo das emergências, foram avaliadas as seguintes variáveis: índice de velocidade de germinação (IVG), o tempo médio de germinação (TMG), porcentagem de germinação (G) e o índice de velocidade de germinação (IVG), comprimento da parte aérea (H) e diâmetro de coleto (DC). O método mais eficiente para a superação da dormência dos pirênios de tarumarana foi a imersão em água quente por uma hora e meia, que garantiu a maior taxa de germinação. No entanto, a imersão em água quente, como método para superação da dormência de pirênios de tarumarana, não influenciou de forma significativa no crescimento inicial em altura e em diâmetro das mudas obtidas.

 

Palavras-chave: Buchenavia Tomentosa. Ácido Sulfúrico. Água Quente. Quebra de Dormência. Semente Florestal.

 

Abstract

Tarumarana (Buchenavia tomentosa Eichler) is a forest species with potential for restoration in the Cerrado biome. However, the formation of seedlings of this species, via seed, is compromised, because it presents integumentary dormancy. Based on this problem, an experiment was developed with the objective of evaluating acid scarification and immersion in water, as methods for overcoming dormancy in tarumarana pyrenes. The tested treatments were: T0 - without treatment to overcome dormancy; T1 - immersion in hot water for one hour; T2 - immersion in hot water for one hour and a half; T3 - immersion in hot water for two hours; T4 - immersion in sulfuric acid for one hour; T5 - immersion in sulfuric acid for one hour and a half. The experiment was carried out in completely randomized design, with 20 pyrenes of tarumarana per repetition. At the end of 30 days, counting from the beginning of emergencies, the following variables were evaluated: germination speed index (IVG), average germination time (TMG), germination percentage (G), the germination speed index (IVG), shoot length (H) and diameter (DC). The most efficient method for overcoming dormancy in tarumarana pyrenes was immersion in hot water for one hour and a half, which guaranteed the highest germination percentage. However, immersion in hot water, as a method to overcome dormancy of tarumarana pyrenes, did not influence, significantly, the initial growth in height and diameter of the seedlings obtained.

 

Keywords: Buchenavia tomentosa. Sulfuric Acid. Hot Water. Breaking Dormancy. Forest Seed.

Publicado
2021-02-23
Seção
Artigos